Bruxas, vadias, magos e vampiros

Olá pessoal e ai gostaram do lay-out novo do blog?
Recebi algumas críticas dizendo que ficou mais confuso, bom, pode até ficar um pouco para quem estava acostumado com o outro. Mas achei mais interessante usar esse modelo, pois permitiu a melhor integração das imagens com o conteúdo. Muitos que procuram assunto ligado aos vampiros o procuram por meio de imagens ou fotos dos mesmos. Sendo assim resolvi facilitar a vida desse povo.
Sobre tudo hoje quero retomar o assunto das Bruxas, este é o segundo tema mais discutido aqui, e freqüentemente leio críticas a respeito das minhas histórias sobre as vadias…
Hoje respondi uma das críticas com uma frase de um cara chamado Martinho Lutero: “Não posso impedir que os corvos voem sobre minha cabeça, mas posso impedir que façam ninhos entre meus cabelos” . O que eu quis dizer com isso?
Pois bem, muitos acham que muito tempo de vivencia é sinônimo para muito conhecimento. Se o cara estudar e passar bastante tempo de sua vida se dedicando a isso até pode ser, mas não é meu caso… Eu levo a não-vida sobrevivendo e tratando de assunto que gosto: fotografia, escrita, internet (atualmente). Claro que muitas das coisas que faço não posso falar aqui. Meu nome, o que faço no dia a dia, onde moro, quantos anos tenho…
Retomando as vadias, digo bruxas… Quero esclarecer um fato que vem dando trabalho para responder. Da mesma forma que existem as bruxas “ruins”,
com certeza existem as “boas” e “bons” afinal existem muito homens iniciados nesse processo de adoração do capeta… Se alguém discute comigo quando falo desse tipo de coisa e que se ofenda é por que coisa boa não é, concordam?
Eu sei que existem muitos humanos que estudam magia e cultuam alguns deuses ou a própria “Natureza” e eu prefiro chamá-los de magos. Não que isso seja um nome oficial para esse estilo de gente, mas uso para diferenciar das verdadeiras vadias a que me refiro…
Estamos entendidos?
Blood Kisses ^^

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: http://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

10 Resultados

  1. Nan disse:

    Interessante.
    Vou anotar isso aqui.

    Obrigado..^^

  2. Carmina disse:

    Mas quando uma bruxa fala, pega fundo no ego humano…é ai que vejo quem é quem.
    E não concordo com isso de “coisa boa não é”, sou uma strega, não adoro o “capeta” e nem acredito nele se quer saber, para mim é só mais uma forma da igreja católica manipular a humanidade como sempre fez, assim os homens frequentarão os cultos e poderão atribuir seus erros ao dito cujo…bem covarde diga-se de passagem.
    Assim como você estou me expondo quando entro aqui e comento, e afirmo que sou Strega, pois a Stregoneria é familiar e fechada, mas sabe sou ousada em acreditar que existam coisas que nós não podemos explicar, assim como vampiros.
    Acho o seu blog divertido, honestamente não acredito que você seja mesmo um vampiro, mas não acho que vampiros estejam tão distante das inovações tecnológicas, acredito que alguns entrem aqui e leiam seu blog, se divirtam com suas histórias, e quem sabe leiam meus comentários.
    Sigo a tradição Aridiana, não faço o bem e nem o mal, faço o necessário para proteger a Grande Mãe (vulgo “natureza”), e para isso os fins não justificam os meios.
    Se você é um vampiro mesmo conhece os Strigoiul, vampiros italianos, um deles em especifico Lucius, bem famoso no meio, e é ele que eu quero que veja isso, por que duvido e muito que você o conheça, e nem eu o conheço ao certo, mas ele me conhece muito bem.
    Outros que espero encontrar são Ladislau, Taddeo, Mazzimo e Michelina, por motivos que vão muito além da sua compreensão. Se vampiros entram aqui e leem isso, e conhecerem esses mandem meu recado: eu quero de volta!
    E que você não estuda é fato: se tiver 20 anos já um analfabeto, imagina se tiver 300… tsc tsc…o mínimo era escrever sua língua direiro.
    Gatinho presta atenção, você nos chama de vadia, por que a primeira bruxa que aparecer na sua frente te desmonta, nós somos lindas, nosso cheiro é divino, e nosso sangue é como o melhor dos vinhos, o meu moço lindíssimo dizia, que quase se sentia comendo pessêgos quando cheirava meu pescoço…mas o meu sangue nenhum vampiro jamais terá, e isso é o que mais me excita…escutou Lucius?
    Beijos Gatinho, estou a sua disposição para te tornar um pouquinhos mais “culto”.
    E outra coisa antes eu não tinha te criticado, e agora eu apenas te usei!

    • Galego disse:

      É engraçado quando vejo alguns comentários como este seu Carmina… Lembro-me da fragilidade humana e de como ser vampiro nessas horas é bom. Seres místicos ou que possuam poderes vivem a eterna luta da sobrevivência. Uns defendem seus deuses, suas crenças, suas histórias e outros simplesmente sobrevivem. Entenda sobreviver como a eterna luta contra a morte, por mais que tenhamos diversas sociedades, por mais que tenhamos brigas lutas e tudo mais, no fundo o que queremos mesmo é poder viver cada momento como se fosse o último. Eu não fico chateado com seu jeito de pensar, acho seus pensamentos reprimidos, liberados aqui, meigos e de certa forma sexy. Conte-nos mais as suas histórias, meus leitores estão gostando dessa linhagem Italiana… Mas sempre se lembre de quem comanda a relação o cavaleiro ou o seu cavalo?

  3. Carmina disse:

    Você é esperto mesmo, e eu também gosto disso…e aqui é sua casa, portanto apesar de meu sempre impulso de estar no comando, respeitarei suas regras, ok?
    Cada vez que vc me manda uma resposta fico mais encantada com vc, pode não ser vampiro, mas tem jogo de cintura, e faz o papel com muito talento, só precisa melhorar o português.
    Por que procurei seu blog: a muito tempo atrás, quando as regras do mundo eram outras, e quando a sobrevivência era segundo plano a evolução, seres incríveis habitavam a terra, vampiros e bruxas se ajudavam, e possuíam conhecimentos em comum, nessa vida acredito que encontrei vários vampiros, eles me deram pistas do meu destino, do meu caminho mas nunca realmente “deram as caras”, bom, se o mundo evoluiu, por que os vampiros tb não evoluiriam? Não é mesmo…sei que algum entra aqui, e tem curiosidade sobre o que se diz sobre sua raça e sua vida e talvez vejam meus comentários, vejam que estou os expondo, já esta na hora, das relações se acertarem novamente, Lycans, vampiros, bruxas e stregas…veja como anda o mundo.
    Il Succhiare, os Strigoiul, dizem que possuem algo que já foi meu, há muito tempo…
    Mas sobre a linhagem italiana…bom vc falou sobre ser bom ou mau, na Stregheria, isso é mais complicado, “mau” para nós é aquele que usa seus dons em beneficio próprio, bom é aquele que protege a “famiglia”, a Grande Mãe. Isso é denominado como Benandanti e Malandanti. Isso não quer dizer que se no meio do caminho for necessário a gente não vá fazer algo de “mau”, como te falei na nossa batalha, os fins não justificam os meios, mas bom e mau também é uma questão de ponto de vista, vc não concorda?
    Pois é Gatinho, depois de falar tanto, já estou com o “pescoço a prêmio” seja na minha congrega ou com os succhiare…veremos no que isso vai dar, mas pode guardar suas presas, não estou aqui para te atacar e agradeço por permitir que eu use seu espaço, como forma de gratidão, te dou essas preciosas informações sobre aqueles que vc considera “inimigos”, mas que podem ser mais amigos do que vc imagina…
    Beijos gatinho e até logo! ;P

    • Galego disse:

      Então bruxinha, juro que sempre mantenho meu Word atualizado, mas ficarei mais “ligado” no português…
      Falasse em deixar o teu pescoço à mostra, sei bem como é isso, mas acho que é tudo questão de fazer as coisas que queremos. Se fazemos é por que podemos, não ?
      Gostei do que falasse sobre o teu clã, quanto à questão: bem x mau. Sabe que penso parecido? Há muito tempo eu me isolei do que é tido como famiglia, sou o que pode ser chamado hoje de independente. Liguei o “foda-se” e corro o mundo em busca de novos conhecimentos.
      Que bom que estou encontrando gente que me entenda…

  4. Nan disse:

    Sou novo aqui e acho que você sabe, mas estive fuçando nas fotografias e realmente elas são ótimas, passei mesmo para verificar se tinha mais algum post novo, mas mesmo não tendo pude ler os comentários.

    Té mais .

  5. Glória disse:

    Não tinha lido o textos inteiramente que escreveu Carmina. Passei por eles rapidamente, mas agora cai chuva lá fora e como não posso me molhar no momento retenho-me a este lugar e a ter mais tempo e li o que ela pôs.Ela tem a razão em muitas coisas da forma que também as concebo ( perdoe-me a cacofonia) e traz informações interessantes. Há algo de oculto, mas isso só diz respeito a ela no momento, não é Sr. Galego?Portanto certos julgamentos talvez sejam precipitados. Foi bom você (Sr. galego) ter-me aberto os olhos para ela, ou melhor, para o que diz ela… interessante. Mas que existem bruxas e magos malígnos, sem e com essa história de bem x mal, ah existem e fazem mal a muitas simples pessoas por aí, isso fazem. Disso eu sei.

  6. Glória disse:

    Não quis dizer as bruxas pagãs em geral nem as da Carmina, conheço-as, já participei do seu mundo, mas outras que assim também se denominam e cujas características são as que citei.

  7. ingred alves disse:

    Bom que você saiba diferenciar as bruxas más das boas,,eu espero que sim,,existem varios tipos de bruxas ,e é levado um bom tempo para estudar cada uma delas,,tem de gostar mesmo…
    Bjocass