A história de Hector Santiago – pt1

Nascido em 1793, em Ciudad Real uma pequena província da Espanha conhecida mundialmente por possuir um dos castelos que pertenceu à ordem dos templários, mais especificamente a ordem dos Calatrava.

Hector é filho de Altino Fernandez e Madalena Herreira, bisneta de um peculiar pirata de barbas escuras e longas. Desde cedo ele aprendeu o oficio de seus pais, sempre foi um garoto sozinho e vivia perguntando para sua mãe por que ele não tinha irmãos, Fato que a deixava muito triste, pois sempre tinha de responder que não podia mais ter filho. Apesar deste detalhe a vida deles era simplória e tranquila.

Josué e Madalena eram caseiros de uma pequena fazenda pertencente a Rafael Santiago, homem no qual seu pai sempre lhe dizia ser muito novo, forte e estranho, mas que também era muito inteligente, perspicaz e honesto. Dono de muitas propriedades e riquezas pelo mundo todo.

Hector gostava muito de seus pais, mas não gostava da vida na fazenda. Porém sua sorte mudou de lado durante numa conversa entre seus pais e Juan Carlos Montez, funcionário de Rafael, um homem misterioso e de semblante de dar medo. Na conversa, Juan pediu para Josué se ele não possuía algum empregado de confiança em sua fazenda, alguém que quisesse trabalhar com ele em um de seus barcos. Quando Hector, mais do que prontamente se ofereceu, nesta época ele já tinha 17 anos, uma idade perfeita para aprender este tipo de oficio.

Logo de início Josué disse que não, mas por causa da insistência de seu filho, Juan disse que eles poderiam conversar e lhe dar uma resposta até a próxima noite. Durante o dia que se passou Hector conseguiu convencer seus pais de que aquela era oportunidade ideal para eles melhorarem de vida. Apesar da imensa tristeza de sua mãe, ele juntou forças para ir, afinal em no fundo de sua alma ele entendia que a oportunidade realmente poderia melhorar a vida deles.

Na noite seguinte Juan veio e levou o rapaz, até hoje Hector lembra-se das lágrimas de sua mãe e do estado catatônico de seu pai. Antes deles entraram em uma carruagem, muito bonita, mas diferente por possuir sistemas de proteção e nenhuma janela. Hector estranhou, mas achou melhor não comentar nada, porém ao olhar para Juan, o viu sorrir pela primeira vez (poucos viram isso até hoje).

– Hei garoto o que você conhece sobre o mundo, sobre o que existe fora da sua vida na fazenda?
Hector pensou por um instante, mas deixou a timidez de lado e respondeu:
– Não conheço muito senhor, mas o pouco que sei me diz que eu posso melhorar minha vida, ser conhecido, talvez um nobre e ter uma vida de luxo para mim e meus pais.
Surpreso pela sagacidade do jovem, Juan lhe respondeu de imediato:
– Meu filho, a primeira coisa que você vai ter de se esquecer é de sua vida antiga e de seus pais, pois agora você se tornará um pirata e se você tiver tanta fibra na vontade quanto na retórica, poderá até mesmo se tornar meu discípulo! Agora durma que a viajem é longa…

Durante o sono de Hector, passou-se o tempo necessário para a chegada até o porto, onde estava ancorado o navio de Juan.

O cocheiro abriu a porta e avisou da chegada. Como já estava por amanhecer Juan chamou Hector e estes foram a passos largos até o navio. Chegando lá todos receberam os dois muitíssimo bem, Juan apresentou o garoto para os tripulantes e disse para ele dar uma volta pelo lugar.

Eis que em 1809 iniciava a vida de pirata de Hector mediante um belo batismo pirata… Uma longa e interminável batalha no Atlântico contra uma esquadra mercante da coroa inglesa, onde todos escaparam por pouco, mas o navio de Juan sofreu diversas avarias.

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil.

Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos.

Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: https://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

17 Resultados

  1. Janah C. disse:

    🙂

  2. Milla Bortoluzzi disse:

    Achei ótima essa nova saga, vampiros e piratas é de fato uma ótima junção 🙂 Ansiosa para conhecer o resto da história!

  3. Maila Cardoso disse:

    amei, desculpa n ter comentado antes (preguissa)

  4. Lella Moraiss disse:

    Sabiiiiiia que a voz doce dele escondia o EL DIABLO que ele possuia, né Franz ?! Guerras e aventuras.. É isso aí marujo ;D

    • (w) Maximilian Franz Henzollern disse:

      Marujo? haha
      El Diablo por favor chica!

      😀

      • Lella Moraiss disse:

        Ah, diga a verdade.. Sei que gostou do apelidinho El Diablo u.u Hahaha

  5. (w) Maximilian Franz Henzollern disse:

    Como Ciumenta em relação a mim? precisa ter um nível de problemas mentais avançado para ter ciume logo de mim não acham? =X

    Não pude perder a piada!

    Estou sempre aqui Allice, mandem msg privadas o no quadro Geral para @marques_franz que sempre respondo 😉

    Bessos

    • Allice Taranti disse:

      Meu caro, todos tem um pouco de loucura…
      Basta aprenciar tal lado e saber reconhece – lo!!

      Eu lhe mandei, meu caro, um e-mail…!
      Chegou a ve – lo!?

  6. Allice Taranti disse:

    Ja somos loucos o bastante por acreditar e conversar com vocês, não achas?!

    • Allice Taranti disse:

      Franz, digamos então que ela tenha essa certa loucura…!
      Então, todos temos, não acha?!

  7. (w) Maximilian Franz Henzollern disse:

    Bom se até Eleonor sofre deste mal algumas vezes na ‘vida’ porque não childrens of the light não é mesmo?!

    Mas para salvar sua sanidade, ou oque vocês possuem dela, cuidado com tais sentimentos 😀

    A insanidade não é tão Bela se comparada a liberdade da alma!

    Para mim mesmo junto do amor a família está a liberdade ^^

    • Allice Taranti disse:

      Meu caro, sinto em discordar em parte com oque disses…!

      Vamos pensar…
      Oque você deduz sobre a insanidade?!
      e a Sanidade?!

      Digamos então que a insanidade seja um estado mental no qual a pessoa não esteja realmente… hãã…. em seu perfeito juízo…!

      Diga – me, se não fosse a insanidade estariamos no site!?
      O fato de querer viver ja é uma loucura, meu caro…!
      O amor é uma loucura…!
      Um sentimento tão tosco, tão…. estranho no qual realmente atrapalha a sanidade de qualquer pessoa!

      Crianças da luz… isso que deduz de nós, meu caro!? Da mesma forma, gostei da observação! u.u’
      Sim, Eleonor tem uma certa loucura…!

      Digamos então que n quero salvar minha sanidade….
      Liberdade da alma…. estranho conversarmos sobre isso….

      Bom, da mesma forma, como diz uma citação do livro de Lewis Carroll (Alice no Pais das maravilhas): As melhores pessoas são assim (loucas)!!