Um gosto por sangue de bandidos

Um de meus leitores, ele(a) vai saber quando ler isso, me perguntou sobre meus atos, disse que se estivesse em meu lugar faria muito mais coisas, que ajudaria humanidade a melhorar e tudo mais. É por isso que resolvi dedicar um post a esse assunto.

Já faz algum tempo que eu descobri o verdadeiro sabor do sangue. É um sabor que muda conforme o tipo sanguineo, muda por causa da alimentação e principalmente muda por causa das emoções. Sim, as emoções mudam de tal forma que o deixa irresistivel…

Quando passei pela emoção de perder meu primeiro grande amor eu jurei vingaça. Quando passamos por algo como este, isso muda a forma como levamos as coisas e eu decidi por um tempo me alimentar somente de caras considerados “maus”.

Victor era um ladrão conhecido na cidade, era um cara que todos sabiam que fazia merda, mas todos tinham medo de dedurar para a polícia, pois sabiam que ele era como chamamos hoje “Costas quente” do chefão do crime da região.  Como a curiosidade sempre foi uma das minhas qualidades/defeito resolvi então fazer uma espécie de “pesquisa de campo” com o cidadão.

Fazia algum tempo que o tal Victor não aparecia e eu estava de olho, comecei a frequentar os lugares que ele costumava aparecer até que em uma noite eu o vi em um bar. Lá estava ele conversando com outro cara, entre bebidas e rizadas vi o cara passar uma arma por debaixo da mesa para victor. Não tive dúvidas, estava la a minha oportunidade e minhas papilas gustativas estavam excitadas.

As ruas estavam mais escuras do que o normal, pois era época de racionamento de óleo para as luminárias e isso dava um ar mais “dark” a perseguição. Victor andava rápido pelo calçamento e eu o perseguia em forma de névoa. Passamos por diversos lugares até que victor parou em uma casa mais isolada. Deu varias voltas ao redor da propriedade até encontrar uma janela semi-aberta. Entrou. Pegou vários objetos, colocou nos bolsos e eu alí prestes a me materializar terminando com aquele roubo e eis que surge a dona da casa.

O cara assustado pegou sua arma e apontou para a senhorita. Como tenho esse lado humano forte, não pensei duas vezes, me materializei e mordi o pescoço do infeliz e não é verdade que o sangue tinha um sabor diferente… Cara, como era bom aquela adrenalina misturada com o alchool que ele havia bebido…

Desde então adquiri um gosto especial por esse tipo de sangue, e o aprecio sempre que quero digamos “jantar fora”…

Ahh ainda existia a mulher na sala que estava apavorada, na hora minha adrenalina estava nas alturas e eu também podia te-la mordido, mas o anjo dela era forte e só a “coloquei pra dormir”.

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil.

Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos.

Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: https://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

6 Resultados

  1. Letycia Marie disse:

    Uau…….deve ter sido uma experiencia bem marcante na sua “vida” ne???

    Bomm…nao sei se tem alguma coisa haver mas…vo botar pra fora…pelo menos alguem na vida agora tem um papetite bem triunfante pra akbar cm a vida desses bandidos (que tiraram a vida da minha irma de 5 anos por parte de pai)..quero vingança…e acho q assim isso akba…to mt triste..mas fazer o q?? q vida estúpida!!!

    ice blood Kisses **

    by: Lella Marie

  2. Galego disse:

    Olá Lella, nossa que história triste sobre sua irmãsinha… Tu deve ter guardado muitos sentimentos sobre isso, não sou o melhor cara para te indicar algo, mas tenha bons pensamentos que a justiça, falha, tarda mas um dia sempre é feita… Seja pelos homens ou pelos “outros seres”… Very ice blood kisses ^^

  3. Paola disse:

    Hum…interessante, isso me pareçe Toreador 🙂

  4. admin disse:

    Toreadores??? Por que diabos eu fui tentar aproximar a minha realidade da realidade mortal dizendo que era Gagrel, agora todos vão achar que eu sou mais um simples jogador de RPG ¬¬

  5. fabiana lee disse:

    nossa eu particurlarmente odeio cheiro de alcool meu primo bebe e fica com um cheiro horroroso eu gosto mais de vinho martini champange essas coisas mais suaves , e isso ae galego poem esses malas em seus devidos lugares ….