Uma nova jornada – Parte II: conversa entre amigos

Aquele som de telefone em espera e eu, cada vez mais ansiosa. Então, finalmente ouço sua voz grave e divertida:

– Hey Becky, qual é o ar da graça?

– Oi Fê! Muito ocupado? Está a fim de sair para bater um papo? Ter uma conversa num lugar bacana…

– Humm como sabes que estou sem planos para hoje à noite? Tá sabes que não nego um “rolê”, ainda mais com essa lua gigante no céu. Te encontro ai antes da meia noite!!

– Ok, cinderela, até daqui a pouco, então… – Brinquei.

– Hey! Cinderela não!! Sabes bem que no meu conto de fadas eu tô mais pra “lobo mal”. – Falou fingindo repreensão.

– Em pele de cordeiro, claro… – Completei.

E naquele momento, imaginei que meu amigo deveria ter revirado os olhos e caído na gargalhada enquanto desligava o telefone. Avisei Lorenzo que iria sair por algumas horas, troquei de roupa e ao sentir a presença de Ferdinand por perto, peguei minha Gucci e desci calmamente o elevador, até me deparar com aquele loiro de olhos azuis.

– Pra quem precisava de um lugar tranquilo… Acho que essa aqui é uma das ruas mais calmas da cidade!

– Já ouviu que é mais fácil se camuflar em uma multidão? Mas, aqui é um lugar tranquilo, sim. Os bares e restaurantes são boêmios, há cafés, pubs e os frequentadores são na maioria pessoas maduras, não vejo arruaças por aqui. Vamos caminhando? Tem um lugar bacana por perto!

– Vamos, vamos. Tu com essa empolgação de sempre… – Exclamou, esticando o braço e fazendo a frente para irmos.

Enquanto caminhávamos, jogávamos conversa fora em meio a risadas devido ao Fê e suas piadas sem graça. Chegando a um restaurante típico italiano, sentamos em uma mesa discreta.

– Em que posso servi-los?- Disse o garçom, se aproximando.

– Nos traga uma garrafa do seu melhor vinho, querido. – Pedi tentando afastá-lo rapidamente.

Não bebemos o vinho, claro, mas desse modo nos deixaram ter nossa conversa.

– Então, brincadeiras a parte, o que tu me contas? – Questionou Ferdinand.

– Na verdade Fê, eu gostaria da sua opinião. Recebi um convite.

– Um convite, sei!?

– De Antoni.

– Do gêmeo do babaca lá do Erner???

– Do gêmeo do babaca do Erner… Ele pediu desculpas, falou em redenção e nos convidou para passar ao menos uns tempos com o clã dele.

– Nos convidou?

– Eu e Lorenzo.

– Humm…

– O que acha disso? Ele não tem obrigação de concertar o passado, e coisas que não fez. Mas…

– Bom, tu que sabes. Se vai te fazer bem, não vejo mal algum em buscar mais conhecimento. Mas, me diz uma coisa. Essa cabecinha linda tem algum motivo em especial para ir?

– É… Não. Só curiosidade, vontade de aprimorar meus poderes, eu nunca tive um treinamento eficaz. Aprendi tudo sozinha, vamos ver como me saio por lá…

– Tá, já sei. Está se sentindo carente e desamparada sem um mestre….

– Eu carente? Sabes que não. – Falei mostrando a língua e rindo – Não é isso. Na verdade, nem sei o que é ter um mestre, de fato. Mas, a Eleonor me ajudou muito e tenho você agora. Mas, com eles é diferente.

– Tudo bem, vai. Vai tranquila, só espero que não resolva ficar por lá definitivamente. Sabes que nosso clã precisa de ti. Só tenta me passar, tipo uns boletins informativos de vez em quando, principalmente se encontrar algo de muito estranho. No mais é de boas, te dou essas “férias”… – Falou dando uma piscadela. – Aliás tu ficaste sabendo da última peripécia do Franz?

Confesso que me senti mais tranquila depois daquela conversa. Mas, percebi que era melhor mudar mesmo de assunto.

– Do Franz? Não. O que ele fez dessa vez?…. Não!….Sério?…Ele é louco…. – Exclamei enquanto ouvia o Fê falar, já animado e divertindo-se.

E assim as horas passaram voando, como sempre acontece quando dois amigos geminianos se encontram.

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Cassandra disse:

    Ah, assim não vale fiquei curiosa com o que o Franz aprontou… dessa vez ? mas indo à essência do texto. Estou curiosa com o vosso encontro já que o passado com Antoni foi conturbado.

    • (w) Rebecca W. Erner disse:

      Bom, na verdade Antoni apenas me traz lembranças de seu irmão Thomas, esse sim fez do meu passado algo bem complicado. Então, natural eu ter ficado com o “pé atrás” Enfim, Franz vive aprontando né… não é novidade..rsrsrs. No mais, as conversas com o Fê são sempre ótimas 😀

  2. Kelly Lima disse:

    #legal aqui