Vampiros x Serial Killers ???

Peter é o que muitos chamam de cara de sorte, sempre bem vestido, namorada perfeita, amigos ricos, pais de origem humilde, mas que nem por isso deixaram de dar tudo o que os filhos precisavam. Resumindo, eu não tinha por que seguir um cara desses… Na verdade acho que foi coisa do destino quando ele passou correndo em minha frente, por uma das ruas escuras da velha Berlin.

Eu estava quieto encostado em uma parede, esperado meu velho tio passar. Nada demais para uma noite em que eu ainda tentava não pensar como predador. Uma fase de transição quando nossa cabeça começa a se acostumar com os sentidos aprimorados e as coisas que são diferentes nos deixam afoitos e perdidos…

O vi correndo e quase por instinto comecei a correr atrás, foi como um susto: Em um momento estamos parados e quando nos damos por si estamos fazendo algo… O cara viu que eu estava atrás dele e começou a correr mais, até que entrou em um beco e o perdi… Droga, meu lado curioso queria mais e nem mesmo o cheiro de sexo que pairava do infeliz eu podia sentir como quando ele passou por mim…

Passaram-se alguns meses e lá estava o cidadão passeando com uma mulher de braços dados. Eu tinha por que seguir o cara mais uma vez. Sim, fiquei escondido e comecei minha perseguição. Os dois andavam devagar, se acariciavam e trocavam beijos românticos como dois namorados apaixonados. E minha cabeça martelava a mesma idéia: “Ele não é um vampiro”… “Eu não sou igual a ele”…

Pararam em uma velha hospedagem, dessas que os viajantes pousam quando estão as pressas e não querem qualidade, apenas uma cama… Fiquei do lado de fora, a espera de algo e nada, até que resolvo usar meu dom de se transformar em animais, vou para um canto escuro imagino um rato e instantaneamente viro um desses de esgoto, nada bonito, mas que me permite ir onde humanos não vão.

Meu faro me leva até um quarto onde ouço barulhos de cordas sendo amarradas. Entro e vejo a mulher amordaçada cama, sendo que a única peça de roupa que cobria suas vergonhas era um pano sujo de sangue.

Minha boca salivava a medida que eu via o cara afiando uma faca e seus olhos sedentos de desejo para a pobre infeliz que chorava desolada.

Eu podia me transformar em humano, mas eu sentia apreço por aquela situação. O prazer da dor vinha quando ele enfiava a faca, comparável como quem passa manteiga no pão… Por um instante sinto um silêncio profundo… Rompido por um último suspiro vindo da senhorita.

“Precisamos disso”… “Não eu não quero que ela morra”… Minha cabeça fica confusa.

– Hei açougueiro solte essa faca! Bem que ele tentou me golpear, mas foi tarde, eu fui mais rápido e quebrei sua mão… Soltei a moça ela ainda suspirava de leve… Tome minha querida, beba isso e ficarás bem…

Quanto ao Peter… Ah o Peter, por que não ouviu o que seu pai lhe dizia… Por que quis parecer um de nos…

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: http://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

10 Resultados

  1. Monique disse:

    O que voce deu para a moça beber? O que aconteceu com Peter? E de onde ele tirou a ideia de que enfiando uma faca no coraçao de sua namorada ia parecer um vampiro. ushuashuashua Ele estava querendo praticar um pecado mortal é? Gostei, tem humor. Mas coitada da garota.

  2. Daniel disse:

    Monique, a meu ver, o que a moça bebeu foi o sangue do Galego.
    Peter virou lanche. O que ele quis dizer com “parecer um de nós” foi que ele se considera um serial killer (como pode ser visto no título do post) por depender da vida de humanos para sua existência.
    Corrija-me se estiver errado.
    Bom, vou dormir. 😉

  3. Galego disse:

    Na mosca Daniel… Preciso dizer mais alguma coisa senhorita Monique?
    Que tal por mais lenha na fogueira… O que será pior, um assassino sangue frio, que mata por prazer ou um vampiro que suga suas vitimas sem dó nem piedade para suprir suas necessidades?

  4. Daniel disse:

    Galego, aí está a principal diferença – necessidade.
    Saindo um pouco do assunto, navegando por seu blog vi em alguns posts que vieste da Alemanha. Uma pergunta que aos olhos da maioria será sem sentido, mas com certeza saberás do que falo: Emmerich ou Haushoffer? Talvez haja algumas outras dinastias aportadas em terras germânicas, mas essas são as mais influentes (ou eram, em meados de 1600).

    • Galego disse:

      Interessante sua pergunta Daniel, quem sabe eu faça um post um dia contando as origens de minha família humana… Mas posso adiantar que eu sou brasileiro, minha mãe ainda pequena que veio da Alemanha, isso em meados de mil setecentos e alguma coisa… Só para adiantar alguma coisa da história, quem me transformou no que sou hoje foi meu tio, Barão. Não sei te responder a origem exata de sua família, contudo te garanto que não é nenhuma dessas duas, pois até onde o sei, ele nasceu perto do que hoje é a cidade de Viena na Austria…mas… Sondern suchen Habsburger und sehen Sie mehr …

  5. Monique disse:

    Thank you Daniel….

  6. kira disse:

    Que historia incrivel facinante gostaria de entender
    mais sobre esses sugadores d vida………

  7. monica disse:

    Voltei! E mais forte que nunca!!! RRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR 🙂

  8. Daniel disse:

    “Sondern suchen Habsburger und sehen Sie mehr’
    << Da sua mãe ou do seu tio? Caso seja do seu tio, eu realmente achava que Habsburger era uma dinastia comum. Apesar de importante na história alemã, ainda assim humana.

    Bom, com relação às duas dinastias que citei, realmente um humano não pertenceria a elas (se é que me intende) 😉

  9. monica disse:

    Hello galego! Então k se passa contigo k andas tao desaparecido!!?? Sabes aconteceu-me algo um pouco esquisito ha duas noites! Andava eu nas minhas caminhadas noturnas, quando uma miuda, k por sinal era bem bonitinha, me fitou de maneira estranha e me seguio algum tempo..depois e sem saber bem como, cruzei numa rua mais movimentada e quando olhei pra tras ela tinha desaparecido!! Ontem voltei a encontra-la, mas desta vez e passou mesmo ao meu lado, tocou-me na mão e olhou-me de forma estranha!! Se fosse so isto, ate se poderia dizer k era alguem com uma orientação sexual diferente da minha, algo k respeito bastante, mas o mais intrigante é k os seus olhos eram negros, por completo e ela era gelada como o marmore!! O k achas!? Sera apenas imaginação minha ou é mesmo possivel k me tenha cruzado com uma vampira!! ( Facto k ha tanto tempo desejo e espero)…. Olha ja agora, aceita-me no pedido de amizade k te fiz….POR FAVOR!!:-( Beijão