Tag: bar

O mistério do lobisomem – pt2

Claire dormiu praticamente o dia todo e ao contrário dela eu resolvi usar o tempo para terminar de arrumar minhas coisas e fazer alguns contatos. Liguei para meus amigos magistas da casa de Kieran e comuniquei que estava na região. Falei também com o vampiro líder da região, que é um velho conhecido e aliado e ainda avisei a Pepe que estava tudo bem. Horas mais tarde e já pela 16h ou 17h daquela tarde ela acordou. – Que poder tu usou em mim? Eu dormi feito uma pedra, fazia... Continue lendo

Helena entrevista Becky e Lilian

Estou acomodada em um bar discreto e pouco frequentado de “algum lugar do mundo” e que me foi indicado como “seguro”. Estou tomando um Cosmopolitan, aguardando a Lilian e a Becky chegarem para a nossa tão esperada entrevista. Confesso que ficar frente a frente com as duas é algo excitante e ao mesmo tempo aterrorizador. Apesar de ter sido avisada pelo próprio Ferdinand pessoalmente de que ambas são simpáticas e totalmente sociáveis, a ansiedade estava me enlouquecendo. Além disso, agradeço a todos que enviaram suas perguntas pelas redes sociais para... Continue lendo

Fui traído! E agora? – pt4

Assim que cheguei, Franz logo me explicou o ocorrido e o que Ferdinand precisava que fizéssemos. Todos, inclusive eu, estavam decepcionados com as últimas noticias e loucos para pôr as mãos na causa de todo o problema. Pepe com sua experiência em adquirir informações conseguiu uma lista de alguns locais em que possivelmente poderíamos encontrar a Débora.  Assim que anoiteceu, pegamos o carro e saímos para a “caçada”. – Becky e Franz, a gente já rodou a cidade e nenhum sinal da loira – Resmungou Pepe em certo momento afundada... Continue lendo

Ménage no pub

Acordo, tomo um belo banho quente, que inclusive me lembra por alguns instantes como era ter calor em minha pele e atrevo-me a ir em um pub. Noite fria de domingo com poucas pessoas na rua, porém nesta onde fica um dos pubs que tenho em sociedade com o Franz sempre há movimento. Estaciono a “BM” próximo do lugar e antes de chegar já sinto a presença de ao menos dois de nós, sendo um deles Franz. E para minha alegria lá estavam Franz e H2. O ex-mercenário, havia voltado... Continue lendo

Malandro é malandro, mané é mané…

Quão bestial é aquele que suga a vida de outrem? Não caro mancebo, não falo aqui de nos pobres dependentes que sujam sangue para sobreviver. Falo sim daqueles que não precisam dele, mas que o fazem por serem pessoas ruins. Ontem ajudei um amigo em seu restaurante, fiz o que gosto de fazer as vezes que é agir como alguém normal e trabalhei em uma cozinha. Meu amigo é dono de um dos bares que costumo ir para relaxar quando preciso do famoso papo de boteco com os amigos, então... Continue lendo

Vampiro de mal humor

Esta noite aconteceu algo um pouco diferente comigo, mas nem tanto. Como a Beth ainda está longe eu tenho passado minhas noites vagando por ai em busca de novidades e indo a lugares no qual nunca vou normalmente. Costumo praticar aquela ideia de que quando andamos por ruas diferentes descobrimos coisa diferentes, o que acaba resultando por consequência em novos aprendizados. Nesta noite que passou de quinta-feira para sexta-feira, encontrei um bar novo em uma fábrica fechada e próxima a um viaduto. Sabe aquele lugar no qual sempre passamos mas... Continue lendo

Depósitos de sangue

Estava tranquilo em casa vendo alguns e-mails, gravando um podcast com o som ligado e preparando uma jantinha leve para o meu amor. Acontece que ao longe o maldito perfume de plasma a precedeu a sua chegada. A medida que ela se aproximava do cômodo onde eu estava era nítido que havia acontecido alguma coisa. Abri a porta e ao longe ouço a descarga do banheiro. Falo: –       Boa noite amore tudo bem? Ela então responde com uma voz que deixa perceptível o seu cansaço entrelaçado com um sofrimento comedido:... Continue lendo

A bruxa me ajudou na caçada

Frequentemente quando digo à patroa que vou sair para me alimentar é algo chato e trabalhoso. Alguns de vocês irão concordar comigo que mulheres sempre são excessivamente preocupadas. A Beth, por exemplo, é daquelas a moda antiga que sempre querem ir a eventos sociais acompanhando seu homem e faz de tudo para isso. Teve até uma história engraçada de uma vez que ela se escondeu no porta-malas do carro e só fui descobrir quando abri para colocar um defunto dentro e dei de cara com ela e com seu sorrisinho... Continue lendo

Ainda atrás de informações

Acredito ter encontrado um caminho a seguir depois da conversa que tive com o tal Ávila. Era um sujeito sujo e mal encarado, típica pessoa que se olha de longe e se desvia para não arrumar rolo passando perto. Como eu sabia que ele não ia se abrir fácil eu o surpreendi enquanto ia ao banheiro no tal Bar. Tranquei a porta principal rapidamente e o prendi por trás, segurando com uma mão os braços e com a outra pressionei sua cabeça sobre o balcão da pia. – Algumas horas... Continue lendo