Uma amizade improvável pt3

Uma semana havia passado desde a última vez que vi Kate…. Durante os dias apenas trocamos algumas mensagens, um telefonema e outro e nada mais; apesar de me sentir atraída pela pequena vampira e creio que ela também sentiu o mesmo por mim, eu ainda estava com a pulga atrás da orelha, afinal ela ficou cheia de mistérios e deixou algumas informações vagas, me deixando curiosa e ao mesmo tempo com o pé atrás com ela.

Fiquei deitada em minha cama mais alguns minutos, não senti vontade alguma de levantar, apenas fiquei ali pensando nas inúmeras surpresas que ela poderia me trazer, por que sendo bem honesta com todos, meus últimos relacionamentos não foram um sucesso e só me trouxeram surpresas desagradáveis e eu não iria errar de novo, afinal o saco sobre essas coisas estava bem cheio.

Depois que criei coragem finalmente me levantei da cama em busca pelo meu celular, este estava no balcão da cozinha repleto de mensagens e ligações perdidas, essas no qual eu rodei e vi quem havia mandado mensagem e quem havia ligado. Algumas mensagens do Ferdinand perguntando se eu estava “viva”, recados de fornecedores, algumas ligações de Steven e Daniel e finamente no fim de todas lá estava uma mensagem de Kate, “Lilian você vai estar ocupada sábado a noite? Será que podemos nos ver?”, era um encontro, ela finalmente iria falar algo ou seria os dois ao mesmo tempo?

Marcamos um local que seria agradável para as duas, um lago próximo a minha casa, local discreto e sem muitos humanos para presenciar qualquer atividade mais sobrenatural nossa. Antes que ela chegasse eu liguei para Steven e perguntei para ele sobre ela e o que ela sabia sobre mim e suas palavras foram – Relax Lili, apenas falei do jeito cruel com que foi transformada, de que você curte os dois lados e que era parte da Ordem…. – Isso Steven divulga que eu faço parte de um clã antigo e temido, isso vai atrair demais um par perfeito pra mim… –”

Steven se tocou claro, ao falar sobre a Ordem, mas mesmo assim eu achei que esse era o menor dos problemas, ela não viria atrás de mim à toa, mesmo sabendo de que clã eu pertencia. Esperei mais alguns minutos encostada agora em meu V8, e logo senti a presença dela, descendo do seu Corvette, trajando algo mais confortável diferente do que estava usando no nosso último encontro – Hey Lili! Como está? – no fundo eu fiquei feliz ao ver Kate, mas mesmo assim a pulga continuava  atrás da orelha. Dissemos nossos comprimentos e começamos a caminhar perto do lago, apenas a Lua iluminando a nossa caminhada, o silêncio foi nosso convidado por algum tempo, até que eu resolvi falar algo – Kate, por que quis vir me ver? Aliás, qual o interesse em mim? Aquele beijo foi um tanto rápido não acha? – ela pareceu surpresa com as minhas milhares de perguntas, saiu da zona de conforto, tentou mudar o assunto mas em vão eu não deixei, apertei a mesma tecla fazendo com que ela parasse de andar e virasse pra mim, olhei para baixo nos olhos dela e então outro beijo – Sabe Lili, eu me surpreendo com o seu modo de agir e como é difícil para você acreditar nas pessoas… – ai ai Kate, você não sabe da metade – Eu tenho meus motivos, os mesmos talvez que você tenha, pois fica me escondendo alguma coisa, acha que não percebi que suas indiretas significam algo importante que vai além de curiosidade?! – cara quem me conhece sabe que ser delicada não é um dos meus pontos fortes, por isso deixo de ser assim quase o tempo todo!

Mais algum tempo em silêncio e finalmente ela reagiu depois do baque que levou de diretas mesmo – Lilian eu soube de vocês através do Steven e uma festa destas em comum que nós fomos, ele me falou de você e do Daniel, os grandes amigos dele e eu fiquei curiosa mais sobre você, poís tua história de vida é bem parecida com a minha…. Afinal minha transformação não foi uma das melhores e também o fato de você ser Bi… – Então vamos aos fatos, ela se identificava com a minha história porque havia passado pelo mesmo tipo de merda que eu, OK…. Até ai tudo bem e o fato de ser Bi também não era lá aqueles segredos, mas ainda sim, eu não engolia, tinha algo a mais – Só isso, tem certeza Kate? – Ela sabia que me despistar não seria fácil, aliás seria algo em vão, não soube como agir e então decidiu que era hora de ir embora, se despediu de mim e foi embora me deixando a ver navios mais uma vez.

Voltei para casa e quando passei pela porta meu celular começou a tocar, era Kate – Lili eu sei que suspeita que tem algo a mais, mas eu ainda tenho que resolver algumas coisas antes de te falar qualquer coisa, mas te peço pra confiar em mim por hora e na no momento certo você pode julgar melhor sobre mim… – Eu apenas disse “OK” e “Bye” e fiquei sentada no sofá da sala com aquela cara de paisagem… Mandei uma mensagem para Steven ,”A Kate tem algo a mais que eu deva saber?”, depois de alguns minutos lá estava a resposta dele, “Ela não é apenas uma vampira!”…

Oi? Como assim? Ela vai além de vampirismo? Não é possível, não não pode ser…. Peguei meu carro e segui caminho até o endereço que Steven havia me passado que deveria ser a casa de férias da Kate… Não tenho certeza do que vou encontrar lá mas de uma coisa eu estava certa, desarmada e sem minha Katanna eu não iria, afinal não sei o que vou encontrar lá e não sei o que esse a mais da Kate significava.

A Senhorita Pessimista estava em seu caminho
Liguei de volta para ela mais tarde
Mas ela já tinha partido para outra
Uma leoa, vermelho intenso
Eu devia saber
Quando isso virou uma coisa unilateral?
Não foi só eu que me apaixonei
Às vezes queria nunca ter te conhecido
Se o amor não é necessário
Podemos mesmo chamá-lo de amor?

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Sophia Machemer disse:

    ?louca pra continuação?