Chuva, frio e a minha sede

Hoje é mais uma daquelas noites em que vou a caça, eu já disse que evito isso ao máximo e consumo as bolsas do hemocentro sempre que as consigo, mas existem vezes que a besta me toma. Existem vezes que o sangue falta até mesmo aos que mais precisam.

Nesses dias a sede vem como uma fera em minha mente, os instintos afloram, o cheiro das coisas aumenta e não é mais possível controlar o que nos controla. Os dedos tremem enquanto o lábio inferior tem espasmos e ressecam a espera do néctar da vida alheia.

Acabei de ler o jornal, mais um estupro… O que esses caras têm na cabeça? Ou melhor, o que eles não têm?
Mais um no sul da ilha, bêbado maldito, pegou a própria filha… Eu não queria por a moto na rua com essa chuva, mas minha besta quer dar uma voltinha.

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil.

Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos.

Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: https://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...