Shopping, cinema e perseguição.

Fiquei me perguntando sobre a veracidade de tais fatos, mas isso não importa muito, haja vista que adorei a forma como terminou. Como vocês sabem eu adoro mulheres com iniciativa, n]ao é mesmo? Enviado pela Júlia Bittencourt:

Shopping, cinema e perseguição.

Estava passeando no shopping hábito comum aos membros de meu grupo social e quando entrei em uma loja de “armas” percebi que estava sendo seguida. Ele era um rapaz bonito, aparentava ter uns vinte e poucos anos, porém me olhava de forma questionadora.

Com um pouco de medo, comprei um canivete que lembrava as balas da arma de caça de meu pai e fui ao cinema assistir Django Livre. Novamente, ele comprou os ingressos para a mesma sessão que passaria o filme e repetidamente ocupou-se com maus olhos, enquanto eu revidava de esguelha com desprezo.

Persisti em considerar o fato de tudo aquilo ser exageradamente estranho, mas irrelevante até porque estava em um local público e meu pai queria ter um menino, logo, sempre soube lutar e vivia me metendo em brigas na escola ou nas boates no qual meu pai vivia se endividando nas orgias.

O filme acabou (muito bom, em falar nisso) saí da sessão e a perseguição continuava. Paguei o estacionamento de minha moto (uma Kasinski Mirage 250 preta) que estava estacionada em uma parte escondida do estacionamento, então ele finalmente falou:
– Ora, o que temos aqui? É perigoso andar sozinha à noite sabia?
– Se você se refere como perigo, então eu deveria ser procurada pela polícia federal.
– Perigosa? Você? Ahahaha… Pelo visto, as aparências enganam mesmo. Vamos ao que interessa.

Ele saca uma faquinha ridícula e vem andando em direção, finjo estar aterrorizada e deixo-o permanecer confiante. Aguardo-o chegar a uma distância de 2 cm e espero o momento certo de dar o bote, rapidamente tiro a faca da mão dele e empurro contra seu pulmão.

Foi um desperdício, olhava com cara zombeteira para a figura flácida que estava ali no chão de forma esparramada… Ah como eu podia ter brincado mais um pouco, fazer cara de choro e sorrir depois, talvez arrancar cada unha de seus dedos, ou tacar fogo no cabelo dele (como já fiz uma vez com a minha prima).

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: http://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

38 Resultados

  1. Também fiquei curioso em saber se isso é verdade. Muito boa a história 😀

  2. Áquila G disse:

    Boa pergunta,será que fato real?
    Nossa estou de boca aberta até agora,corajosa ela não?
    Queria ter ao menos a metade da coragem dela.
    Incrivel,parabéns srta Júlia.

    • Sim realmente é uma história para se pensar…

    • Julia Bittencourt. disse:

      haha muito obrigada, fiquei meio com a pulga atrás da orelha… não sabia que vocês iriam gostar tanto :)…. 90% da história é verdadeira, exceto a parte de eu ter matado o carinha hahah só bati muito nele 😉

    • Julia Bittencourt. disse:

      obrigada 🙂 aah qualquer um pode ter essa coragem, pode ter certeza que eu tenho um pouco de medo de escuro e pavor de insetos, principalmente aquele que toda mulher detesta hahaha

  3. va disse:

    muito boa história! interessante, mas queria saber o que acontece depois… 🙂

    • Julia Bittencourt. disse:

      Vou tentar, porém hackearam meu e-mail, aí fica difícil enviar os textos =/

  4. LellaMorais disse:

    Uau, menina valente rsrs ^^ Não creio que eu tacaria fogo em alguém sabe ‘-‘ … Mas com certeza já bati em muitos “Playboyzinhos” metidos a merda.. e em muita garota querendo ser fodona u.u

    • Julia Bittencourt. disse:

      ha adooro fazer essas coisas, mas geralmente eu espero um pouco sabe, já ouviu falar no ditado: a vingança é um prato que se come frio… .
      Tipo, Lella, quando eu taquei fogo no cabelo da minha prima eu tinha uns 10 anos, ela estava cozinhando, eu vi o fogo achei legal e taquei o cabelo dela ali hahaha para apagar eu taquei um balde de água fria nela aushaus

      P.S.: Ela não fala comigo até hoje .-.

      • Acho que eu ficaria im tempo sem falar contigo também kkk

        • LellaMorais disse:

          Ferdinand querido… Você ACHA ?! kkk Eu ficaria… EU AMO MEU CABELO SABE ‘-‘
          Mas querida Ju (posso chamá-la assim ?) , continue assim… eu acho, que…é uma boa pra afastar as pessoas.. afinal são poucas que podemos confiar..

          • Julia Bittencourt. disse:

            Claro que pode, todos me chamam assim (pelo menos é melhor que jujuba ¬¬’ rs)
            Lella, se eu te disser que até hoje não tenho um(a) melhor amigo(a) até hoje você acredita? Porém, nós seres humanos não conseguimos viver sozinhos, ao contrário, nós enlouquecemos.

        • Julia Bittencourt. disse:

          aah que isso, foi só umabrincadeirinha de criança >.<

  5. Solono disse:

    Tenho observado esse blog há um tempo e percebi que vc Ferdinand, que se diz vampiro, falou no seu primeiro podcast que vc tem mais de 300 anos, e depois num outro podcast, de perguntas e respostas, vc diz ter sido transformado em 1850, o que fazendo as contas dá 163 anos. Vc pode se explicar? Imagino que nao. Sera mais conveniente para vc me ignorar e/ou me bloquear, imagino.

    • Mas por que eu ignoraria uma pergunta tão boa? Adoro quando vocês decifram as entrelinhas dos meus textos… Quando comecei a contar minhas histórias em 2008 parecia-me que parecer mais velho seria mais conveniente, porém com o tempo eu percebi que podia ser mais honesto… bem-vindo sir!

  6. A(not)vampire disse:

    Ferdinand, não leva a mal, mas na verdade essas “entrelinhas” parecem mais pontas soltas, porque muitos fatos são contraditórios entre si. São coisas que fazem parecer que esse blog não é autêntico, mesmo eu achando que é. Uma vez você disse no twitter que a Eleonor podia se transformar em lobo. No facebook você disse que ela não podia.
    Sério, é tanta coisa que se contradiz que eu podia ficar o dia inteiro aqui, só enumerando. Pensei que eu era a única que te puxava a orelha com esses detalhes ( lembra que eu já fiz isso uma vez? :P), mas pelo visto não.
    Abraços.

    • Sinceramente não lembro de ter falado isso de Eleonor, mas sim, vejo apenas como entre linhas 😉

    • Julia Bittencourt. disse:

      Desculpem me intrometer, mas você não acha que se fosse exatamente tudo 100% verdade, seria meio que contraditório? Digo, Ferdinand já um bom errante por publicar esse blog. Sendo verdade ou não, as entrelinhas nesses contos são irrelevantes.
      A forma desconexa da soma de todos os textos fazem parecer um diário (que nesse caso é de um vampiro de 163 anos, ou seja, pode haver error ou não.) e indiferentemente, o blog é muito bom.

  7. Solono disse:

    Sou senhorita di Vittore… Concordo com A(not)vampire, há contradições no seu blog…

  8. Sel disse:

    Já que entende, nos explique melhor querido…

    • Precisa? Vocês tem uma vida limitada a uns 100 anos no máximo neste plano, então qualquer assunto relacionado ao tempo é importante. Por isso o apego as datas corretas, ao tempo certo, a hora certa… Diferente de nós que sinceramente ligamos o fod**** pra isso 😉

  9. Sel disse:

    Acho que esse apego é devido ao tempo que passa rapido demais, as datas nos lembra os momentos bons e ruins que passamos, e como isso nos transformou no que somos hoje. As pessoas que querem puxar as rédeas do tempo desesperadamente, ficam implorando para ser vampiras por ai… Mas aqui eu generalizei… cada ser é diferente do outro…

  10. Sel disse:

    Como eu disse, cada ser é diferente do outro, vc nao se importa com as datas e o tempo e eu tambem nao, as datas para mim só servem como:”Hoje é dia daquele show!” ou somente lembranças mesmo.

  11. fabiana lee disse:

    se ha ou nao contradiçoes eu nunca reparei mesmo, a´te mesmo porque eu nao tenho tempo, é uma merda , essa correria toda , bem eu gosto do tempo prque me lembra muitas coisas e momentos especiais em minha vidinha quase pacata ….. bem eu irei observar mais ate hje eu nao encontrei nada nao sei se é porque eu sou meio avoada mesmo ,,,, rsrsrsrsr mais eu digo, se os lobisomens existem porque os vampiros tambem não poderiam, sabem as vezes ele usa isso pra ver se vcs sao realmente avidos a descobrir certas coisas seria um teste ? pra ver o nivel de esperteza sei la ? beisitios ;;;;

    • Julia Bittencourt. disse:

      Fabiana, se existem ou não, gostaria de conhecer alguns deles?
      Acredito que a maioria que lê esse blog, assim como eu, lê mais porque isso lembra muito ocultismo, e na boa?! Nós somos uns bichos muito curiosos. 😉
      Porém, o fato de todos quererem arriscar suas vidas para observar se existe ou não seres sobrenaturais, para mim é algo deplorável.

      • fabiana lee disse:

        verdade eu que nunca quis ir mais a fundo nisso até porque eles tem as vidas deles e não caberia a mim ficar bisbilhotando, e como diz o ditado” quem proucura acha ” eu vivo na minha e eles na deles eles não entrando no meu caminho e nem eu no deles( por vontade minha ne)? , e até mesmo porque isso não aconteceria , nem se eu invocasse ou coisa assim, mais se isso ocorresse eu nao teria medo não …encararia como algo novo em minha vida ….

  12. Áquila G disse:

    Parabéns srta Julia,acho que nem bater nele eu conseguiria.
    Mas meu esposo tenta as vezes me ensinar alguns golpes,mas sou muito pequena e fraquinha tb,rsrssss.

  13. LellaMorais disse:

    Aff, acompanho o blog desde 2008 e sempre aparecem “leitores(as)” querendo dar uma de espertinha.. Não sei se é somente ao meu ver mas… Ferdinand não se preocupa com datas e tempos, ele tem a eternidade.. ele só conta suas histórias.. E se não é de bom grado, retire-se ! Ele nunca pediu a opinião, nem a visita de vocês.. Por mais que ele goste de desafio… Meu Deus ! Acha mesmo que ele iria se preocupar com o tempo.. Nós que deveríamos nos preocupar com isso… Afinal, não viveremos para sempre !

  14. Não entendo o por que de saber se tudo é verídico ou não ?? ninguém acompanha o blog só pelo fato do Ferdinand ser vampiro, acompanhamos porque gostamos das histórias que ele nos conta. Eu particularmente não acredito em vampiros, mas não é por causa disso que eu vou deixar de acompanhar o site.Não fiquem magoados se ele se contradizer, afinal isso acontece até consco pobres mortais, ninguém é perfeito. Ferdinand, gosto muito do seu site 😀 continue assim.

  15. Allice disse:

    looooooool parabens!!!!

    AMEI

  16. Jane Eyre disse:

    Céus, não fale como se todos nós fossemos viciados no tempo, Sr. Ferdinand. Aliás, Tempo é uma Palavra que me irrita extremamente. De vez em quando penso que seria mais agradável estar morta aos 40 anos , só para não ter de ver meu corpo começar a decair em direção a velhice. Imagine só, os dedos enrugados , a visão ainda pior do que atualmente, a audição uma perfeita merd#, sem contar todas as pessoas que eu tenho por conta mortas debaixo da Terra, dentro de caixões.O pior de tudo , porém, é a memória, que apagaria todas as faces queridas e todos os momentos preciosos que eu vivi…
    Não, nessas horas eu acredito que o tempo é uma verdadeira maldição, e que a morte chega como um Bálsamo. A não ser que nós nos lembremos do que vivemos depois de nossa morte, porque se for assim, então Fud#@#! +.+

  17. A Sonhadora disse:

    Nossa que menina corajosa!!!!1

  18. fhal disse:

    Hi gente, tenho lido ou melhor pesquisado o blog desde 2008, como vou dizer fascinacao, nao, certeza. Vou contar uma HISTORIA para vcs. Qdo tinha 8 anos vivi algo quase que impossivel para os olhos humanos. Bom. Vamos la !!! Meu primo morava conosco nessa epoca e como todo recem adulto teve permissao dos meus pais para sair, mas tinha horario para voltar e naquele tempo muitos de vcs dirao anos 80 nao faz muito tempo. Bom, ele voltou mais ou menos as 11 horas da noite pois as Boates naquela epoca comecava a 20 hs. Nos criancas ja estavamos dormindo e nesse periodo de tempo ele conversara com meus pais na sala de vizitas, qdo de repente ouviram os caes dos vizinhos ladrarem e scheiβ o bicho peludo como vc se refere Ferdinand veio correndo para nossa propriedade e surrou nossos pastores alemaes. Meu avo acompanhado de meu pai e primo sairam armados para fora e nos criancas acordamos com o rebulico. Sai na porta de casa e vi aquela criatura que assombrava a vizinhanca ha meses. Tive um medo horrendo no momente, mas como meu avo sempre disse eu seria como ele, entao criei coragem e sai la fora. Gente vcs nao sabem como eestar de frente com uma criatura que vc nao sabe especificar o que e e principalmente sendo uma crianca. O Wehrwolf ( lobisomem) entrou no forno de barro pois nao havia mais saida para ele, com tantos homens atirando, ate que ele com sua furia fulminante estorou o forno e conseguiu fugir e nao esqueco ate hj aqueles caminhos de municoes que paressem fogo durante a noite. Durante um tempo a criatura nao rondou mais a nossa vila, mas anos depois um dos homens daquela noite foi encontrado com seus membros espalhados pela vila e dai entao sussegou. Cresci com essa certeza que existe seres sobrenaturais, pois sou uma das testemunhas desse caso, mas como no mundo de hj os humanos estao mais perigosos que os ” monstros” sem ofender, nao acreditam nessa historia. Tenho algo sobre Berlin tbem para relatar mas uma outra vez. Küss. Fhal.