Os mortos não voltam – Parte VI

– Sophie, levante minha querida. Eu não disse para ir direto para casa? -Dizia Antoni para Sophie que levantava sem entender grande parte do que havia acontecido.

Naquele momento, eu já vestia minha blusa e tentava me recompor. Acordei Lilian que ria e fazia brincadeiras comigo, enquanto eu meio séria, meio rindo, dizia que teríamos que conversar sobre o que havíamos feito em outro momento.

-Relaxa – Cochichou para mim – Apenas curtimos! Eu curti, hahaha.

– Hum, percebe-se. Mas, colocaram alguma coisa na minha bebida. – Falei fazendo-me de emburrada mas, preocupada com a presença de Antoni.

Quando percebi, Sophie falava algo com ele e apontava para mim. “Merda. Preciso de um buraco para me enfiar.” Pensei. Foi como ver Thomas caminhando em minha direção, imponente, seguro, porém com o olhar mais leve e tranqüilo. Ao seu lado, estava o rapaz da tatuagem. Eu sabia!

– Senhora Erner, és mais bela pessoalmente do que imaginei. Muito Prazer, Antoni.

– És mais parecido com Thomas do que eu podia prever. Realmente são gêmeos idênticos. – Falei de certo modo grosseiro, fazendo Antoni olhar-me estranho.

– Bom, não temos muito tempo. Quer ou não resgatar seu humano?

– Ele não é meu humano. Seu nome é Lorenzo.

– Tanto faz… – Falou dando-me as costas, o que me deixou mais irritada.

Naquele momento, minha irritação com Antoni foi substituída por fortes dores. Maldita Bebida. Eu sempre bebo em situações complicadas ou para relaxar de maneira controlada. M,as com doses exageradas, essa sensação é momentânea, o arrependimento chega quando minha garganta arde como fogo, e então, vomito tudo. Quando consegui me recompor daquela situação horrenda, Sophie fez sinal para mim e Lilian. Devíamos segui-los. Alguns quilômetros depois, na garupa de Lilian, observava o casarão onde se encontrava o clã de bruxos vampiros na qual Antoni pertencia e havia se tornado mestre, ou protetor. Ao entrar, Antoni cordialmente nos explicava para o que servia cada lugar naquela casa, evitando sempre olhar para mim, desde aquela frustrada apresentação. Após subir algumas escadas, entramos em um escritório onde se encontravam algumas obras de arte, mapas, livros e até esculturas.

– O clã de bruxos demônios como apelidaram, concentra-se nessa região da França. – Falou apontando um mapa. – Meus informantes nos passaram que eles levaram aquele rapaz para lá, já que é o local onde suas energias possuem mais poder.

– Eles farão um ritual, Tom? – Perguntou Sophie.

Revirei os olhos “Tom” repeti mentalmente. Mas, por que raios fariam um ritual com Lorenzo? Pensei. Antoni se direcionou a mim assustando-me e, em seguida, para as meninas:

– Preciso conversar com Senhora Erner, em particular.

Eu e as meninas nos entreolhamos, Sophie demonstrou que aquilo era necessário e pedindo licença, levou Lilian consigo para fora. Então, tranquilamente, Antoni caminhou até a janela, e olhando para a escuridão contou-me coisas que eu nem imaginava, enquanto eu observava seu reflexo no vidro e lembrava-me de Thomas.

– Quando meu irmão e eu nascemos,  nossos pais pertenciam a uma seita que unia dois clãs diferentes. Meu pai era um dos lideres. Os dois grupos trabalhavam em conjunto em prol dos mesmos objetivos. Mas, uma discórdia entre meu pai e um dos outros lideres do clã, fez com que nos tornássemos inimigos. Isso é uma longa história. Meus pais foram assassinados. Eu e Thomas fomos encontrados e levados para abrigos em diferentes partes do mundo. Anos depois, o líder que havia entrado em discórdia com meu pai nos encontrou, possuía ainda mais poder, e fomos atingidos por uma terrível doença, a qual fomos obrigados a aceitar ser transformados em vampiros para viver, mas, também havia uma condição. Eu deveria pertencer ao clã de bruxos vampiros. Mas, Thomas estava marcado a ser parte do clã de bruxos demônios. No fim, o interesse era nos tornar imortais. Eu soube de todos esses detalhes anos depois… Nunca vi meu irmão. O que sei é que quando você o matou, o clã de bruxos demônios ficou sem seu futuro líder.

– O que? Thomas seria o líder deles?- Falei impressionada.

– Sim. Ele estava se preparando para isso. Rebecca, você não sabe onde se meteu. Nada é o que parece! Eu avisei Sophie para não te procurar, para protegê-la. Você só conseguiu matar Thomas porque ele estava vulnerável depois dos rituais de preparação na qual havia se submetido naquela época. Senão nunca conseguiria. Agora, eles pegaram o humano para fazê-la sofrer, eles virão atrás de você e farão o ritual, na qual se prepararam durante décadas! – Falou caminhando em minha direção e segurando-me nos braços. – Eles são bruxos vindos do inferno que se apoderam de outros corpos, são sugadores e manipuladores, tentarão fazer a alma amaldiçoada de Thomas possuir o corpo de Lorenzo!

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. lay_thyara disse:

    fucking shit…nossa sua vida não viva tem muitas emoções em?!