Que roupa um vampiro usa?

Olá pessoas do dia tudo bom? Eu tenho tanta coisa para falar que até já salvei uns 4 rascunhos de posts aqui. No entanto, hoje quero falar um pouco sobre moda vampiresca. Isso provavelmente deve ser influência de minha doce amada, mas em todos os casos é algo que muitas vezes deixa as pessoas com duvida. Eu pelo menos recebo muitos e-mail perguntando sobre nossos hábitos.

Esses dias eu estava fazendo barba e me cortei, uma gota de sangue caiu no meu braço e ficou lá por alguns minutos. Acho que muitos já devem ter passado por isso e visto que o sangue é algo difícil de ser removido da pele, mesmo com o uso sabonete ele insiste em ficar ali. Pois bem, onde quero chegar com isso? É simples sua cor: o rubro, carmim ou simplesmente vermelho é a cor predileta de nossa cultura. Além de ser uma cor ligada a nobreza ela é muito boa para disfarçar os “lanchinhos ocasionais”.

Claro que isso não é uma regra, todos sabem que para viver em sociedade e principalmente se “disfarçar” nela é preciso seguir a sua moda. Portanto esqueça a idéia de que todos os vampiros são góticos e andam de preto. Muitos seguem esse estilo, mas também podem seguir tantos outros conforme for da sua vontade. Muitos até andam com roupas dos séculos passados ou da época em que encontraram seus demônios e são vistos como os ortodoxos ou simplesmente “velhos”.

Um tempo atrás eu havia comentado do meu estilo, calça jeans, camiseta e allstar, não tenho mais muito que acrescentar sobre isso, só queria deixar claro, que não será fácil encontrar vampiros por sua roupa ou aparência. Haja vista que a maquiagem evoluiu muito, as roupas e assessórios estão muitos baratos e sinceramente nunca vi tanta liberdade de escolha. Esse dias mesmo eu estava no shopping e vi muitos grupos: os Playboys, as Patricinhas, os Hippies (chics ou não), os Punks, os Otaku e por incrível que pareça havia também gente normal…

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: http://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. dorivania disse:

    achei que o corpo de um vampiro parasse no tempo.que nada mudase,que nada crescia…

  2. Nao sabia que tinha esse assunto aqui….gostei bem legal.