Uma nova jornada – Parte I: o convite

Após aquele “conflito” com o clã de bruxos inimigos, a quase volta do espírito de Erner e o sequestro de Lorenzo, senti-me grata por todo o esforço e ajuda que Antoni, Sophie e seu clã dedicaram a mim. Porém, decidi ao menos por um tempo, não manter contato com eles e durante o período que fosse necessário, eu e Lorenzo nos manteríamos em segurança, reservados e longe de qualquer agito. Mas, ao contrário do que imaginam, não tiramos férias…

Quando voltamos da França, meu apartamento no Brasil havia sido invadido. Por sorte, meus documentos e materiais mais importantes estavam muito bem escondidos e não foram roubados. Com isso, precisei correr contra o tempo para encontrar uma nova moradia e um local seguro para nos instalarmos, a fim de despistar também, alguns regrados que me localizaram, diante toda aquela confusão.

Após grande parte dos dilemas resolvidos, reforcei uma série de questões sobre segurança e privacidade, algo que foi extremamente necessário. Mas, após algumas noites, sentido a calmaria novamente. Lorenzo e eu aproveitávamos nosso tempo juntos…

– Becky, você sempre me salvando… – Dizia enquanto rolava para mais perto de mim, na cama.

– Digamos que, não fui eu quem lhe salvou… Mas, fiz o possivel, meu querido. – Disse já levantando.

– Aonde vai, baby?

– Preciso checar uns e-mails, é rapidinho. – Falei dando-lhe um beijo rápido.

Caminhando a passos curtos, pensava em Lorenzo, e em seu futuro. Mas, já em meu novo escritório, concentrada em meus negócios, logo vi que havia em minha caixa de mensagens um e-mail um tanto inesperado. Abri rapidamente e comecei a correr os olhos pelas palavras nele escrito:

“Boa Noite, Sra. Rebecca,

Venho por meio deste, pedir-lhes novamente desculpas por meu mau comportamento, enquanto esteve conosco. Sei que não deveria ter agido de tal maneira. Espero que a senhora e seu humano, estejam bem e em segurança. Gostaria de aproveitar e fazer-lhes também um humilde convite. Nosso clã estará sempre receptivo em recebê-los para que conheçam nossos métodos e nossa irmandade. Peço que pondere sobre a possibilidade de ao menos passarem uma temporada conosco. Ficarei muito grato se aceitar, pois desejo redimir todo o mal feito por meu desconhecido irmão. Aguardo ansiosamente, Antoni.”

Receei por alguns instantes, ainda surpresa. Durante as noites que se seguiram, me encontrava pensando sobre a hipótese. De fato, aprenderia muitas coisas e esclareceria dúvidas que carregava comigo, poderia aprimorar meus dons e poderes, talvez fosse relevante passar um tempo daqueles que eram os mais próximos de minha origem, mas antes, eu deveria conversar com alguém importante…

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Cassandra disse:

    Ficou no ar um pouco de desconfiança e alerta, ou foi impressão minha rsrsrsrs

    • (w) Rebecca W. Erner disse:

      Sim, confesso que no início fiquei bem desconfiada desse convite repentino. Mas, hoje, digo que a experiência valeu a pena 😀