Mente sã. Final – Perdendo o controle.

Naquele exato momento eu vi um Ferdinand ir de surpreso ou tenso para sem palavras e nesse instante vi a chance de finalmente falar o que faltava. O vampiro na minha frente ficou sem reação e parecia esperar eu me explicar, mesmo que ele estivesse recebendo um golpe na garganta, Ferdinand pacientemente esperou cada palavra sair da minha boca como um golpe em seu ser.

– Por anos eu achei que eu amava alguém e me apeguei nisso, enquanto tentava reconstruir minha vida na imortalidade. Todo esse tempo entre idas e vindas, batalhas, encontros e aprendizados eu vi que eu estava apenas me apegando em algo que na verdade não condizia com o que eu sentia até você aparecer… Eu tinha tanta certeza de tudo Fê… Eu achava que tinha tudo sobre controle e então eu te encontrei, ou melhor, fui encontrada por você e naquele instante eu tive que aprender a guardar algo que nem eu mesma entendia e hoje, depois de tanto tempo eu entendi, não era apenas admiração por você, eu comecei a sentir algo a mais com cada gesto seu, com cada ensinamento e com cada demonstração de carinho tua.

– Lili eu…

– Deixa-me terminar por favor, talvez eu nunca mais consiga falar tudo, então me deixa só terminar…

Parecia que eu estava sendo rasgada de dentro pra fora, por um instante me senti humana de novo e vi aquela Lilian ainda menina, inocente e convicta que um dia iria casar, ter filhos e um marido carinhoso, ressurgir com um pingo de esperança brotando no meu íntimo.

– Eu percebi naquele tempo que eu estava começando a sentir ciúmes de você com suas parceiras e não entendia o porquê. Pensava o que faltava em mim, o que na verdade nunca faltou nada além da coragem de aceitar o que eu estava sentindo por você. Como eu tentei afastar isso de mim, eu juro que eu tentei, você sabe muito bem como sou teimosa quando eu quero. A merda é que com você eu não consigo e me afastar por todo esse tempo foi pra ver se eu conseguia esquecer você e o sentimento que estava surgindo. Te garanto que não foi fácil, não está sendo fácil na verdade.

Aqueles olhos azuis estavam em um tornado de emoções, eu conseguia ver, acho que em tantos séculos na vida desse vampiro, ninguém nunca falou algo tão direto, tão profundo que o deixasse sem palavras.

– Fê, eu não estou te pedindo pra me amar e nem aceitar o que eu sinto, mas sim para saber o que meus sentimentos reais por você. Eu mesma desconhecia isso tudo até pouco tempo atrás quando foi insuportável não falar mais com você. Claro que eu sentia falta de alguns membros do teu clã, não todos, mas alguns, porém nenhum deles superava a falta que eu sentia de você.

Se eu fosse humana ainda, provavelmente eu iria estar com o peito apertado querendo sumir dali correndo, só que a realidade era outra, sou uma vampira que já enfrentou batalhas, se machucou, se decepcionou e finalmente em meio à confusão da imortalidade achou alguém que fez tudo ser mais leve, mesmo não sendo meu, ele tinha esse dom. Como você tem esse dom e nem se dá conta às vezes.

Não contamos tim tim por tim tim por aqui, porque são tantas coisas e detalhes que devem ser guardados, que o trivial basta. Escrever tudo isso e relembrar aquela noite em que finalmente me declarei para o Ferdinand me fez perceber que nem todo tempo do mundo afastada dele, valeria a pena ou mudaria algo dentro de mim.

Seria em vão.

Ele permitiu que essa história fosse publicada e eu permiti expor um sentimento que para alguns é algo inalcançável e que pra mim agora é uma realidade talvez solitária. Aquela noite eu me lembro como se fosse ontem; vi um vampiro experiente perder as palavras e ficar sem reação, porque afinal se nem eu mesma havia entendido antes de me afastar, quem dirá ele. Ficamos sentados ali naquele cantinho escuro com uma vela iluminando o que parecia uma eternidade de dúvidas em nosso breve silêncio.

Eu senti um peso saindo das costas e outro entrando, porque no fundo eu sabia que talvez nunca fosse correspondida.

– Eu não sei o que falar Lili…(pensativo) você realmente me pegou de surpresa como ninguém jamais o fez em anos…

– Eu sei Fê… Eu mesma não entendia até pouco tempo.

– Olha eu preciso processar tudo isso, é algo de mais pra mim agora…

 – Relaxa, eu entendo Fê, não estou te pedindo nada, apenas estou colocando as cartas na mesa.

 – Sem essa! Eu não quero que tu sumas de novo por conta disso! São muitos sentimentos juntos, sabe? É u preciso processar… Não me olha assim…

Ele precisava entender, assim como eu precisei e naquele instante eu apenas fiz o que me foi o mais correto, me levantei, fui até ele e dei um beijo em sua testa e ele me olhou como quem se desculpasse, segurando minha mão não me deixando ir.

– Quando você souber Fê, sabes bem como me encontrar. Por hora saiba que tens alguém que vai estar sempre aqui por você.

Me doeu ir embora, assim como por uma última vez olhar para o rosto de quem me fazia sentir uma mistura de sentimentos e que eu sabia que me faria sentir mais uma vez a tal saudade brotar no meu peito. Ligar meu carro nunca foi tão difícil como naquela noite que fui embora deixando ele sentado e pensativo, digerindo tudo o que eu havia exposto. Em toda a minha existência eu nunca, como humana e imortal, jamais havia derramado meu coração assim para alguém como eu o fiz para o Ferdinand.

Não importa quantos venham, quantas vão ou quanto tempo leve, se for para aparecer o amor dessa forma na nossa vida, ele vai vir e vai ser de uma vez só. Se algum dia as coisas mudarem e você, Ferdinand, sentir algo assim por mim, eu vou estar naquela velha mesa de bar sob a luz fraca ou de velas, te esperando.

Tudo pode mudar noite a noite.

Ass: Lilian.

3 comentários

  1. Aff Lili, poxa eu chorei mano, sério, eu lembrei aqui do único homem que amei e que se foi pra sempre, só de pensar que nunca mais vou vê-lo novamente me aperta o peito, e entendo a dor que sente e a tristeza, eu até pensei e entendi o teu sumiço, não comentei nada com o Fer porque achei muito íntimo pra me meter ou algo do tipo… Poxa tomara que vc fique bem e que consiga ser feliz um dia … Ahh o amor é belo mas, nos faz sofrer as vezes …

      • Obrigada querida, eu espero tbm, pois é uma dor que não tem tamanho, e nem como explicar, até posso me conformar um dia, mas será difícil, e sei tbm o quanto é difícil gostar de alguém e esse sentimento ficar preso, dá tipo um nó na garganta, é um misto de sentimentos misturados, que sei lá … Mas, só o tempo terá as respostas que precisamos para tudo se encaixar … Abraços …

Deixar uma resposta