A magia e os vampiros – pt1

Quase sempre eu escrevo por aqui para confidenciar meus pensamentos e angustias, relacionados ao fato de eu ser um vampiro. Para alguns, isso não é um fato aceitável e exige muito mais do que conhecimentos ou crenças, pois vai além do que lhes é ensinado em escolas ou por suas famílias tradicionais. A cultura de muitos lugares, principalmente no Brasil da atualidade, salvo alguns lugares específico, é favorável a uma educação mais lógica, desprendida de mitos, lendas e histórias.

Sinceramente quando entrei nesse mundo on-line em meados de 2006, eu vislumbrei muitas cousas, principalmente o fato de que a internet permitiria o aumento do conhecimento geral das pessoas e uma possível aceitação do que nós somos. Todavia, o que eu vejo por ai nesses 7 anos de acessos é que houve sim o aumento do conhecimento geral, mas a questão lendas está cada vez mais apagada.

Que papo de sociólogo é esse Ferdinand? Calma mancebo, essa introdução é para contextualizar minha última aventura junto de Hadrian e Sebastian em meio aos seres tidos como “despertos”.  “Despertos”, aliás, é um termo novo aqui no site, muito utilizado por Hadrian e de significado simples. Abrange todos nós que conhecemos a verdade por trás da penumbra da sociedade humana: Vampiros, bruxas, metamorfos …

Enfim, essa história teve início meses atrás e logo que voltamos do enterro de meu estimado Kieram.  Lembram-se da caixa de Suellen? Pois então, cerca de duas noites depois eu recebi um telefonema de um cara até então desconhecido e que se dizia discípulo do falecido mago. No telefonema ele foi breve e disse apenas que gostaria de marcar um encontro para nos conhecermos.

Naquela mesma noite liguei para meu pupilo (Sebastian) e ele tomou a liberdade de resolver tudo, definindo inclusive um local público e seguro. Tendo em vista, o fato de que não é sempre que nos contatam em números exclusivos aos membros do clã, tal preocupação se fez importantíssima. Naquele mesma noite ele foi ao meu encontro e combinamos algumas ações e reações para evitar imprevistos.

22:10 estávamos no local marcado e fazia 10 minutos que o cidadão estava atrasado. Como não sou muito paciente com horários eu resolvi ir para o terraço e praticar aquela famosa “esticadinha nas pernas”. No meio das escadas eu esbarrei num sujeito  com quase meu tamanho, um pouco mais forte, feições europeias e que descia correndo. Apesar dele não emitir qualquer tipo de energia sobrenatural, os seus grandes olhos verdes e olhar penetrante me chamaram a atenção, a ponto de não reparar em sua voz grave e no rápido pedido de desculpas.

Eu mal havia posto os pés no terraço e estava a ponto de queimar um pouco de essência de menta em meu cigarro eletrônico, quando sinto o smartphone vibrando no bolso. – Herr, nosso convidado chegou – Disse-me o afoito Sebastian. No mesmo instante voltei para o salão e lá estava o sujeito da escada…

Durante alguns minutos ele confirmou sua ligação com Kieran, revelou momentos e situações muito íntimas do velho mago e aquilo me pareceu suficiente para que nos retirássemos para um lugar sem eventuais “ouvidos nas paredes”. Chamei Sebastian para um canto e ele também compartilhou de minha opinião, confesso que inicialmente o sentimento que vinha a minha mente era de que tínhamos diante de nós uma espécie de órfão. Alguém, que independente dos poderes, estava precisando mesmo de um ombro amigo.

Instantes depois a conversa foi retomada num dos meus refúgios e lá veio a revelação: Estávamos diante um trunfo de Gaia, alguém que havia fugido a todas as regras e se revelou como sendo um “mago-vampiro”.

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil.

Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos.

Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: https://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

22 Resultados

  1. Julia Bittencourt. disse:

    Muito bom 🙂

  2. Allice Taranti disse:

    @galego … Galego….

    Sempre me deixando ansiosa para a continuação!

  3. Ana disse:

    Espero pela continuação…

  4. Rani disse:

    Gostei. Ei vc conhece o cla dos Ravinos?

    • Rani, conheço sim mas o clã Ravnos é fictício e baseado nas histórias do livro “Vampiro: A Máscara”, que nada mais é se não um cenário de RPG de horror pessoal, baseado no sistema Storyteller e centrado nos vampiros em um mundo Punk-Gótico. Publicado originalmente em 1991 por Mark Rein*Hagen…

  5. Maila Cardoso disse:

    Bom…

  6. Rani disse:

    olha mas eu estava falando de coisas q moram la embaixo, e vc nem querendo inha ser um ,ta, e n me leve a mal, n gosto de magoar pessoas e nem chatealas ou coisa do tipo viu 🙂

  7. Rani disse:

    Nosferatu, Brujah, Gangrel, Malkavian, Ventrue,
    Tremere, Assamite, Ravnos, Tzimisce,
    Toreador ,Setites, Lasombra Giovanni. Quais desses clas existem?

  8. mariana disse:

    legal!

  9. Rani disse:

    nao brinca! Que coisa chata! E entao quais clas existem? Sera q poderia me disser os nomes se posivel? Beijos. 😉

    • Brincadeira??? Não brinquei em nenhum momento com a senhorita e inclusive citei as fontes dos conteúdos que me requisitou… Sobre os clãs eu já respondi acima, todos os que me citou são fictícios. Obviamente não posso citar os clãs reais, aliás, todos os nomes citados aqui são fictícios e propositais para a proteção dos envolvidos.

  10. ingred alves disse:

    Lgl haha adoro quando vc conta detalhes ^^ espero q n demore pra postar os proximos… bjuss Fê

  11. lucian araujo disse:

    ferdinand vou concordar com vc …….

    • Sobre qual assunto nobre Lucian?

      • john levrity disse:

        ferdinand eu mim refiro ao que vc falou para rani…..mais uma uma coisa eu te digo caro ferdinand não é fácil encontrar um vampiro pois venho buscando a anos …..mais eu sei que logo logo isso vai acontecer …..ferdinand queria um conselho seu se possível sobre encontrar um vampiro …se não quiser responder aqui eu te passo meu face ou e-mail…ficarei grato e a sua disposição ….

        • Adoro dar conselhos sobre como encontrar vampiros… Fuja o quanto puder disso, evite lugares suspeitos a noite e na pior das hipóteses corra, tanto quanto tuas pernas e pulmões aguentarem. Se tiveres um pouco de sorte e juízo certamente nunca encontrarás um vampiro pessoalmente 😉

  12. Lella Moraiss disse:

    @galego , curti curti 🙂 espero pela próxima.. pela continuação (melhor assim).. Como sempre, deixando seus leitores ansiosos 😀

  13. Brigith disse:

    Excelente conselho Ferdinand.