Tag: surra

De volta a uma rotina nada normal – Parte VI

Entrei no quarto, abrindo a porta bruscamente. Lorenzo estava me esperando, embora fraco. Tranquei a porta atrás de mim. Peguei algumas correntes, ele não reagiu para minha surpresa, mas ignorando meu espanto, falei enquanto o amarrava: – Eu ainda não sei o que vou fazer com você. O que sei é que ainda estou com muita raiva. E você merece um castigo. – Tudo bem. Eu não vou fugir. Pode fazer o que quiser. – Cala a boca seu estúpido, frouxo. Beba isso. – Falei literalmente metendo o liquido goela... Continue lendo

De volta à uma rotina nada normal – Parte I

Foram várias noites de viagem, com paradas em hotéis durante o dia. Ao longo do caminho aproveitei para passar em alguns lugares e resolver problemas com os negócios de algumas das empresas que “herdei” de Sr. Erner. Lilian e eu revezamos a direção, não por cansaço, mas porque ambas adoramos dirigir. Literalmente colocamos o papo em dia. Paramos em alguns bares e zoamos os caras que pensavam que éramos garotas indefesas se aventurando na estrada. Tivemos que trocar dois pneus ao longo do caminho, e para isso sim, acabamos precisando... Continue lendo

Brincando com a comida

– É uma pena que ela não tenha entendido a situação e quem sabe agora, no plano a qual sua alma estiver, consiga perceber melhor os seus erros. Talvez Deus tenha piedade de sua alma ou quem sabe o Diabo no qual ela acreditava lhe dê bons conselhos. A esta altura dos acontecimentos o fumo do cachimbo de Frederick acabara e ele apenas o largou sobre a mesinha ao lado. Na sequencia aproximou-se novamente dos prisioneiros, fato que bastou para o homem se estremecer por completo. Percebendo a tremedeira do... Continue lendo

As torturas de um filósofo

“No canto da sala e sentado a sua poltrona predileta ele pitava o tradicional Davidoff, adquirido décadas atrás em uma tradicional tabacaria de Londres. Cidade, aliás, onde adquiriu o hábito de preparar um bom Latakia para os seus momentos mais íntimos e contemplativos…” A noite era fria e úmida, típica da serra e da região a qual ele havia escolhido para seus experimentos, recheados de segundas, terceiras ou até mesmo quartas intenções. Nenhum conforto ou itens da era contemporânea. Todavia, alguns detalhes indicavam seu lado mais refinado e podíamos observar... Continue lendo

Torturas, sexo com vampiros. Pt6

– Jean-Albert Carlotti disse certa vez: “Beleza é a soma das partes funcionando juntas, de tal forma que nada precisaria ser adicionado, retirado, ou alterado”. Esse pensamento sempre me deixou muito curioso e finalmente hoje terei a oportunidade de avaliar tal conceito na prática. Neste instante Frederick, abriu calmante uma pequena carteira de couro, donde surgiu um pequeno e enferrujado, porém extremamente afiado bisturi. Disse ele que fora presente do insano doutor, mas quem sabe? O importante é que teríamos ali uma bela seção de anatomia vampiresca. Como um artista... Continue lendo

Torturas, sexo com vampiros. Pt5

Depois que descarreguei o stress naquele belo rabo empinado, resolvi dar uma recompensa a loirinha e lhe dei algumas gotas do meu sangue. Por que eu queria ver além de tudo como seria o comportamento dela, depois que a afeição consanguínea começasse a agir. Então, posicionei minha modelo no enquadramento que me foi possível e inicie os trabalhos de verdade. Splashhhh – Fez o som da primeira chibatada que lhe dei nas costas, seguido por um profundo e sofrido “Unghhhh”de dor. Aquilo foi lindo meu irmão, tanto que me empolguei... Continue lendo