Gone – Parte (eu já nem lembro mais)

Quanto tempo não? Pois é, mas eu Lilian estou aqui vez ou outra pra contar as minhas aventuras, andanças, meus momentos bons e over também para todos vocês. Como demorei muito para escrever preferi resumir o que aconteceu antes e trazer todos para a minha rotina mais atual.

Onde começo? Bem como sabem na última parte eu estava na Ordem mantida lá dentro como passarinho na gaiola (Odeio isso, odeio, no more!), conheci o então famoso e carismático (#SQN) Jonathan, vampiro antigo, sábio, gato e que eu apelidei de elfo por parecer muito com um personagem do famoso e querido escritor J.R.R Tolkien, quem não sabe procure no google e logo vai ligar os fatos… Fiquei lá por algum tempo como índia na tribo sem acesso ao mundo conectado e sem acesso a muitos de vocês, fato que eu não curto muito também, mas acontece né galera, afinal temos também nossos compromissos e nossos problemas a resolver.

Não vou ficar de delongas, afinal depois daquela parte não aconteceram coisas muito faraônicas ou bombásticas dentro da Ordem, no máximo uma discussão por que somos de uma teimosia enorme que chega a ser doença ás vezes… –“ Ao ficar na Ordem aprendendo vários novos truques, histórias e como conviver com um ser que saiu de um livro ( Não ele não saiu literalmente de um livro!) eu comecei a ver o quão egoístas e cegos todos nós deste lado da vida podemos ser… Lilian você está louca? Tomou sangue batizado com bost**? Não meus caros nada disso, eu comecei a enxergar e ver o mundo com outros olhos, comecei a ver os vampiros que convivo com outros olhos, comecei a ver os humanos com outros olhos e querem saber por que? Pelos simples fato do que o Jonathan e mais uma pessoa especial me falaram.

Foi em um dia antes de irmos embora da Ordem e voltarmos para casa, eu, Daniel e Jonatahn, sim ele veio morar comigo, afinal tem coisa mais legal do que conviver com alguém como eu, assim cheia de personalidades e com o humor que varia com a cor da minha roupa? Brincadeiras a parte, ele veio morar aqui sim, para conhecer mais desse mundo novo, das novidades que o cercam, do jeito que ele deveria agir perto de vocês meus queridos, sim entre vocês, legal não? Mas foi neste dia em que eu estava a arrumar as minhas malas e com meu celular em mãos, finalmente, que ele veio abrir meus olhos – Lilian? – dizia o alto e imponente vampiro – Entre ó grande mestre! O que deseja? – claro que isto foi falado em tom de brincadeira da minha parte – O que desejo não posso fazer agora contigo, porém o que vim fazer aqui é te falar algo antes que voltemos para tua tão adorada terra e sua amada casa – lá vem bomba – Sim, por favor sente Jonathan, pode falar, estou toda ouvidos – Sentei então ao lado dele na cama e esperei o que pareceu uma eternidade para ele falar – Lilian, o que u vou te falar não vai ao todo lhe agradar, mas pode lhe ser bem útil – Quando começa com o seu nome inteiro e com “ não vai lhe agradar” já espere coisas negativas – Estou ouvindo… – porra desembucha essa caralha logo, pensei e ele ouviu, fez cara de desaprovação e continuou – Essa caralha que eu tenho pra lhe falar vai salvar a sua vida e a sua sanidade muitas e muitas vezes. Eu sei que a morte do teu amigo afetou o teu mais profundo, afetou a todos que conviviam com ele minha cara, não só você! – Ele falou palavrão graças a mim, que ótimo exemplo futurístico eu sou, enfim… – Pessoas e seres como nós vão e vem e a morte sempre vai ser a nossa maior inimiga Lili, a morte está a espreita mesmo de nós imortais, imagine então daqueles que não possuem o mesmo poder? –

Eu sei que eu entrei em colapso pela morte do meu adorado lobisomem redneck, mas nenhuma perda é fácil pessoal e vocês sabem disso acho que melhor do que eu até, sendo muito honesta com todos vocês – Por mais fortes e ágeis que podemos ser Lili ainda não nos tornamos impenetráveis, apesar de alguns agirem como se assim o fossem… Mas isto não vem ao caso, o que quero realmente te dizer é que apesar da perda, apesar dos pesares, os que se vão estão provavelmente em um local melhor do que este terreno aqui e sabe por que? Por mais que a vida seja uma dádiva, tudo tem seu preço e acredito no mais fundo do meu ser, não perdemos a nossa alma, não perdemos a nossa essência e não perdemos acima de tudo o nosso caráter, mesmo depois de transformados. O único fator que pode ocasionar mudanças de temperamento e caráter nessa mudança nossa é o ego ferido ou o ego inflado devido a mudança corporal total que sofre um humano ao se transformar em vampiro – ele tem o dom de prender a atenção de qualquer um quando fala daquele jeito, todo educativo, todo positivo, todo sábio – Então digo que são poucos os que são vampiros por completo e sabe o motivo dessa minha teoria? – olha a minha cara de quem sabe – Está bem já que não sabe eu te falo, um vampiro que se prese, um vampiro que se dê o valor merecido não troca o seu caráter, não deixa a sua essência humana morrer por completo, não deixa o ego inflar e assim achar que é maior e melhor que as outras espécies… Não corrompe seres frágeis como humanos para o seu prazer ou por brincadeira… Que poder temos para trata-los assim? Que autoridade nós achamos que temos na vida desses seres? Nenhuma minha cara, eles são a nossa fonte de alimento, são, sempre vão ser e não é por isso que devemos trata-los como algum tipo de “menu”! Temos como nos alimentar de outras formas além da qual muitos estão acostumados, olhe a sua volta, não precisamos machucar o outro para nos alimentar, podemos adquirir através de várias outras formas o nosso alimento… – a pior parte ou melhor, não sei, era que ele tinha razão, não devemos machucar ninguém por luxúria ou ego inflado… Podemos aderir a bolsas de sangue e sermos felizes sem a consciência pesada, podemos matar apenas os que fazem mal ao próximo, no estilo power rangers! =X

– Eu mesmo já matei muitos, já achei que poderia dominar todos e com o tempo, as coisas que passei, os tombos e as perdas que tive, percebi que as coisas não são bem assim pequena… Você ainda tem muito a apender, eu vou te ajudar na maioria, mas te deixo aqui um conselho, as perdas não tem que nos diminuir, nos afastar do mundo, elas precisam nos fortalecer pelos que foram e acima de tudo, por nós! Sempre lembre-se disso e do fato que podemos viver de outra forma, podemos manter nossa dignidade e podemos sim em nossa sabedoria ajudar o próximo, ajudar quem precisa, mesmo que a história nos diga para fazer o contrário, devemos pular os muros padronizados das sociedades que vivemos e mostrar que o mundo e nós mesmos podemos ser melhor e claro, ainda há amor no nosso coração congelado, afinal esse sentimento não precisa de um órgão batendo no peito para acontecer! – Fiquei no chão com tudo o que ouvi, foi como levar um tapa na cara e acordar para a realidade novamente.

Jonathan saiu do meu quarto em segundos, eu fiquei ali com uma das minhas camisetas preferidas em mãos e por coincidência do destino a frase vale muito para o momento atual “ Just keep on Rolling under the stars!” pensando que tudo pode dar certo afinal, que tudo pode ser resolver e que as barreiras do sobrenatural não estão ai apenas para meter medo, elas podem ajudar alguns e abrir os olhos de outros.

– Bora Lili? Só falta você! – era o Daniel me chamando, hora de ir embora… Cheguei no carro que nos esperava para irmos ao aeroporto, lá já vi um Daniel muito feliz e um Jonathan me olhando como se tivesse ganhado um prêmio – Vamos meus amores, maridos, amantes, sei lá como chamar essa nossa situação amorosa… – consegui tirar um sorriso do rosto do tão sério do lord vampiro – Com o tempo talvez  possamos definir isto, mas Daniel cada um na sua vez, nada de tudo ao mesmo tempo! – O Jonathan fez uma piada? Sim ele fez, por isso acredito mais ainda em uma amanhã melhor! RS Brincadeiras a parte, fomos embora para minha casa, confesso que estava louca de saudades do cheiro de terra e dos lagos aqui em volta.

See you soon guys

Ainda vamos contar quem matou o querido Steven.

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: http://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

Deixe uma resposta