Gone – Parte III

Vampiro Élfo

Sabe qual é a melhor parte dessa loucura toda de me isolarem? É deixar pensarem que eles possuem algum controle sobre mim! A ironia disso tudo é aquela merda de sempre, quando você acha que está “por cima da carne seca” na verdade você está embaixo, pois se eles acharam que eu ficaria infeliz com essa situação toda, meus caros eles se enganaram completamente! Vão ver a disciplina que eu vou levar! Enfim vamos ao que interessa?

Uma semana havia passado desde o dia em que recebi a noticia sobre meu confinamento tenebroso #SQN!  Eu estou achando isso de certa forma prazeroso, vocês já viram meu professor? Da para perder o tempo de todo um século com ele (Continuo não prestando, nem de longe…) Enfim, enquanto eu sei que meu adorado Daniel está preocupado com tudo eu tento manter a calma, afinal não vão me trancar em uma cela escura sem sangue e sem ver as estrelas, muito pelo contrário, eu estava em meu quarto antigo e tinha permissão para andar a noite nas redondezas da Ordem, tudo sem aparelhos eletrônicos, bem bicho do mato mesmo, quase uma índia albina, só falta eu tocar tambor e fumar cachimbo com ervas duvidosas, ai a merda estava completa. Imaginou a cena?

Mas isso a gente deixa para depois, o assunto do momento é o meu mais novo mestre, Jonathan o elfo vampírico. Eu sei que parece uma punição pra cima de mim, mas vamos ver o enredo disso tudo? Eu estou presa com nada mais nada menos que o vampiro mais gato que eu vi na vida, ele está me ensinando praticamente tudo o que eu já sei com um quê de novidades, ele possuí  uma conversa agradável, é cortês (até demais), muito sábio, sexy as fuck e ainda melhor, ele sabe muito bem como tratar uma mulher. É para ficar triste com isso? I don’t think so!

Agora vamos voltar um pouco no tempo, no meu primeiro dia de “treino” com ele, eu estava no tatame esperando Jonathan chegar, quando o vi se aproximando vestido do que parecia um robe preto de couro adornado em dourado, calça preta e botas pretas deixando ele com aquela parecia de Lord sem sombra de dúvidas (Já posso lamber o rosto dele para ver se é de verdade? Igual eu fiz com o Ferdinand? Sim eu tive uma reação assim com o Ferdinand no começo, depois eu tive a oportunidade de testar a teoria e ele é de verdade, não vamos ter ciúmes hein! Somos apenas amigos que se divertem além da conta ás vezes!) 😉

Com um sorriso discreto ele parecia satisfeito ao me ver ali esperando no horário que havíamos combinado – Vejo que és uma vampira pontual ou apenas estava ansiosa para me ver! – convencido, pensei, mas ele tinha razão e por algum motivo muito estranho eu queria ver ele novamente o mais cedo possível, só não iria admitir com facilidade – Digamos que eu goste de ser pontual – respondi  ficando mais próxima e esperando ouvir mais alguma coisa, mas a única coisa que ouvi foi o que parecia um som de desaprovação seguido do que parecia uma leve risada de “ sim sei!” – O que há de tão engraçado My Lord? – no fundo eu acho que ele consegue ler mentes ou talvez eu esteja neurótica demais a seu respeito – Me deixa curiosa, apenas – curiosa? Com o que? – Se me permite perguntar, My Lord, o que vê de curioso em mim? – perguntei me sentando no banco próximo ao tatame enquanto observava o vampiro desembainhar a espada negra dele com cautela e admiração pelo objeto, como se aquilo fosse uma velha amiga que não via há muitos anos – Minha curiosidade é simples minha jovem… Você desperta muitas curiosidades a teu respeito, mas a que mais me chama atenção é o porque  você luta tanto contra os teus sentimentos? Não acha que isso cedo ou tarde pode lhe fazer mal? Lutar contra os sentimentos e as nossas vontades pode ser a nossa ruína e não a solução! – ele podia ser muitas coisas, mas a sabedoria dele transbordava com cada sílaba que saia dos lábios do agora insinuante vampiro – Eu não me seguro My Lord, muito pelo contrário, eu falo e deixo aberto o que sinto! – aquilo parecia mais um jogo de poder entre nós dois do que uma conversa na realidade – É mesmo? Por que então não me disse o que estava sentindo por completo? Saíram apenas metades no que me disse e eu sei que não era apenas uma questão de ser pontual, não é mesmo Lilian? – ok, agora eu estou realmente assustada com os poderes dele, se ele pode ver o que eu penso mesmo que pequenos detalhes, o que mais esse vampiro seria capaz? – De muitas coisas minha cara… – foi essa a resposta que obtive sobre os meus pensamentos  – Mas como? – foram as únicas palavras que consegui processar naquele momento – Eu sou antigo o suficiente e isso é o único fato que precisa saber neste momento. Agora sem mais delongas, eu quero ver o que sabe e até onde pode ir – me levantei e fui até o centro do tatame, espada em mãos e punho firme – Vamos começar já com o mano a mano My Lord? – disse enquanto girava a espada em minhas mãos – Sim Lilian e não tente pensar muito, bloquei a sua mente, isso vai ser a única maneira de te ajudar a chegar perto de me vencer… – você pode ser o Deus dos vampiros com cabelo perfeito, mas eu continuo sendo muito boa quando se diz em bater no adversário – E se eu vencer  My Lord, o que ganho com isso? – disse mantendo a espada apontada para o vampiro do outro lado do tatame – Bom meu cabelo é assim desde que eu me lembro e se você ganhar ou perder eu sei que o prêmio vai ser agradável o suficiente para os dois… – eu não sabia o que ele estava pensando, mas já que é garantido algo bom, porque me conter, não é mesmo?

I’ve listened to preachers
I’ve listened to fools
I’ve watched all the dropouts
Who make their own rules
One person conditioned to rule and control
The media sells it and you live the role
Mental wounds still screaming
Driving me insane
I’m going off the rails on a crazy train

See you all soon!

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Natalia Sarint disse:

    To sentindo um clima! Hahaha

  2. Katherina Stunpf disse:

    Como entro em contato com você Ferdinand?

  3. Katherina Stunpf disse:

    Como faço para falar com Ferdinand?

Deixe uma resposta