baphometEstive vagando por Curitiba (capital do Paraná) nos últimos dias e novamente minha busca por algum tipo de metamorfo (de novo) não deu em nada. Às vezes a esperança em encontrar “os outros” por ai surge e dou essas escapadas, mas infelizmente nos últimos tempos tenho tomado consciência de que estou cada vez mais só aqui no sul do Brasil…

Por muitas vezes eu já falei de uma roda amigos que possuo, mas nunca digo quem faz parte dessa roda. Para felicidade de muitos eles são humanos bizarros, mas humanos… O Zé, na última vez que o vi, estava em um cemitério na Espanha… Já o Franz continua sua hibernação em uma de nossas propriedades na Europa. Minha querida namorada por sua vez está concentrada em seus estudos sobre magia em algum lugar da Índia e já não da notícia a tempos.

Minha caçada por lupinos ou seres seguidores dos ditos “maus” ainda não deu frutos por aqui. Somente um bando perdido que estava de passagem.

Aproveitando que estou com tempo de sobra acho que vou retomar os caminhos escritos por Eliphas Levi, ele era grande amigo do meu tio, e deixou alguns estudos como herança e presente. Eliphas para quem não conhece foi um grande estudioso da “alkimya”, falava sobre catolicismo e ainda desenhava quando dava tempo. Grande homem…