A “noite a noite” de um vampiro e a caridade

Conforme muitos sabem o principal motivo de eu ter montado este blog é tentar transmitir em palavras as minhas noites. Sempre ví muitos livros sobre nós vampiros, tantos outros filmes e também várias falácias sobre como somos e o que fazemos. Reafirmo aqui que desde os meus primeiros artigos eu tenho mostrado um pouquinho de mim, mas a cada novo leitor que aparece por essas bandas eu preciso falar novamente de alguns momentos que me marcaram ou de situações pelo qual eu preciso conviver constantemente.

Pois bem, hoje vou lhes falar de algumas coisas que faço enquanto estou de folga das minhas caçadas e das minhas extravagâncias. Na verdade vou ser franco e direto: tento levar uma vida normal tirando o fato de que somente saio depois que o sol se põe e antes que ele nasça. Não tenho problema com dinheiro, nunca tive mesmo assim às vezes faço alguns trabalhos de fotografia para levantar alguns fundos. Sendo que estes “fundos” são investidos por aqui no site, pagando o servidor de hospedagem, o designer e também em alguns projetos desenvolvidos pela minha companheira Beth.

A Beth está comigo desde 2007, temos um relacionamento que este ano completará 4 anos e está sendo de muita valia para mim, pois estou aprendendo muito. A patroa é uma bruxa de carreira, já estudou na Europa e atualmente está numa fase que envolve filantropia e autoconhecimento. A sociedade vampiresca possui muito preconceitos e com certeza um deles envolve as bruxas ruins, e isso por consequência se reflete nas boas como Elizabeth. Apesar de todos esses medos que os sanguessugas têm conheço histórias de lobisomens, magos e até iluminados que são nossos aliados.

Infelizmente não posso divulgar por aqui os trabalhos que a Beth faz, a proteção de nossas identidades reais é vital, mas vou falar um pouco do que a Ong que ela trabalha faz. Ong’s, aliás, são belas instituições que ajudam a sociedade no cumprimento de seus deveres e cobrança de seus direitos. Mesmo que algumas pareçam de índole duvidosa a grande maioria trabalha em prol de alguma causa.

Quando conheci a Beth ela estudava e tinha um trabalho fixo, com o tempo a convenci de que eu podia bancar as nossas necessidades. Mesmo assim ela não quis parar e disse que pelo menos iria arrumar alguma coisa para passar o tempo. No inicio fiquei um pouco arredio, afinal querendo ou não eu sou um cara das antigas e para mim mulher trabalha somente em casa. Ok ok sei que pareço moderninho, mas no fundo acho que vocês vão entender essa minha opinião, afinal na minha época as coisas eram bem diferentes.

Com essa história de trabalhar a Beth acabou conhecendo a Ong onde faz serviços atualmente e por lá eles ajudam crianças a melhorar o seu lado criativo. Estimulando-as com pinturas, desenhos, colagens afinal isso está mais que comprovado que ajuda os pequenos a terem uma visão melhor do mundo. Além disso, eles promovem frequentes tratamentos dentários, ensinam sobre os benefícios da saúde e das boas práticas de limpeza e higiene.

Com o tempo eu conheci alguns dos pequenos que ela ajuda e preciso dizer que se meu coração batesse ele teria se acelerado, pois a situação de muitos é tocante. Depois que tive esse contato me surgiu à ideia de ajuda-los e atualmente tenho dado uma cesta básica (não tão básica) para os garotos que tem entre 85 e 100% de presença nas aulas. Sei que não é muito, mas para vários deles ela é tida como boa parte do que a família deles consome durante o mês.

Pode parecer que faço isso para pagar os meus pecados, até pode ser um pouco, mas eu estive pensando de que adianta uns terem tanto se outros não têm nem onde cair morto? Sei lá cara, apenas estou contribuindo para sociedade com outras coisas além de eliminar algumas pragas e ainda deixo a patroa feliz.

Bom, sei que fugi um pouco do título deste post, mas eu precisava compartilhar com vocês mais este feito. Um feito tolo para muitos que só pensam em si, mas vital para que a humanidade continue produzindo seres descentes. Talvez algum dia existam mais pessoas desdentes do que ruins, o que diminuiria consideravelmente o meu alimento, mas é um risco a correr. Quem sabe todas essas novas tecnologias tragam uma cura para os meus, mas em quanto isso o melhor que podemos fazer é tentar conviver em paz ou ao menos neutros com os “diferentes”…

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: http://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

17 Resultados

  1. BELZINHA disse:

    Poxa Galego se a metade da metade da populaçao com uma condiçao financeira mais estavel pensesse e agisse como você em relaçao a estas crianças o mundo seria um lugar bem mais digno de se viver. Meu amigo sinceramente você é mais humano do que muito mortal que anda por ai pois suas atitudes são perfeitas. Tipo olha quantos riquinhos ou at mesmo politicos ou gente de alta nata brasileira apenas olha para o proprio umbigo e esquece do proximo. Galego eu nao tenho os mesmos requisitos financeiros que vc, tambem não faço parte de nenhuma ong mas costumo ir ao asilo que tem aqui perto de casa todos os domingos e dar um pouco de afeto aos velinhos tambem costumo a ler para eles e é tão gratificante receber um sorriso de carinho um gesto de amor cada um ajuda como pode né. Beijos

  2. Paola Hübner disse:

    Aww q amor voce é e_e
    Mas tenho uma pergunta: Como voce vai fazer com a Beth? Ela é mortal nao é? Ela vai aceitar em ser a unica a envelhecer?? É o tipico problema de um casal vampiro, tipico de filme… xD

    • Galego disse:

      Paola Boa pergunta, já convercei sobre isso com ela e o papo não foi foi bom. Já tive esse mesma situação com a minha primeira mulher, mas devido as circunstâncias da época as coisas foram bem diferentes.
      No fundo não posso culpar ela, ninguém está preparado para morrer. Tu estarias pronta para virar tua vida do avesso? Morrendo e retornando do mundo dos mortos para sugar sangue?

      • Ursula Falk disse:

        Dificil amar alguem assim não é mesmo? Este tipo de amor que você sabe que o outro não te acompanhara por muito tempo, enquanto o outro sabe que logo não sera mais sua, que vai envelhecer, e morrer, ou se escolher ser uma como você tera que sucumbir aquilo que sua consciencia não aceita, que é matar para sobreviver. Acho tão dificil a escolha, por isso prefiro a eternidade do jeito que ela é, sendo livre, viajando para outros lugares sempre, podendo voltar aqui com outra forma, ter novas aventuras, e rever meus amigos de longa data ( e bota longa nisso rsrssr ) que amo tanto, assim como reencontrar o meu amor e começar tudo de novo, mesmo quando ele insiste em voltar a cometer os mesmos erros ¬¬, mas fazer o que não é? errar é humano e perdoar é divino rsrsrsrsrsr 🙂

        • Paola Hübner disse:

          Se eu tivesse um vampiro do meu lado… talvez eu me acostumasse.
          Nao estaria pronta… Mas por amor eu faria.
          Sempre sonhei com um amor eterno, capaz q gostaria dessa vida do avesso 😉

          • galego disse:

            Mas tirar a vida de outras pessoas por causa desse amor, não seria algo meio digamos doentil?

  3. estranho que exista tanta coisa como lobisomen bruxa vampiro e etc.. eu nunca vi um aqui EM CURITIBA
    vai ver que onde eu moro é BP (bairro perdido) hahahahahah

    • Galego disse:

      É assim que nos mantemos vivos =)
      Eu que sou boca grande, mas já tomei muitas broncas e quase fui capturado uma centena de outras vezes.

  4. Ms.Rochester disse:

    Sempre me interesso pelas Ongs que ajudam realmente as pessoas.Nao participo de nenhuma, mas quando a Igreja da minha mae tem algum trabalho social para fazer, eu participo.Quando eu arrumar um empregro e terminar a faculdade, vou tentar me meter em alguma ong de modo fixo, afinal, voluntariado nao faz voce perder nem as maos nem os pés.
    A maioria das pessoas que eu conheço nao liga muito para isso, acha que cuidar dos seus é o bastante e que as pessoas deviam fazer o mesmo.Se fossemos todos um bando de egoistas, mais pessoas seriam infelizes, pobres, enfim, carentes. O que me surpreende é que um vampiro ( que pode muito bem dar de ombros e nao pensar na atual sociedade como sua ) tem um pensamento desse tipo, de ajudar mesmo nao recebendo nada em troca. Devo dizer também, algo muito interessante.

  5. A SEI LÁ
    vai ver é o lado humano dele como ele sempre diz
    kkkkkkkkkkk
    eu que penssava que os vampiros sempre fossem bem mal
    mais olha essas coisas que vemos em filmes de vampiro e etc.. as vezes são reais mais oque eu num entendo é que se mantem em segredo mais muitos hmanos sabiam até fazer filmes….X|

  6. oi Galeguito te ouvi hoje,mais vc tem um sotaque bem gaudério hem….rsrs linda voz meu coração,acredita que nem tinha visto a opção vampirocast? kkkkkk tonta eu…..bom só pra registrar minha descoberta a vc kkkk beijo Galego.

  7. Jeff Andreoli disse:

    Galego faça um video…com a beth do seu lado..so para ouvi a voz dela..

  8. Galego disse:

    Quando eu estiver de volta perto da Beth e ela quiser, quem sabe…

  9. fabiana lee disse:

    que legal galego no mundo falta gente assim como vc sabe as pessoas falam que vampiros sao seres despreziveis e que so tem os humanos como alimento nao digo todos, mais isso e puro disse me disse porque as crianças sao o futuro do nosso pais e se cada um fizer a sua parte assim como vc e como beth o mundo seria muito melhor nao e mesmo ? admiro vc galego vc e um homem que muita mulher gostaria de ter ao lado sei que vc tem seu lado meio ‘dark’ as vezes mais so quando e preciso ,, blood kises 😉

  10. ÁQUILA GOMES disse:

    Primeiro as vezes tenho raiva do meu esposo porque ele pensa que nem vc,lugar de mulher é em casa e blablablabla puro machismo,segundo gosto de parte em que vc so se alimenta de pessoas que fazem o mal,e terceiro é bom saber que vc mesmo sendo um vampiro e não tendo um coração age como se tinvesse,parabéns pelo seu ato.