Quero me transformar em vampiro – Pt2

Duas noites depois a minha conversa com Penélope fomos ao aeroporto da cidade buscar Sebastian e Claudia, professora de biologia e nova companheira de meu ex-braço direito. Um casal aparentemente normal, mas que exala intelectualidade por onde passa. Quem os vê certamente pensa: “Feitos um para o outro”.

Não lembro a data certa no qual Sebastian trouxe Claudia para o nosso convívio. No entanto, há mais ou menos dois anos ela soube de nossa existência.  Nunca vou esquecer-me da noite no qual Sebastian veio até mim preocupado, pensativo e na defensiva. Tive de tirar leite de pedra, antes que ele me confessasse seu  amor e suas intenções. Sobretudo, o que vocês precisam saber dela é que atualmente está no processo que precede a sua transformação, aos moldes do que tenho feito com Penélope.

De volta à fazenda, acomodei-os no quarto predileto de Sebastian e sai de moto com Pepe.  Naquela noite eu tinha planos para minha pupila e tudo começaria num dos meus ambientes prediletos, o pub.

– Veja as pessoas ao nosso redor, todas elas são obviamente únicas. Algumas se gabam por serem independentes, originais ou que não precisam dos demais para viver. Porém, mesmo no caos há um padrão para ser observado. Enquanto eu pego uma bebida pra ti observe aquele casal da mesinha redonda. Concorda comigo que eles vieram para um encontro e ainda não estão juntos, correto?

Fui para a ponta do balcão, aproveitei para sentir o local em busca de algo que pudesse atrapalhar minhas aulas e voltei a mesa tranquilo, junto de um bonito copo de Jack ao estilo cowboy.

– Tome, hoje vamos testar tua resistência… Alguma novidade sobre o casal?

– Uiii Jack Fê, não podia ser Vodka com Red Bull? Eles estão ali, apenas conversando. Acho que ela não gostou muito dele…

– Se tu conseguir beber mais duas doses pode escolher o que quiser… Mas vamos manter a discrição e acompanhar o casal. Tu achas que ela não quer nada? Vamos lá, pensa comigo. Ela está bem arrumada, ela riu de todas as besteiras que ele cochichou até agora. Acredite, com minha audição aguçada eu tô ouvindo todas as bobagens que ele disse e acima disso, veja aquilo. Mãos no cabelo e pronto… Começou a se inclinar para frente. Putz que cara tolo que ainda tascou um beijão nela…

– Aff ela pode ser ansiosa só isso.

-Não minha querida, são os padrões que eu te falei antes. Se existe algo que precisas aprender é que nem tudo se resolve com sangue ou poderes. A “manha” ou a “lábia” já salvaram muitos de nós ao longo dos séculos. Putz que banana, só pode ser cego e ainda levantou para ir ao banheiro sem ter bebido praticamente nada. Isso sim é um sinal explícito de ansiedade.

– Tá, acho que tô entendendo Fê… Agora ela deve estar indignada e mandando Whatsapp para alguma amiga sobre o babana?

– Isso minha garota! Vamos ver o que o cara faz quando voltar. Acredito que ele tenha ido respirar fundo, deve ter lavado o rosto e vai atacar na volta.

Seis minutos mais tarde o cara volta para a mesa e antes de se sentar, passa a mão nas costas da garota, que sente um intenso arrepio percorrer toda sua espinha. Pede desculpas pela demora, coloca sua mão direita sobre a dela e leva a outra para as suas costas. Novos arrepios, mais algumas palavras bobas, que nenhum dos dois presta atenção e enfim um primeiro beijo. Um beijo leve e com medo, mas que aos poucos esquenta e se intensifica com a fricção de suas línguas. Longos vinte e um minutos sacanas, pausados apenas pela respiração de seus pulmões joviais ou mordidas recheadas de segundas intenções.

– Está vendo, como ela estava afim e ele só precisava de um empurrão?

– Sim sim, vou começar a reparar mais nisso… Posso pedir agora uma dose de Grey Goose com Red Bull?

– Não minha querida, achei que tu fosse um pouco mais resistente e estamos de moto. Não quero que tu caia no caminho e tenhamos de apressar tua morte…

– Credo, se eu tivesse um pai acho que ele agiria como você agora…

– Que bom que pensas assim, está pegando o espirito… (risos)

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: http://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

22 Resultados

  1. Ana disse:

    Ela está certa é sempre bom ter alguém que nos diga o que fazer e o que não fazer, enfim nos oriente um pouco na vida…

  2. klebiani Fiore disse:

    Que privilégio têm essa garota, tendo você como guardião dela. Quisera fosse eu, seria uma honra imensa, Tê-lo como protetor, querido Ferdinand.

  3. Eduarda disse:

    Adorei! Quero ver a parte 3 … 😉

  4. Liz Van der Schurk disse:

    Muito bom, Fer! Estou gostando bastante… Mal vejo a hora de tu lançares a parte 3. ^-^

  5. Verônica ! disse:

    Olha que legal ! Eu aqui num casamento vendo o blog do Fer , mas enfim , hehehe… “Que sentimento é esse ? ” , pois é Fer o amor te pegou , seria engraçado se alguma açãozinha acontecesse *–* hahaha… enfim , espero que tudo dê certo … e que legal que o há uma biologa entre vocês ! Biologia <3 ah !

  6. Sellene Bernard disse:

    Ai ai… Fê sempre tão fofo!!! Bem se vê que realmente tem se dedicado muito a nova escolhida, e esquecido das amigas… Mas eu perdoo ok?? hauhauahuah Beijão, Se Cuida. E estou adorando as novas histórias!

  7. Sellene Bernard disse:

    Já ia me esquecendo de dizer que também estou muito feliz em saber da nova situação de Sebastian!!! Ele realmente merecia a companhia de alguém especial. Fiquei muito contente pela felicidade dos dois …. Acredito que combinem muito mesmo 😉

    • Dentro do possível tentarei falar mais da relação de ambos, por hora que a clandestinidade os proteja…

      • Sellene Bernard disse:

        Verdade, mas Sebastian sempre foi muito reservado, acredito que estarão protegidos dessa forma. Torço pela felicidade dos dois 🙂

      • Herr Di Vittore, sei bem que não ira adiantar lhe solicitar que mantenha certos detalhes de minha “vida” pessoal dentro de uma certa descrição.

        Mesmo porque Herr tem na habilidade das palavras a capacidade de cativar suas “seguidoras”.

        • Sellene Bernard disse:

          Hahahah verdade, Fê sempre fala um pouquinho mais do que deve, não é mesmo? Mas, eu, principalmente, compreendo e muito este pequeno problema 😉
          E sim, nos cativa com as palavras, senão não seriamos seguidoras tão fiéis….

    • Ola senhorita Sellene. Lhe agradeço pelos votos de felicidades. Assim como sua preocupação com a nossa segurança.

      • Sellene Bernard disse:

        Imagina, não há o que agradecer!! São sentimentos sinceros que tenho devido nossa amizade. Apesar de não termos nos falado mais, pela correria do dia a dia, estudos e afazeres, sempre lembro de todos e torço para que tudo dê certo na “vida” de vocês… hehe 🙂

  8. fhal disse:

    Hallo schatz Ferdinand, estou tao triste, meu filho deixou essa dimensao. Depois de tudo que fiz para tentar salvar a vida dele, tudo foi em vao. Gente qdo o Fer diz que a nossa vida e o presente mais precioso que recebemos ao nascer ele tem razao. Voces devem estar pensando numa crianca, mas nao, era meu bichinho. Ele era pra mim meu filho, sempre esteve nos momentos bons e ruins em minha vida, principalmente qdo recebi a noticia que nunca daria a luz. Baby sempre me consolou, me deu muito amor. A vida e o presente mais precioso que temos, nao jogue fora por qualquer coisa, viva o maximo pois qdo os entes queridos se vao fica um vazio que nao e possivel ser preenchido. Sorry por meu desabafo, alguns nao entenderam o meu sentimento mas a vida e para todas as criaturas seja animal ou humana, nao ha diferenca o amor e o mesmo qdo se ama de verdade sem restricoes ou preconceitos, apenas s ama. Sorry. Fhal.

    • Entendo perfeitamente minha querida, eu tenho um velho pastor alemão, já falei dele por aqui e se o perdesse certamente sentiria dor da perda de um filho. Minhas condolências my dear schatz…

  9. Ana Catarina Jordão Tavares/anita disse:

    como posso ser uma vampira?