Para minha Amada Beth

Muitos de vocês já me viram falar aqui sobre sujeira, escória, maldade, sangue, mas hoje o papo será diferente, falarei do maior sentimento. Um sentimento que está presente em todas as criaturas desde Gaia até o inferno. Sim, depois de muitas andanças pude perceber que até mesmo na escuridão sem sol existe, amor!

Hoje é 18 de janeiro, é aniversário de uma capricorniana muito especial, uma mulher inteligente, linda e que sabe o que quer. São muitas as qualidades que poderiam definir minha doce Beth, mas como todo bom e ciumento namorado eu não vou falar muito para não criar à famosa “invejinha”. Não que eu acredite nisso, mas sabem como é, prefiro me precaver, pois sei que algumas pessoas são únicas em nossas vidas, por mais que se tenha uma eternidade pela frente, não se acham duas pessoas iguais.

Outro dia minha grande amiga Anthares, perguntou se Elizabeth não poderia ser uma reencarnação de Suelen, eu não me recordo se cheguei a comentar com ela, mas acredito que não. Pois eu perceberia semelhanças…

Minha doce e amada Elizabeth, neste momento estás longe e deixas meu coração partido, não é tua culpa, nem minha afinal temos nossas vidas (e não-vidas) que nos levam por caminhos separados. Por varias vezes tenho lhe dito que tudo isso faz parte de um grande processo, onde precisamos aprender e conquistar nossa própria liberdade. Como toda bruxa tu deves aprender com as antigas, de tal modo que possa criar teu próprio “Black book”. Eu por minha vez vou vencer os demônios que prendem meu clã.

Eu nunca te disse isso que vou dizer, mas quando durmo vago no mundo dos sonhos, em busca da sua alma e tento protegê-la. Às vezes consigo te ver em uma sala assistindo televisão, com um menino de cabelos claros e cacheados sentado a mesa desenhando… Vocês estão felizes… Será possível?

Quantos dias faltam? Quantos meses ainda faltam para que possamos ficar juntinhos como sempre nos confidenciamos? Está mais perto minha amada, continue rezando e confiando que o mal irá sucumbir aos teus puros desejos^^

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil.

Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos.

Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: https://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

24 Resultados

  1. dorivania disse:

    o desejo de toda mulher amar e ser amada com a mesma intensidade…e ainda que esse amor dê frutos.o amor um sentimento muito nobre.

  2. Pois é Dorivania, uma pena que essa linda bruxinha, tenha escolhido sair da minha não-vida…

  3. Janielly Rodrigues disse:

    Concordo com Dorivania..
    Engraçado tb sou de janeiro, só que sou do dia 14 rsrs
    Kisses

  4. Lola Maria disse:

    Toda mulher gosta de ser independente, entendo ela…

    • Olha Lola, se existe uma coisa que preso muito e que mulher nenhuma minha pode reclamar, é sobre independência. Sou o maior apoiador, mesmo por que eu gosto de ter meus momentos com os meus amigos. Na minha opinião não é por que as pessoas estão juntas que elas tem de ser grudadas. Acredito que cada um tem sua vida pessoal acima de qualquer outra coisa.

  5. Janielly Rodrigues disse:

    Concordo contigo Ferdinand!

  6. Lola Maria disse:

    Eu tô falando da independência de ter outros homens, entendeu?

  7. José Pereira disse:

    Realmente, independência em uma mulher é essencial.

  8. Lola Maria disse:

    Mas gato vc ta certíssimo.

  9. Lola Maria disse:

    Siiimm, fila anda a roda gira, e muita coisa a mais…kk

  10. Janielly Rodrigues disse:

    Sem problemas, sei disso! 😉
    ….

  11. José Pereira disse:

    É isso ai, concordo com a Janielly… Sem problemas… kkkk

  12. Janielly Rodrigues disse:

    ôo zé bora pro meu post Adolescencia rsrs
    Vamos deixar os dois conversar a vontade rsrs 😉

  13. Lola Maria disse:

    Obrigadinha, Ferdinand. Eu sou mesmo muito energética…também gostei muito de vc gato…

    • kkkk gostei do “Gato” me lembra uns tempos de boemia no Rio de Janeiro. Mas relaxa gente eu não “dou em cima” de ninguém por aqui não, levo isto aqui muito a sério como vós sabeis ^^

  14. José Pereira disse:

    Vamos sim Jani.
    Lola, converse a vontade com o Herr Ferdinand…

  15. Lola Maria disse:

    Oi zé, hunrum…

  16. Janielly Rodrigues disse:

    Claro Ferdinand, eu sei disso muito bem. ^^

  17. Lola Maria disse:

    Se não quiser que te chame mais de gato(miauu), eu posso chamar por outo nome…

  18. Janielly Rodrigues disse:

    Verdade Ferdinand rsrs
    Fêfe é o fim kkkkkkkkk

  19. Lola Maria disse:

    Kkk… Gato, sempre é bom apelidinhos em certos momentos, mas não toda hora, gostei de Fefê é bem mais simples do que Ferdinand.