Eleonor Dolores Vantré

Eleonor faz questão de esconder, junto de suas piores recordações, o ano exato em que tudo aconteceu. Porém, ela não esconde detalhes do lugar, cuja sua vida fora transformada para todo o sempre…

A noite de chuva torrencial havia espantado praticamente todos os clientes habituais, que pontualmente vinham todas as quartas-feiras prestigiar o show da popular señorita Vantré. A casa ficava no que hoje é conhecido por bairro Gótico, e se assemelhava e muito com a popular Moulin Rouge de Paris. Inclusive Eleonor se lembra muito bem do tal Sanches, o dono do lugar. Um velho gordo, de olhos azuis, que sempre usava a mesma cartola marrom e era conhecido em toda a Barcelona por seus métodos não convencionais de obtenção de favores. Ou era o que ele queria ou a sua faca sempre afiadíssima percorria o pescoço de seus antagonistas.

Em meio a este contexto de vida, vivia Eleonor, uma garota que desde cedo aprendera a usar seu charme e sensualidade para conquistar os homens e o que mais tivesse necessidade. Saíra cedo do convívio da família em busca de novas expectativas de vida e como ela sempre diz: “Foi a melhor coisa que fiz depois de experimentar sexo a três”…

Eleonor morava no próprio lugar em que fazia seus shows e o por esse privilégio, deixava no bolso de Sanches boa parte do que lucrava nas apresentações ou nos “programas”, que eventualmente fazia com os poucos ricos que ainda circulavam por aquela região. Por se tratar de alguém com gênio forte, que às vezes passa certo ar de teimosia, Eleonor é alguém difícil de lidar. Sanches que o diria, pois sempre desejou muito a morena de olhos azuis, pele clarinha e sangue caliente cigano.

Nesta fatídica noite em que Eleonor teve sua vida revirada, ela havia descansado pouco. Estava nos “dias vermelhos”, como algumas mulheres definem tal estado do corpo e com isso seus nervos estavam à flor da pele, junto das cólicas. Sanches, ao contrário, estava numa noite boa e até havia permitido que ela descansasse. Porém, como a bela e teimosa morena precisava de mais dinheiro para fazer o pagamento do aluguel daquele mês, hesitou o descanso e resolveu trabalhar assim mesmo.

No exato momento em que a striper conversava com seu cafetão um grupo de amigos se preparava para sair de casa. Alberto iria se casar no final de semana e os amigos resolveram lhe levar para a tal casa onde Eleonor trabalhava. Junto deles, porém o que nem a morena ou os amigos da despedida imaginavam é que Georg e Franz estavam em busca de problemas nesta mesma noite fatídica.

Eleonor geralmente ficava em seu quarto até poucos minutos antes do início dos seus shows. No entanto, naquela noite em função das muitas cólicas, ela se obrigou a beber algumas doses de Rum, pretendendo assim aguentar noite adentro. Ela conversava com uma de suas colegas quando o grupo de Alberto, cerca de cinco jovens adentrou o recinto. Alguns dos rapazes já estavam visivelmente embriagados e praticavam o popular: “sou Fo** e quero todas”. Nesse sentido eles abraçaram e beijaram várias meninas no caminho até a mesa em que decidiram se sentar. Para a sorte de Eleonor e de sua colega, os jovens não as viram e isso lhes garantiu alguns minutos a mais de sossego, antes que pudessem pegar de verdade no batente.

Eleonor estava no backstage quando Georg e Franz chegaram. Como sempre muito discretos, eles apenas procuraram uma mesa, ignoraram o garçom e enquanto nenhuma menina subia ao palco, eles trocaram algumas palavras um com o outro. Ambos estavam com fome e por que não apreciar algumas stripers antes de caçar? Essa sempre foi uma das teorias de Franz, que, aliás, quase sempre nos convence facilmente.

Pontualmente a uma da manhã Eleonor subiu ao palco. Ninguém prestava atenção naquele canto escuro, até que o violeiro começou a tocar algo novo para época e que hoje se assemelharia muito ao popular Flamenco.

Trajando um vestido longo e preto com detalhes de bordados vermelhos, a estonteante morena deixou todos boquiabertos. Inclusive os dois Wampir, que sentiram de longe o perfume dos “dias” da striper. Bastou apenas um olhar e Franz vira naquela morena algo além das castanholas e rebolados. Georg também se sentira muito atraído pela jovem, que nesta época estava no auge dos seus 23 anos.

No entanto, antes mesmo que qualquer um deles pudesse lançar seus poderes na intenção masculina de atrair a fêmea. Todos foram surpreendidos pelos gritos eufóricos dos jovens da despedida de solteiro… “Muy caliente”, “¡Mira que chica tan guapa!”… E os ânimos explodiram ainda mais quando a espanhola resolveu tirar sua roupa.

Os dois seguranças que vigiavam a porta não foram suficientes para conter o grupo de Alberto, que na empolgação o jogaram para cima de Eleonor. Inclusive se não fosse à prontidão da morena, ambos iriam ao chão. Neste mesmo instante Franz, que observava tudo atentamente chegou a se levantar, mas fora contido por Georg.

Iniciava ali o verdadeiro terror que Eleonor já estava acostumada, porém, sempre temia. No fundo ela sempre gostou de ser desejada, no entanto, quando há mais de um homem eufórico em cima de uma mulher, ela não pode fazer muito mais além de apenas aguentar como puder.

Alberto tentou improvisar uma dança com Eleonor, mas no fundo ele apenas desejava aquele corpo quase nu e seu instinto não se conteve e suas mãos percorreram todas as partes da jovem. Eleonor tentava agir como sempre, mas quando o futuro noivo a beijou na boca ela fora surpreendida por um “coice no útero”, que lhe fez morder com um pouco mais de intensidade a boca do mancebo.

Como reação Alberto não se conteve e enquanto Eleonor se contorcia ele desprendeu um tapa com as costas da mão diretamente no belo rosto da morena. Com o impacto inesperado Eleonor caiu por cima do violeiro e por consequência ficou de joelhos ao seu lado, iniciando um breve pranto.

Georg ao perceber os pensamentos de Franz e ao contrário da outra vez não o conteve. Iniciava ali uma briga fora do contexto, algo que certamente renderia uma boa cena de ação em qualquer filme do gênero.  Cadeiras, mesas e corpos voam para todos os cantos, até que depois de alguns minutos o que podia ser visto era um cenário com a mais perfeita destruição. Nem mesmo os seguranças ou a faca de Sanches contiveram os dois vampiros possuídos por seus demônios.

Nem mesmo Eleonor fora poupada e estava desmaiada ao chão em função de uma garrafada em sua cabeça. Franz voltava ao seu normal quando a percebeu, ele poderia tê-la deixado desfalecida como já o fizeram em outras situações, mas algo em seus pensamentos era atraído pelos lábios carnudos da striper.

Com o consentimento de Georg ele colocou a morena em seu ombro e em meio à chuva que ainda não cessara, voltaram para o hotel no qual estavam hospedados. O caminho até o lugar fora feito de carruagem alugada, que eles conseguiram a algumas ruas de distância do bordel.

Cerca de trinta minutos depois eles passaram tranquilamente pela recepção do hotel praticamente vazia. Apesar de carregarem o corpo de uma mulher seminua e toda encharcada, o recepcionista fora convencido facilmente pelos poderes mentais de ambos os Wampir. Já no quarto, Franz repousou Eleonor na cama e iniciou uma conversa com Georg. Neste papo eles discutiram as possibilidades sobre Eleonor e ao fim da noite Georg se convenceu de que uma mulher seria muito útil ao seu clã. Uma bela mulher com toda a manha de uma prostituta, certamente faria toda a diferença naquele clã que estava apenas no inicio de sua formação.

A transformação de Eleonor ocorreu depois de alguns meses, no qual ela teve de provar sua lealdade e habilidades aos dois Wampir. Inicialmente ela fora transformada em Ghoul e ao contrário do dia em que os dois senhores da noite entraram em sua vida, a sua transformação ocorreu bem tranquila. Era noite de primavera e como ela romanceia, o perfume das acácias foi o último cheiro que ela sentiu antes de morrer.

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: http://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

55 Resultados

  1. Jonatan disse:

    A história da Eleonor é impressionante, na verdade a história de todos vcs Wampirs daria um ótimo filme, seria mto legal se vc fizesse um vampirocast com seu clã, qm sab um dia :D.

  2. Beleza Eterna disse:

    Que bela história heim !Adorei como sempre.
    Conheço bem esses tipos de acontecimentos ¬¬.
    Ainda tento descansar de noites agitadas quando posso.

    Beijos a todos =)

  3. dorivania disse:

    Hoje, temos garotas de todos os tipos, para todos os bolsos, gostos e fantasias, mas não se fazem mais Damas da Noite como antigamente.Ir a um cabaré nem sempre significava buscar sexo pago. Freqüentava-se cabaré para beber, conversar com os amigos, com as meninas da casa, ver um show, enfim, para se divertir e relaxar. Ao final, você poderia voltar para casa de espírito mais tranqüilo e sem necessariamente ter chegado às vias de fato…

  4. Espero que tenham apreciado.
    Ferdinand fora um tanto indelicado ao falar do modo como eu me sustentava. Mas isso são águas passadas, não é?!
    Mesmo por que eu ainda tenho todo o charme e competência daquela época.

    • Mil perdões mein lieber, as vezes eu preciso me cuidar mais. Conforme eu comentei antes no Twitter. O português não anda do meu lado :/

    • Emilly Sous disse:

      Sua história é muito intrigante Eleonor,mas muito lgl,tento descobrir o que vc passou dentro da minha cabeça,mas são fatos além da minha imaginação…..Por enquanto.

    • Aeron disse:

      É realmente uma história… fascinante.
      Eleonor, você parece ser uma mulher forte. Eu aprecio isso.
      Deve ter sido emocionante ser dançarina, não? Principalmente naquele tempo…
      Não tenho a menor dúvida de que tenha mantido o charme. ^.~
      ~//~

  5. site muito bom..

  6. Doombringer disse:

    Essa história me relembrou de um sonho antigo de me juntar a um grupo de dança e sair fazendo apresentações pelos quatro cantos do mundo…
    Não é algo totalmente impossível, sabe?

  7. Jonatan disse:

    Q história impressionante hem Eleonor, naum tenha vergonha do seu passado, acredito q nenhuma pessoa desse mundo teve um passado maravilhoso, nem eu tive 😀

  8. fabiana lee disse:

    É verdade jonatan não devemos ter vergonha do nosso passado pois é dele que tiramos conclusoes de como deveremos agir futuramente repensar no que erramos pra podermos corrigir e sermos melhores agora ……..

  9. (w) Maximilian Franz Henzollern disse:

    Cara irmãzinha, és tão esplendorosa quando resolves voltar aos velhos tempos, sua voz e toda sensualidade de seus passos em uma pista ou palco de dança não podem ser esquecidos por alguns de nós, imagine o efeito nos mortais.
    Á saudade daquela época…

    Kisses
    Franz

  10. fabiana lee disse:

    Finalmente no agracia com sua nobre presença franz ? Há quanto tempo nao apareces? Vejo pelo que tenho ouvido que estás a se divertir muito , pois digo que nao há nada melhor do que se destrair ……. Blod kisses

  11. Raphael Lan... disse:

    Sou um Novo User deste Site/Blog, Ferdinand Tem como me passar o seu MSN? Ou Adicionar o meu? ( brother_raffa@Hotmail.com ).
    Ok Ok não li as regras e não sei se é permitido ou não passar Emails, pois Bem se nao for permitido só Ferdindand vai ler mesmo, e moderadores também =/ Ok Até Mais.

    Belo Post.

    o.O Jovem Em Busca De Conhecimento.

  12. fabiana lee disse:

    Bem vindo raphael fique á vontade para dar sua opiniao , bem nao eo ferdinand mas ach que está valendo nao e mesmo?

  13. Jonatan disse:

    Seja bem vindo raphael, é bom te-lo aki conosco 😀

  14. Lilith disse:

    Boa Tarde à Todos!
    Depois de muito acompanhar, resolvi aparecer por aqui…
    Parabéns pelo site!
    Beijos.

  15. Lilith disse:

    Obrigadinha Ferdinand pelas boas vindas ^^
    Famosa? rsrs Nem tanto! 😉
    Bela História Eleonor, achei muito fascinante!
    Beijos.

  16. fabiana lee disse:

    Bem vinda de volta lilith

  17. Beleza Eterna disse:

    Oi Galego =)
    Porque ”di Vittore” ?

    Bjsss

  18. di Vittore é sobrenome de família também. Não é numerologia não rsss

  19. Beleza Eterna disse:

    hehehe que chique =)
    entendi rs.

    bjssss!(qria + um vampirocast rsrs)

    =)

  20. Samuel Heiderich disse:

    Saudações às damas e cavalheiros,
    Primeiramente, dou minhas boas vindas ao cavalheiro Raphael Lan… e às damas Lilith e Beleza Eterna.
    Respondendo ao questionamento do Senhor Ferdinand, eu utilizo para o externo, por assim dizer, o que chamam de MSN. Contudo, para conferências e outros assuntos, utilizo uma ferramenta com Internet Protocol privado.

  21. fabiana lee disse:

    Ferdinand agora quem pergunta sou eu, e wulffdert? Podes me dizer porque achei bem incomum e passa muito poder quando pronunciado… Achei bem elegante perfeito para cavalheiros como voce…….. Blood kisses

  22. Lilith disse:

    Bom dia Mortais e Imortais!!
    OBrigada Samuel!
    Ah Ferdinand eu uso MSN sim, e gosto muito ainda.
    Acho muito bonito e diferente todos esses nomes, no meu ponto de vista, combinam com seus donos 😉
    Beijos.

  23. Baronesa disse:

    Que história. Gostaria de ler essa versão na visão de Eleonor, deve ser fantástico também.

  24. Beleza Eterna disse:

    Oii!
    Obrigada pelas boas vindas Samuel Heiderich =)
    Eita galego, minha pergunta sobre seu nome causou turbulencias rsrs
    Que como disse a Fabiana Lee, tbem concordo que é um nome muito elegante. 😀

    Bjsss

  25. Baronesa disse:

    concordo, o nome é muito bonito mesmo.

  26. fabiana lee disse:

    Olá á todos buenas tardes como passam ?

  27. BaronesaSonhadora disse:

    Primeira vez comentando depois de muito esforço kk Ah história é muito boa mesmo, e pelo visto Eleanor é sem sombras de dúvidas uma linda mulher.

  28. Lola Maria disse:

    Sem comentsss….

  29. Veronica disse:

    Querido Galego, se você realmente é um vampiro, diga-me: Como seus semelhantes ainda não o mataram por estar se revelando?

    Se por acaso esta pergunta já tenha sido feita anteriormente, por favor, mostre-me o link da sua resposta. Obrigada!

  30. christb17 disse:

    oioi gente! bom dia! Adorei a historia da Eleonor, Sr. Ferdinand, tenho passado por aqui bastante mas comentado pouco por estar sem
    tempo, mas estou adorando vosso blog.
    Bem vindo aos novos usuários também.
    Concordo com a maioria que o nome é bem bonito mesmo rs.
    Assim como o Samuel e lilith, existem usuarios de msn sim Sr. Ferdinand rs.

  31. Sejam todos bem-vindos novos membros. Agradeço novamente por gostarem da minha história polêmica, de quando ainda vivia. Adoro os nomes dos meus queridinhos também.
    Por falar em queridinhos, Franz não perdeu mesmo a oportunidade de comentar, “Dios mio”.

  32. Nefertiti Amen-hotep Lhenihan disse:

    Obrigadinha Eleonor, pelas boas vindas! Sua história é mesmo bem polêmica…rsrsrs adorei!
    Vc tbm tem um ótimo nome!
    Beijinhosss

  33. fabiana lee disse:

    Olá á todos como estão , já é quase um novo dia não é mesmo? Eleonor que bons ventos a trazem por aqui querida? E Frederick , Franz , e Sebastian como eles estão? Nunca mais vi comentários deles aqui no site , creio que devam estar bem ocupados , espero que eles reapareçam, pois fazem falta por aqui. E a propósito posso perguntar- lhe uma coisa ? O que achastes dessa foto que coloquei no meu avatar? Achastes que devo trocá-lâ? Não está mostrando muita coisa? Na minha opinião sim, queria saber a sua já que pelo que ferdinand disse que entendes destas coisas? Boa madrugada á todos, morfeu me espera para uma noite tranqüila de sono. Até

  34. Stephanie Montebello disse:

    Eleonor, polêmica e tremendamente esplendorosa!
    Dona de talentos indiscutíveis e uma sabedoria imensa!
    Só tenho a agradecer o maravilhoso tempo que tenho passado ao seu lado!
    Tenho aprendido tanto sobre esse tempo novo!

    A compreensão, o cuidado comigo e com a pequena Sophie, e tanto apoio em meio à mudanças drásticas .. só posso dizer OBRIGADA
    e desejar que essa amizade com minha Mestre Eleonor seja eterna como nós!
    😉

  35. Não a nada para agradecer, minha doce Stephanie. Faço por vocês apenas o que qualquer pessoa em minha posição faria.

  36. fabiana lee disse:

    Olá eleonor que bom saber que você é essa pessoa boa , que não é um monstro , ás vezes eu queria ser um ser sem sentimentos para poder me vingar de pessoas monstruosas , Sabes hoje quase meu amor ia perdendo a vida por um meliante infeliz que quase o matou. Além de ter roubado as coisas dele ainda bateu nele sem que eu pudesse fazer nada foi está noite mesmo em que escrevo, mais foi porque eu implorei para eles parassem porque só se sabe o que poderia ter acontecido . Beijos e boa noite

  37. Não sou toda coração, querida. Sou justa.
    Sinto muito pelo ocorrido, essa é a parte boa de ser uma criatura “morta”, como gostaria de me tornar justiceira e acabar com estes desprezíveis seres. Veja só, quem é o malvado da história mesmo?

  38. fabiana lee disse:

    É mais as vezes sinto que se eu fosse eu não sugeria minas mãos com certos tipos de pessoas afinal iria somente dar- lhes uma boa lição mais afinal eles não fizeram nada mais grave meu amor passa bem apenas com alguns hematomas … Bem terei de me retirar buenas noches querida … Hasta la vista..

  39. Existem coisas piores que a morte, acredite.
    Hasta luego.

  40. fabiana lee disse:

    Minha cara responda-me por favor o que seria pior do que morrer? . Para mim no momento seria tal questão , pois ainda mão encontrei algo que me fizesse ter mais medo do que isto por ahora entonces . Buenos dias carisma..

  41. fabiana lee disse:

    Devo endagar que este celular em que está em minhas mãos está a me deixar um tanto quanto nervosa. Porque eu escrevo um coisa e depois do comentário formado as palavras mudam completamente…… Hasta..

  42. Freya disse:

    Aprendendo um pouquinho mais sobre a querida Eleonor…
    História ‘muy’ interessante!

  43. Sr.Sweet disse:

    então ferdinand e franz também foram transformados por georg? pelo visto Georg é um vampiro extremamente forte

  44. Áquila G disse:

    Então essa é sua história srta Eleonor…é belo fora sua forma de trabalho,e o dia de sua transformação,se não se importas queria saber como foi sua transformação.

    • Áquila, gostaria de opinar quanto ao “forma de trabalho”. Depois que adquiri algumas casas junto de meu irmão, conheci muitas histórias das nossas “meninas” e posso te dizer com todas as letras que não desmereço mais o “trabalho” que elas tem. Muitas possuem histórias que certamente renderiam ótimos livros, então passei a respeitar o que elas fazem. Talvez alguma noite conte algumas destas histórias!

  45. Áquila G disse:

    Sr Ferdinand,não falei por mal,eu tb não desvalorizo o trabalho delas,ficou até a admirar as dançarinas de pole dance.
    E seria um prazer ouvir mais uma de suas histórias.

  46. Leidy disse:

    “Não importa o que você não tem, mas o que você faz com o que lhe foi dado!” (Autor-Não sei quem..)
    Saber que você Eleonor passou por tantas dificuldades e ainda assim se manteve firme só faz de você uma mulher mais forte do que todos nós aqui com certeza imaginávamos.
    E aos rapazes só tenho uma pergunta a fazer, não me levem a mal por favor.
    ‘Vocês entraram na briga somente pela linda e muy caliente señorita Vantré ou já estavam com vontade de descer o braço mesmo!?’
    kkkk
    bjs

  47. Allice disse:

    Bela historia da sua “ex” vida!!
    Olha, se alguem aq flar com o Renne, diz q eu preciso conversar com ele!!!