O Manipulador: a história de Rebecca – Final

Ele estava debruçado sobre mim…”Rebecca” Chamava-me.

E eu não conseguia falar, nem me mexer. Ainda na poltrona, estava amarrada e sentia meu corpo gelado tal qual uma pedra. Minha cabeça doía e toda dor voltava como se eu ainda estivesse caída em meio às arvores. Olhei nos olhos daquele homem. Sim, ele me provocava e me desafiava. Tudo isso seria um pesadelo? Mais um daqueles na qual eu estava acostumada a ter em minhas noites de sono perturbadas? Mas não, eu estava realmente ali, sabe-se lá há quanto tempo. E essa era a única realidade. Ele começou a caminhar ao meu redor e seguindo seus movimentos com os olhos, pude perceber todo o ambiente. Tudo era escuro, úmido e terrível.

– Vejo que está tranquila demais de acordo com suas circunstâncias. Admiro criaturas assim, observadoras, pacientes. Me instigam. Mas, devo revelar que a trouxe até aqui e brinquei com sua mente. Nada foi real, isso é real!  Também não há ninguém aqui além de mim e você. E não se preocupe com sua amiga. Acho que talvez ela nem exista… Confesso que certas coisas que fiz não são do meu feitio. Mas tenho aprendido coisas novas, mesmo com todos os meus longos anos de “não-vida” e precisava escolher alguém com seu perfil. Desejo torná-la apta para mim.

Eu não estava entendendo o que aquela criatura queria dizer com tudo o aquilo, parecia loucura. Em meio a dores e agonias, contestei:

– Engraçado, creio que o escolhi para mandá-lo para o inferno nesse exato momento.

– Hahahaha. Além de tudo é ousada, ingênua e insolente. De onde achas que eu devo ter vindo? -Silêncio. – Oh, finalmente sinto cheiro de medo…

Abri os olhos. Dores. Não podia acreditar no que via. Não havia acidente, não havia salvação. Só havia umidade, medo e podridão. E nenhuma explicação sobre como teria ido parar naquele lugar realmente. Sim, ele estava debruçado sobre mim. Sua mandíbula deslocava-se e seus dentes afiados cresciam. Seus olhos. Aqueles terríveis olhos, esbugalhados. Pavor. Medo. Dor. Porém, finalmente… Um alívio repentino. Não havia explicação. O medo surpreendentemente havia desaparecido e tornava-se uma entrega involuntária. O que repugnava, era capaz de trazer sensações inimagináveis. Silêncio. Calmaria. Encontrei-me recostada em um corpo gélido e sem vida. Com os olhos fechados sentia-me descansar em baixo das sombras. O que o destino guardava para mim? Agora parecia entender. Sim, eles existem. Mas, o que são realmente? E sim, após um longo e tortuoso processo eu ainda teria que me acostumar com a escuridão.

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Aeron disse:

    …gente.
    *Palmas*

    Ora, esse final foi esplêndido! Sinceramente. A forma como ela descreveu a experiencia me fez sentir… diferente.
    Como eu imaginava: o melhor fica para o final.
    Apesar de ainda ter restado o mistério “quem diabos é este senhor que cria ilusões?”, eu estou muito satisfeita.

    Erm, mas acredito que agora seja o momento em que nós começamos a implorar por mais.
    Hahaha
    Mais, por favor. M.A.I.S!

  2. Deusa do Caos disse:

    Que final……..Mas não quero que este seja o final,quero mais,quero muuuuito mais,quero saber sobre o que aconteceu depois,quero saber como ela se sentiu e se sente ao fazer parte das “sombras”,quero conhecer esse ser de nome fantástico, Rebecca,apresente-se…Fê pede p ela contar mais please @galego

  3. Sellene Bernard disse:

    Realmente a história teve um final surpreendente… Adorei!! Mas espero poder ler mais também 😉