Poema Morte versus Amor

Baseado no meu post: Morte versus amor o Joseph criou um poema.
Eu gostei e encaminho para vocês logo a baixo…

Morte versus amor

O sol radiante ilumina tua face angelical me transportando ao paraíso da vida, um floral com todas as cores, louro em bela poesia harmoniosa e singela graça da vida.

Lembro-me ainda mais dos seus pés sobre o orvalho, clara e beleza soberba, correndo de braços abertos junto ao vento, o que me levava ao gozo inocente de uma criança.

Sim, a melodia encantadora da sua voz, transborda em emoção os sentimentos como a fantasia do amor.

Veja, a vida foi simplesmente um paraíso aos meus olhos virgens da insanidade e desejo.

Era bela a sina que esperava da minha vida aos teus braços, aos seus beijos, ao queimar de dois corações.

No entanto o destino nos concedeu caminhos opostos;
minha imortalidade e sua vida efêmera.

Quando a penumbra cobre a cidade, minha maldição de sangue transparece os sentidos e sou acometido pela morte em cometer o pecado delirante.

Tua vida pela minha ou minha vida pela tua?
O que eu desejava de maior ardor era sua vivacidade de espírito.

Então, decidi doar-lhe o pouco do ínfimo sopro de vida que ainda restara em mim à minha doce amada que não pudera chamar de imortal.

Vivi ao seu lado, vendo-a acabar aos poucos pelo tempo ingênuo e maldoso. Pude confortar-la e fazê-la feliz.

O tempo a levou, agora, apenas pressinto o seu passado em mim;
ao menos isso será imortalizado em um coração que já não bate mais.

Dias vão, as noites não se acabam, apenas trevas sobre trevas;
esse é o fardo que levo, essa é minha sina.

 

 

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil.

Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos.

Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: https://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Jeff Andreoli disse:

    nossa legal. \o/
    gostei desta parte aqui.
    carakk
    galego tenho alguns poema aqui ser vc quiser passo pra vc…eu vou ate posta no meu blz.

  2. Jeff Andreoli disse:

    nao apareceu a parte q eu goste aff,minha imortalidade e sua vida efêmera.Quando a penumbra cobre a cidade, minha maldição de sangue transparece os sentidos e sou acometido pela morte em cometer o pecado delirante

  3. va disse:

    Fazer um poema não é para quem quer, é para quem pode! Joseph, sua poesia parece ter vida e os sentimentos estão à tona! Gostei muito, de verdade… A tristeza que existe nele cede sua vez à saudade… Uma coisa gostosa de sentir… Coisa de seres humanos!!!! rsrsrsrsrs….

  4. Moon disse:

    Nossa parabéns me tocou esse poema! #muitolindo