Escrito na escuridão

Depois de algum tempo, sem tempo para compartilhar com todos alguns artigos, fotos e poemas que vocês me mandam por e-mail. Surge abaixo um poema enviado pela Paola que resolvi compartilhar com todos, por conter belas palavras e que tem tudo a ver com o espírito das coisas que já existem nesse site…

Paola obrigado pela tradução e pelo compartilhamento conosco!

Escrito na Escuridão (na falta de um título achei esse interessante)

Não esta escrito na escuridão o poder de amar.
As asas, negras, te atraem à solidão eterna, não esta escrito que um vampiro não pode sonhar…
Porém, eu quis em alguma vez no vislumbre de um momento, abrir seus olhos, ter seu corpo entre meus braços e amar.
Onde estas meu noturno e vermelho delírio? Abrace-me! Traga sua presença ante meus olhos.
Não é fácil amar entre gritos, mas eu aprendi a latir e sentir com você.
Sinto sua falta!
E poderia implorar ou sangrar,
Rasgar ou matar entre névoas e sombras,
Isso é o que eu conheço, isso e a amarga solidão.
Mas sei que posso suspirar e se suspiro… Posso amar.
Preciso de suas veias violáceas, aquela gota escorrendo por suas asas.
Preciso da sua boca vermelha e quente.
Vejo-te longe como um doce éter
Com tua sombra implorando por meus braços
E as minhas mãos se desgarram pela cruel e implacável distância.
Preciso de suas mãos a acariciar-me.
Que se pinte de negro o escarlate.
Que desapareça o brilho da lua.
Não esta escrito na escuridão que um vampiro pode sonhar, mas sei que posso suspirar… E se suspiro, posso amar.

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: http://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

14 Resultados

  1. Paola Hübner disse:

    Awwwww vc postou!!! Me mori de amor 😀 se eu soubesse, teria traduzido melhor!!! rsrs
    Ahhh Galego!! Nao é obra minha, mas foi realmente bom saber que vc postou, melhorou meu dia deprimente 🙁
    Esqueci do colocar o nome D: em espanhol é “Te extraño!” que quer dizer “Sinto sua falta”
    Obrigada 😉

  2. Sim, podemos amar… e confesso que é uma coisa curiosa.

    • Lilás disse:

      Oi Lucius..
      Como comentei há pouco no blog…
      Tb penso que os vampiros podem se apaixonar e amar… e algo me diz que uma maior intensidade e comprometimento.
      Não acha??
      Bjos violetas
      L.

  3. Lilás disse:

    Olá Galego e tds que participam deste Blog..
    Estou mto feliz por estar aqui.
    Bjos violetas.
    L.

  4. Lilás disse:

    Paola querida belíssimo poema
    Concordo com vc…Penso que os Vampiros tb se apaixonam e amam…e algo me diz que com maior intensidade e comprometimento…rsrs
    Bjos violetas
    L.

    • Galego disse:

      Depende da ocasião, acho na verdade que os humanos podem amar melhor que nós, pois vocês tem um limite em suas vidas e isso gera algo que não temos: A necessidade de aproveitar cada momento intensamente como se amanhã fossem morrer. Confesso que as vezes faço algumas coisas por fazer, pois sei que continuarei vagando por ai… OU seja não aproveito as coisas com tanta emoção ou sentimento!

  5. Olá Lilás.

    Com certeza, quando nos apaixonamos por algo ou alguém, nos deticamos ao máximo por isso. Por isso pensamos seriamente antes de investimos, pois uma vez unidos, nem a morte separa.

    • Galego disse:

      Cara acho que amar dessa forma é algo humano demais, eu amo, mas tenho consistência dos meus limites. Sem contar os meus desejos que com certeza se diferem em muito das simples carícias humanas. Com certeza faço de tudo para estar com quem amo, mas isso é um longo processo que envolve mais que a minha própria vontade… Já tive muitos amores que duraram longos anos e senti na carne como é tênue a linha que separa o amor divino do ódio intenso!

  6. H. Cadu disse:

    Cara,isso é que é artista cara!Li esse poema e me lembrei de um momento da minha vida que nunca mais esqueci.
    Paola é o próximo Vinicius de Moraes.

    • Paola Hübner disse:

      Rsrsrs obrigada, mas nao fui eu que escrevi :_ eu vi um video na internet, só que tava em espanhol, ai eu traduzi pro Galego 🙂 eu nao sabia q ele ia postar, se nao tinha traduzido melhor 😉

  7. ficou boom PAOLA… de mais mesmo
    Eu acho que o amor é um sentimento intenso de mais tanto para humanos quanto deve ser para vampiros…
    pois humanos não tem a eternidade para aprender sobre a pessoa amada então tem que estar sempre inovando ou fazendo coisas diferentes para poder agradar pois se dexar para amanha pode ser tarde de mais..
    ja vampiros tem um dia aóps o outro para aprender a lidar com o amor, tem a eternidade para aprender realmente o verdadeiro significado desse sentimento tão inconsequente e inesperado…
    “mais pensando bem,quem pode saber o que é o amor realmente pois dias mudam o tempo passa e o amor se diferencia não éh!

  8. Leidy disse:

    Lindo!!
    Vou copiar pra adicionar a minha coleção!!
    kkkk
    Pleno sabadão eu sozinha novamente.
    Oh Deus, manda algo novo, pra esta tua criatura de amor doente!