Vampiros e o autocontrole.

Sabe aqueles dias que tu senta no bar sossegado, e joga papo pro ar com os amigos. Coisa típica de sexta feira? Esse monólogo abaixo é do meu amigo Philip e trás algumas questões importante que merecem ser discutidas…


“Às vezes me entrego as mais típicas perguntas que martelam na cabeça de qualquer ser, seja ele mortal ou imortal:
O autocontrole é possível? O que realmente me diferencia de um mortal?
E sem querer as idéias me escapam e chego a suas respostas como se elas sempre estivessem ali, na minha frente, e tento de certa forma converter todas essas informações em palavras já que a definição de sentimento é totalmente falha quando o assunto “instinto assassino” é posto a prova.
E por falar de sentimento, tento de certa forma compreender até onde essa variação psicológica é possível interferir no meu instinto, uma vez que toda a aproximação é visada em futuros benefícios, creio que sou um ser privado de tal capacidade, não que meu mundo seja somente preto e branco pelo contrário são as cores que divergem toda essa tediosa e monótona eternidade.

Mais tento aqui fugir de qualquer assunto de cunho pessoal, já que tento de certa forma ser abrangente quando o assunto é ser imortal, e por isso que vou tentar responder as primeiras perguntas antes que outras surjam no decorrer desse meu monólogo ou que eu me perca nos futuros devaneios.
O autocontrole é possível? Creio que o autocontrole é possível, pois graças a ele a nossa existência pode se perdurar por todos esses séculos e também não posso deixar de agradecer aos criadores dos grandes hemonúcleos, pois graças a eles não somos mais animais desvairados loucos e sedentos por pescoços como éramos tachados na era medieval.O que realmente nos diferencia dos mortais? Além de todas aquelas habituais características físicas, que todos já estão cansados de saber, creio que para a grande maioria de nós ausência do sentimento, ou melhor, falta das “cores” ou até mesmo dos “calores” que alguns desses sentimentos proporcionam para os mortais, seja um dos fatores que faz com que a maioria de nós seja um tanto quanto “fria”, não que não podemos amar, totalmente pelo contrário amamos. E por amar muitas vezes somos expostos a sentimentos que até então eram privados a nossa espécie.
E agora pretendo deixar uma pergunta solta até onde podemos ser normais? Até onde os sentimentos podem fazer de nós filhos da noite, um pouco parecido com os mortais? Até onde o instinto assassino pode ser controlado? Se é que isso é possível.

Philip.”

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: http://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. rita disse:

    Para começar quero te agradecer teres respondido aos meus emails….:D em relaxao ao tema referido em cima penso que vai da cabeça de cada ser imortal responder a isso poix têm opçao de escolha como nós mortais temos alias cada um decide o que faxer da sua vida imortal …mas tambem acho que tem a ver com a criaçao de cada um e a sua evoluçao….e ao longo dos anos penso que a maioria de voçes já vem a imortalidade com outra responsabilidade e maturidade por assim dizer pois a partir do momento que se “tornam” vampiros passam a carregar responsabilidades e regalias que tem que saber controlar e saber viver e principalmente fazer as opçoes correctas… 🙂 bye bye

  2. John disse:

    Acho que isso é muito relativo, existem certos pontos de vista… O que você sente é variavel, como saber se o amor pra mim é igual pra você? Isso vem independente do que somos, talvez um instinto? Acredito na evolução, talvez tenhamos herdado isso de algum parente distante, talvez dos primordiais, mas com eles era o instindo, a reprodução, porque vampiros continuam amando se não reproduzem? É algo relativo, acredito que alguns possam amar, outros talvez, alguns nem ao menos se deixem levar ou tentem encontrar resquicios de sentimentos que um dia tiveram.
    O autocontrole ao meu ver é derivado dos sentimentos, sendo ele relativo também, para algumas pessoas é mais facil, para outras mais dificil, mas consiste basicamente/generalizadamente em segurar seus impulsos, agora o que são os impulsos pra você? Acho dificil podermos comprar, talvez como a dor, cada um sinta de um jeito, mas não sabemos se é real, pois acredito eu que nunca tenhamos estado na cabeça de outro ser, sentindo com ele, talvez a empatia ajude, mas estaria ela sendo exata? Ou apenas reproduzindo? Como saber? Dificil, a filosofia nos leva a muitos lugares e a lugar nenhum, poderiamos falar sobre isso durante muito tempo até nos perdermos do foco autocontrole e enfim estariamos no mesmo lugar, não temos como saber o que são os impulsos, como funciona nas outras pessoas, pelomenos eu, mero mortal desconheço tal maneira.

  3. Carmina disse:

    Eu acho é que vc não dá ponto sem nó!
    Mas minha opinião do que os vampiros fazem se autocontrole pode acabar com o amor? Eles fogem…pena que nem todas as mocinhas tem um “anjo” para salva-las!
    Se bem que não conheço nenhuma que tenha sobrevivido ao “underworld”!
    Beijokas! =)

  4. Galego disse:

    Auto controle é algo adquirido e aprendido, mas da uma cervejinha pro padre e tu vai ver ele pegando menininhas como alguns aqui em santa catarina…
    Não acredito que alguém consiga se auto controlar 100% se não existisse o amor e afeto isso até poderia existir. Mas depois que o Adão mostro a crobra, comeu a Eva e mato a maça tudo é possivel…

  5. Nan disse:

    Eu ri Galego! rsrsrs…

    É o auto controle é fundamental para a sobrevivência acredito que essa capacidade de se controlar que os vampiros adquiriram faz com que eles passem por entrem nós e não sejam percebidos.
    Mais sobre o Amor? Acredito que é ele que faz com que muitos Imortais se tornem frágeis, quando se tem medo de perder aquela pessoa ela se torna seu ponto fraco.

    Até mais…

  6. gloria disse:

    Autocontrole? Será que é autocontrole controlar-se por muito tempo, tanto tempo até perder o controle do autocontrole? Nesse caso o que estaria me controlando? Seria autocontrole , controlada me permitir conscientemente uma loucura, sugar um pouco da vida presente na alma líquida de um humano, porque me deu vontade e pelo meu controle quero me permitir aquilo?
    O autocontrole é possível, sim. Mas a definição desse termo varia para cada um….
    um beijo.

  7. gloria disse:

    Lembrei-me de algo engraçado. tinha algumas alergias e minha mãe sempre me perguntava: Está evitando isto e aquilo? Eu dizia que sim, comia ou colocava raramente. Mas ela dizia que eu tinha que evitar para ficar boa. Compreendi que evitar para ela era cortar de vez aquilo e não controlar o uso. Cada um tem concepção de autocontrole bem diferente.
    Outro beijo.

  8. Nan disse:

    Creio que autocontrole é se manter conciente de suas ações, sem burlar nenhuma das demais normas éticas do ambiente em que você esta inserido. É contrariar todo o seu instinto, se afastando e se mantendo firme de tudo que seu corpo ou mente lhe pede.

    Creio pois essa questão é totalmente variavel, por se tratar de pessoas, ambientes, culturas e épocas.

    Abs

  9. Ciallmhar, O Cinzento disse:

    Para nós (Bruxos) existe uma diferença entre Auto-controle e Auto-domínio. Controlar a si mesmo é ter vontade de realizar algo e segurar-se para não fazê-lo. Dominar a si mesmo é treinar a sua mente e moldá-la para que só deseje aquilo que você julga ser o certo.
    Nós buscamos o Auto-domínio ao invés do Auto-controle. ^.~

    #dica