Velho babaca

Cara eu juro que eu tento ser um vampiro bom, não bater, matar ou fazer qualquer outra coisa que interfira no mundo humano, mas tem noites que o bicho pega. Não, dessa vez eu não matei ou briguei, fiquei apenas na vontade.

A situação foi simples, diria que foi até corriqueira se não fosse eu um vampiro. Estava no shopping comprando algumas guloseimas para minha querida amada, paguei ticket do estacionamento como qualquer um e fui em direção do meu carro. No meio do caminho me deparo com um velho carregando um carrinho e indo em direção ao supermercado que fica dentro do estabelecimento. Percebi que algo o incomodava, continuei indo em sua direção e de repente ele joga uma sacola plástica no chão, na minha frente.

Meu, foi tão na cara que fui obrigado a dizer: – Senhor, o lixeiro é ali na frente. Pegando o papel na mão e mostrando a ele. No entanto para minha surpresa ele virou para trás e disse: – Joga lá… Juro que imaginei a cabeça dele caindo, o sangue jorrando como num chafariz, mas em meio a tanta gente fui obrigado a rir… Ri e apenas falei: – Velho mal educado dos infernos… A minha voz ficou tão enfezada que ele pegou a sacola de minhas mãos com a maior má vontade do mundo e guardou no bolso.

Isso me faz refletir várias coisas, eu poderia dar milhões de recados e o que mais vocês possam imaginar. No entanto, me recolho na insignificância de um velho vampiro bem educado que pensa: O povo tem o que merece… O que tu farias no meu lugar?

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil. Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos. Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: http://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. Júlia disse:

    eu socaria esse velho folgado !!!!

  2. euamovampiros disse:

    eu tambem galego socaria ele

  3. Nata disse:

    A falte de educação do povo brasileiro(não todos)realmente dar raiva,é repugnante ter que conviver com essas coisas,o que nos resta é respirar fundo e seguir em frente,infelizmente.Não dá pra bater de frente com pessoas com esse tipo de mentalidade,gera conflito.Abração.

  4. The Fallen disse:

    brasileiros ? todos são sujeitos a péssima educação … (USA ¬¬)

    Mas é complicado essa situação !
    aja paciência pra aturar !

  5. LellaMorais disse:

    Aff nem me fale ! Aiii Galego, eu não socaria o Velho… Mas iam estranhar um Velho sem Cabeça ! haha

  6. The Fallen disse:

    SUHAUHSUHASUHAUSH , até imaginei a cena!

  7. Baronesa disse:

    Isso é questão de educação mesmo, e vem de berço. nossos filhos refletem nossas ações, então imaginem como eram os pais(isso se o infeliz tiver tido) desse velho?

  8. LellaMorais disse:

    Baronesaaaa quanto tempo hein ?! hahaha

  9. Baronesa disse:

    pois é Lellinhaaa, trabalhando muito nesse fim de ano!! mas ta acabando!! e suas viajens como vão?