Caso policial: Sacrifícios diabólicos

Na semana passada meu ex-cunhado, o delegado e irmão de Beth, me ligou contando sobre um novo caso. Sempre que vejo seu nome na tela do meu smartphone, meu lado investigativo se expande e inevitavelmente eu abro um “sorrisão”. Então de imediato atendi e deixei que ele falasse, pois nossa última ação juntos não havia sido muito boa.

– Ferdinand, preciso da sua ajuda em um caso extra oficial… Tais aqui perto? Acho melhor falar contigo pessoalmente…

O papo foi rápido, ele não tocou em assuntos passados, mas assim que me resumiu parte da ação, eu larguei tudo o que fazia e fui ao seu encontro. 20 minutos depois e lá estava eu encontrando o delgado no pub. Cumprimentamos-nos, fizemos aquela troca de palavras básicas: “Oi, como está, quanto tempo, tudo bem…” e depois de alguns minutos ele me apresentou uma pasta com fotos. Uma simples ação que bastou para que meu demônio começasse a dar o ar da graça. Nas imagens várias meninas mortas com idade aproximada de uns 5 anos e com indício de tortura. O pior é que não eram torturaras daquelas normais, mas sim algo que certamente envolvia o mundo sobrenatural.

– Muitas delas foram marcadas com ferro quente e o que nossa inteligência descobriu é que estas marcações seguem uma continuidade. São na verdade letras gregas, que inclusive nos fizeram chegar à palavra “Typhon”, que significa algo como “A personificação de satanás”.

Somente por ouvir tal nome meu corpo se estremeceu. Ainda mais depois de tudo o que houve com Eleonor e aqueles malditos seguidores das trevas. Dizem que atraímos certas coisas somente por pensar e lá estava eu, novamente envolto em mistérios relacionados a um bando de babacas, que curtem falsos ídolos diabólicos.

Resumindo, eu peguei o máximo de informações que ele possuía e chamei Julie. A curiosa morena, não hesitou e depois de algumas horas apareceu num dos meus apartamentos. Trocamos aquelas deliciosas caricias e já perto do amanhecer lhe apresentei o caso das meninas torturadas.

Ela ficou chocada com as fotos e ao ouvir o nome “Typhon”, também sentiu seu corpo se estremecer. Esta palavra, aliás, é muito abrangente e digamos que o corpo dela se arrepiou por inteiro em meus lençóis ceda… Então, depois das primeiras avaliações Julie ligou o notebook e fez alguns contatos e pesquisas, chegando inclusive há alguns suspeitos. Estes, aliás, próximos daqueles que o delegado havia me passado.

Perto do meio dia decidimos descansar um pouco e na noite seguinte fizemos as primeiras buscas. Fomos de carro, pois não sabíamos o que iríamos encontrar e com um veículo blindado, afinal com segurança não se brinca. Dirigi por mais ou menos uma hora até uma cidade do interior e para nossa sorte, não havia nenhuma alma viva circulando por aquelas ruas geladas. Julie era minha navegadora e se deparar com uma rua ela me disse para ir mais devagar. Perguntei o que era e ela me disse que havia sentido alguma presença.

Depois de ouvir sua descrição eu parei o carro próximo a um terreno baldio e lhe perguntei se dava para sentir de onde vinham tais sensações. Foi quando ela fechou os olhos por um instante e depois os reabriu, apontando de imediato para uma casinha modesta de dois pavimentos ao nosso lado. Por mais que nesses momentos meu demônio sempre me sugira entrar quebrando tudo, eu preferi abrir um pouco o vidro do carro para em forma de névoa.

Esta forma de névoa em que eu me transformo é invisível aos olhos humanos e o máximo que um filho de adão pode sentir, é uma brisa um pouco mais quente, caso eu passe por perto de seus corpos. Geralmente é o meu melhor disfarce, salvo às vezes em que não estou lidando com algum sobrenatural, que possivelmente poderia me sentir ou ver…

Adentrei a casa pela janela do banheiro e entre uma fresta ou outra eu chegue até um dos quartos. Um adolescente dormia e aparentemente não apresentava nenhum perigo. Sai então em busca de mais indivíduos e achei outro quarto onde estava uma menina naquela faixa dos 5 anos e que também não me transmitiu nada de estranho.

Só me restava o que seria o quarto dos pais e lá fui eu, porém para minha surpresa me deparei com uma espécie de barreira mágica, que impediu minha entrada. Obviamente aquilo me deixou curioso, mas me contive e sai novamente da casa para tentar a janela. Para meu azar o tempo estava fechando, alguns raios insistiam em fazer muito barulho e ventos fortes começaram a dificultar minha locomoção. Mesmo assim usei toda minha força e consegui me aproximar da janela, fiquei por ali tentando achar alguma brecha entre as cortinas, quando levo um susto.

Um homem com 40 anos aparentes e uma longa barba castanha escura abriu a janela. Ficou por alguns instantes olhando ao redor, como se estivesse procurando algo (eu) e na sequencia fechou tudo. Sua feição denotava preocupação ou raiva e de alguma forma sua imagem ficou gravada em minha memória.

Tratei então de voltar rapidamente para o carro e lá estava Julie tremendo. Ela estava quente, algo praticamente impossível de ser ver num vampiro e depois de me ver novamente na forma humanoide, me falou para sairmos o mais rápido possível daquele lugar. Não hesitei e à medida que íamos nos afastando do lugar, Julie aparentava ficar melhor. Ela não soube dizer o que estava acontecendo, mas era claro que havia sido enfeitiçada por alguma magia de proteção.

De volta ao meu apartamento mandei uma mensagem para o delegado, que me respondeu dizendo que iria mandar uma viatura vigiar o lugar. Em função de minha transformação e do ataque sofrido por Julie resolvemos descansar. Lembro que durante aquele dia eu não tive um sono muito agradável e inclusive fui acordado por uma ligação. Era novamente o irmão da Beth, que queria me informar mais uma morte… A menina que eu havia visto na casa durante a madrugada…

Continua!

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil.

Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos.

Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: https://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

40 Resultados

  1. Nando. disse:

    Nossa fiquei tipo, de boca aberta, adorei o jeito que descreveu o que aconteceu, me senti ali na cena como se eu pudesse vê-la do mesmo ponto de vista que você viu. Com certeza essa história vai ter uma continuação muito boa e espero que poste logo porque curiosidade mata Galego…
    “Ficou por alguns instantes olhando ao redor, como se estivesse procurando algo (eu) e na sequencia fechou tudo.”
    Cuidado hein, essas coisas são perigosas, e colocando uma observação aqui… Não sabia que vampiros podiam se transformar em névoa :O

  2. Safira_Noturna disse:

    Boa Noite, Nando. Como vais?

    Excelente conto. Estou curiosíssima para ler a continuação. Enquanto isso não acontece, estarei aqui tentando adivinhar a continuação da ultima frase(e da história)

    Poderia ser: ” A menina que eu havia visto na casa durante a madrugada…” seria a próxima vítima…? 😉 rssr

    • Allice disse:

      Bem, pelo que conseguir entender “A menina que eu havia visto na casa durante a madrugada” é a menina de 5 anos!
      Mais tipo, não acredito que aquele Idiota matou uma criança!
      Tipo, to imaginando a cara do Galego aqui!!
      Sera que o Franz e a Eleonor sabe?!
      E o Georg?!
      Rsrs

  3. Allice disse:

    Meu Deus, agora qm se estremeceu toda aqui fui euzinha!!
    Tipo, tava fazendo um livro (outro pra varia…) qndo li o recado q a Safira me mandou avisando do nova História!
    Larguei tudo e vim ler e, tipo, Mais uma poesia veio a minha cabeça!

    Mais, perai o Srito Galego, n sabia q tu se metia em casos policiais!
    Legal saber disso, e, to até desconfiada de qm é o tal “Assacino” e, pelo visto tu ta bem, hãã, chocado e com Raiva desses fatos não é mesmo?!
    Rsrsrs
    Tomara de que encontre o salafrario!

  4. Hellena Lamonier disse:

    Nuss… agora CSI Brasil !!!

  5. Nando. disse:

    Caramba precisamos investigar kkkkkkkk CSI Brasil foi ótimo Hellena, também não acredito que o cara matou uma criancinha que coisa horrivel, vamos aguardar ansiosos a continuação \o/

  6. Jeferson Andreoli Hayashi disse:

    WOW Gostei do Caso policial: Sacrifícios diabólicos…..

  7. Hellena Lamonier disse:

    “falsos ídolos diabólicos.” a fé de um ser humano move montanhas e cria seres que a partir de então começam a existir e atuar e eu acho em minha ingenuidade hibrida que não existe falsos, só menos conhecidos e com baixo nível de poder e casta 😀

  8. Allice disse:

    Entendi nadaaaaa o papo ali de cima!

    • Hellena Lamonier disse:

      Tu não entendeu?! porque se humanos depositarem sua fé em um espirito qualquer ele começa a se tornar poderoso e a atender os pedidos feitos seja divino ou uma entidade do inferno, entendestes agora? 😉

  9. Beleza Eterna disse:

    Maravilhoso querido vampir *.*…caso terrivel …
    Espero continuação ;*…

  10. Allice disse:

    FEFÊ!!
    Só passei pra flar q a poesia q disser lá em cima, ta QUASE pronta!
    Vai sair no meu 3º livro, pq, esse agr (2º livro) deixei para o Rock N’ Roll!!
    Ela esta QUASE pronta pq tenho esperar a continuação da história, e, esta baseada, alem da histórias nos Comentarios!!!!

  11. christb17 disse:

    Estou anciosa para a continuação! 🙂
    Gostei da forma de névoa que adentrou sorrateiramente à casa.
    xoxo

    • Allice disse:

      Eu tbm!!
      Esse negocio de transformar em Névoa ta pirigoso já….
      Rsrsrs

  12. ChetFriedrichAlighieri disse:

    É uma pena que uma história tão cativante tenha sido feita a partir de sangue inocente derramado… Nós apreciamos os contos, mas para eles serem criados tais fatos precisaram ocorrer não?
    Acho que , se eu puder ser honesta, minha parte preferida será quando o assassino for brutalmente exterminado…com um pouco de tortura antes, sim? Já que como eu disse em um outro post, a morte é uma benção.

  13. fabiana lee disse:

    nossa ! crianças que coisa tão cruel, chocante. eu , pergunto … até aonde a crueldade e a violencia vao chegar … bem o ser humano está perdendo a humildade ea humanidade pra com os outros , e eu so me pergunto… aonde isso os levará ? isso sinceramente não sei mais realmente é algo muito triste

  14. GiuliaChrs disse:

    Matar uma criança é covardia e mostra um grande desvio de caráter. Fanatismo, seja que tipo for, leva à loucura, e convenhamos… Quem faz mal a uma criança só pode ser louco. Quanto ao nome “Typhon”, me lembra o deus egípcio Set. Num rpg, há um clã de vampiros vindos do Egito que se dizem Seguidores de Set (ou Setitas). Alguns chamam de Typhon Set. Outros chamam de Seth… Enfim, acho que a maioria dos frequentadores desse site deve saber do que estou falando. Achei bem interessante, o conto. É instigante. Quanto ao fato de vampiro poder virar névoa, eu já sabia. Pelo menos nisso os jogos de videogame acertaram, em relação a vampiros (falo de Castlevania, onde o Alucard vira névoa). :p

  15. fabiana lee disse:

    seht seria o treceiro filho de adao e eva , pois é o que dizem as escrituras , será que as pessoas ainda crêem ou tem a lusão que caim foi o primeiro vampiro pois seth está realcionado, pois ele foi um dos irmaos de caim e abel ,não sei se isso tem a ver uma coisa com a outra mais é somente pra fazer uma observação…. porque me soa muito com coinscidências paralelas….. bijokas

  16. Filipe disse:

    n sei mais já li em umas noticias da net q os vampiros são ciação de Lilith a primeira mulher de Adão. n sei se é msm mais se vc poder esclarecer isso Ferdinand eu ficarei agradecido eu ostaria de sabr suas origens e tb de qual pais vc era antes de ser transformado n sei se vc ja botou em alguma postagem mais ainda n vi todas.

  17. Nicole disse:

    Lendo essas histórias me dá vontade de ser vamp também

  18. Mordred Ortiz disse:

    Já estudei sobre esses tipos de rituais, mas não tenho coragem de fazer, não

  19. fabiana lee disse:

    é fato mais também sizem se vc morrer com o sangue do vampiro em seu organismo vc vira vampiro , digo sem vc ter sido mordido , isso pode acontecer fer? gracias !!1