De volta a uma rotina nada normal – Final

Dias e noites se passaram, e Lorenzo agraciava-me com sua companhia. Eu que sempre me senti satisfeita com a solidão e sempre fui auto-suficiente, ao final, sentia-me alegre com essas novidades.  Lorenzo estava sendo um ótimo Ghoul e percebi que de certa forma, ele já não precisava ficar trancafiado comigo em meu apartamento, sua “dependência” já era o suficiente para fazê-lo ser fiel a mim, sem que precisasse ser literalmente um prisioneiro. Já sentia um carinho por Lorenzo, a ponto de querer vê-lo bem, tendo uma vida o mais normal possível, e pensava que talvez no futuro, quem sabe, se eu não me cansasse dele, ele poderia sim ser minha cria e meu companheiro eternidade à fora.

– Rebecca, eu tenho mesmo que ir?

– Claro meu querido, é melhor é assim. Venha me visitar sempre, e não fale nada sobre mim para sua família.

– Não falarei nada. Contarei sobre a surra que levei e inventarei uma história, contarei que fiquei na casa de estranhos que me acolheram, em um lugar isolado, até que eu melhorasse para ir embora.

– Exatamente. Só espero que acreditem. – Falei gargalhando.

– Confie em mim, minha vampirinha sádica preferida! – Falou brincando.

Dei um beijo em Lorenzo. Piscando para mim ele partiu olhando para trás e dando tchauzinhos de vez em quando. Pensei em quanto ele era bobo, às vezes até fazia-me sentir uma humana novamente e ao mesmo tempo lembrava-me de minha perversidade de vampira, quando eu o dominava. Parecia ser um equilíbrio perfeito para mim. Alguns dias depois Lorenzo reapareceu para uma visita, saímos juntos e nos divertimos.  Nos encontrávamos com frequência. Mas, um tempo depois passei a preocupar-me. Fazia semanas que não aparecia. Eu ligava em seu celular, mas não atendia.  Fui ao seu bairro durante algumas noites, tentar encontrá-lo de longe e observá-lo, nenhum sinal. O que havia acontecido com Lorenzo? Já estava tomada pela fúria, ao imaginar que ele havia fugido. Mas, aquilo não era possível. Pelo menos certeza de que meus segredos estavam guardados eu tinha.  Depois de uma dessas tentativas, na volta para casa, parei em um pub para beber algo e pensar. Liguei para Pepe, e ela ficou de tentar localizá-lo pelo sinal do celular. Por um instante pensei que se ele fosse embora, seria melhor e se Pepe não o encontrasse eu deixaria toda aquela história de lado. Era melhor mesmo não me apegar a nada assim. Mal terminei minha conversa com Pepe e então, meu celular toca. Era Sophie.

– Olá Rebecca. Eu… Eu preciso falar com você urgentemente. Onde está?

– Oi… Nossa o que foi? Vou encontrá-la, fique calma.

– Está bem.

Encontrei Sophie na frente de meu prédio esperando. Parecia visivelmente nervosa. Aquilo era muito estranho. Quando cheguei ela olhou-me arregalada, veio correndo em minha direção e chacoalhando-me pelos ombros dizia desesperada:

– Você o matou não o matou? Diga-me que o matou!!!

-Para com isso! Matou quem? – Falei empurrando-a.

– Ele Rebecca! Está de volta! Eu o vi.

Respirei fundo. Ela estava histérica. Tive que acalmá-la e levá-la para cima. Para a idade que tinha, parecia uma criança amedrontada. Dei uma dose de conhaque a ela. Até então, eu não havia entendido nada do que estava acontecendo. Sentei ao seu lado, e com um esforço enorme para demonstrar paciência perguntei:

– Sophie, me diga devagar. O que está acontecendo. De quem você está falando.

Ela olhou para mim como quem diz “Sério que você não sabe do que estou falando?”. Gelei. Não era possivel. E o vi queimar e virar cinzas. Só podia ser brincadeira…

– Eu o vi Becky. Estava aqui na frente olhando para o seu prédio, quando cheguei. Não era alucinação e…

Enquanto ela falava desenfreadamente, meus pensamentos me levaram para longe. Seria possível? Talvez o sumiço de Lorenzo houvesse uma explicação…

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Ana Julia Petrova disse:

    Meu deus….. Como assim?! Ansiosa para próxima história!

  2. fhal disse:

    Oh God, ele nao morreu. Uhuuu estou de volta, consigo falar com vcs de novo. Küss schatz. Fhal

  3. (w) Rebecca W. Erner disse:

    Huahuahua Calma meus queridos, as vezes as coisas não são o que aparentam ser 😉
    Muitas surpresas virão. Em breve! Beijocas.

  4. O observador disse:

    oi rebecca, td bem? oq será q aconteceu com o lorenzo? o psicopata ta vivo? se ele estiver, chame o frederick pra brincar com ele um pouco #ficadica ushaasuhusahusahusahahsahu esperando o proximo post, bjos