Noites atrás publiquei aquela aventura que tive na livraria e hoje eu resolvi continuar o papo de sedução, flertes, paquera ou como queiram chamar a aproximação entre dois indivíduos. É importante ressaltar, que apesar de muitas experimentações, eu sou o que chamam atualmente de macho ou heterossexual, enfim, gosto de mulheres.

Todavia, antes que minha dissertação vire algo machista e focado naquilo que todo macho alpha gosta (sexo), eu queria deixar claro que apoio a independência feminina, os direitos iguais e tudo aquilo que mulheres e homens buscam nestes tempos coevos. Afinal, ao menos para mim as mulheres independentes são mais interessantes, cheias de histórias, experiências e o que mais me agrada é a ausência total ou parcial de pudores ridículos. Qual o problema de sair com as amigas, de ir a lugares sozinha ou fazer aquilo que lhe vier a cabeça independente do que os outros pensam? Eu prefiro essas, no qual chamo de fêmea alpha.

Porém, toda história possui poréns, quando um macho alpha encontra uma fêmea alpha o resultado não é dos melhores. Muita independência compartilhada também gera problemas, como é o caso do poder e a eterna briga de quem fala mais alto e manda na relação.

– Quem você acha que é pra vir me buscar no trabalho, vai ficar me perseguindo agora?

Depois de cinco ou seis encontros eu resolvi fazer um agrado e fui busca-la no trabalho e fui recepcionado com essa frase amorosa. Geralmente eu não correspondo a raiva de inicio, espero para ver se o clima vai piorar e principalmente tento analisar de onde vem a fúria, se é de mim ou estão descontando em mim.

– Oi tudo bom, pelo visto teu dia não foi muito agradável…

– Foi uma droga, a minha chefe é uma louca e trocamos 12 e-mails até que finalmente ela se decidiu sobre a cor do maldito tecido do vestido que eu estava desenhando.

– Humm sei… Ao menos ela escolheu então?

– Sim, mas não mude de assunto eu tenho minha rotina e não gosto de ser surpreendida assim. Por que não me mandou mensagem antes dizendo que viria?

– Eu achei que gostarias da surpresa, desculpe senhorita.

– Ai tu sempre com esse teu jeito, tô cansada hoje me leva para casa por favor?

– Ok sem problemas, tenho compromisso mais tarde e só queria dar um oi.

– Ah tem compromisso, posso saber onde vai?

– Não pode.

– Vai ficar de segredinho para cima de mim?

– Olha garota, tu começaste a noite me soltando os cachorros e agora queres achar problema nas cousas que faço? Convenhamos…

– Ok desculpe também, ai não sei.

– Não sabe o que?

– Não sei se vamos dar certo… (pausa para por as ideias no lugar e respirar fundo) …Somos muito independentes, eu tenho minha rotina tens a tua e nenhum dos dois quer abrir mão daquilo que já fazia antes de nos encontrarmos. Além disso, hoje estou muito cansada mesmo e o stress me massacrou durante o dia.

Tivemos esse papo durante 15 ou 20 minutos no transito. Deixe-a em casa, nos despedimos friamente com um “tchau” e fui para o meu “compromisso”.  Sai de lá pensando no que havia acontecido de errado e tudo o que me veio à mente é que apesar de eu gostar das Alphas, são as Betas que me incomodam menos.