Vampiro de mal humor

Esta noite aconteceu algo um pouco diferente comigo, mas nem tanto.

Como a Beth ainda está longe eu tenho passado minhas noites vagando por ai em busca de novidades e indo a lugares no qual nunca vou normalmente. Costumo praticar aquela ideia de que quando andamos por ruas diferentes descobrimos coisa diferentes, o que acaba resultando por consequência em novos aprendizados.

Nesta noite que passou de quinta-feira para sexta-feira, encontrei um bar novo em uma fábrica fechada e próxima a um viaduto. Sabe aquele lugar no qual sempre passamos mas nunca damos muita bola? Confesso que só percebi este em função de minha audição aguçada e de algumas luzes que piscavam por trás de algumas janelas escuras e sujas.

Fiz alguns breves contatos e soube que era uma baladinha alternativa, mas sem perigos (aparentes) aos sanguessugas.

Estacionei a moto, desta noite a HD, em uma rua próxima e fui para a baladinha. Sempre fico com um pé atrás quando a porta da balada é fechada e não tem nenhuma alma penada cuidando, mas resolvi mesmo assim me arriscar nesta investida.

Bati na porta que era de ferro enferrujado com o bico da bota e poucos segundos depois  ouço passos e alguém na sequencia a arrasta lateralmente. Surge então uma mulher grande e forte quase do meu tamanho (1,90) trajada com um elegante terno preto, camisa preta e gravata preta. Óculos preto estilo Ray-Ban e sapatos cuidadosamente lustrados e brilhosos completavam o look da gigante.

Ela me olhou de cima em baixo, baixou um pouco os óculos sobre o nariz para me ver melhor e me disse:

–       Tem convite?

Fiz um sorrisinho de canto de boca,  me aproximei dela e a uns 40 cm de distância de seu ouvido lhe digo:

–       Preciso?

Ela então se afasta um pouco para trás, abre o paletó e me dá um cartão verde escuro quase preto, onde havia escrito apenas “VP“ com uma tinta prateada e já um pouco gasta. Penso em perguntar algo, mas ela abre um pouco mais a porta para que eu entre e me acompanha por um corredor escuro que leva para uma escada até uma porta. Ela abre então a porta e lá estava a baladinha.

O ambiente era de fábrica, muitos corrimões de ferro, dois bares, algumas mesas e cadeiras de ferro, alguns sofás, alguns coqueiros altos. Um DJ em uma pick-up e várias pessoas diferenciadas. Haviam góticos, play boys, patricinhas, gente sem definição e até alguns engravatados mais excluídos. Acho que depois de tanto tempo indo a lugares de gosto duvidoso eu já não vejo tanta coisa estranha.

Enfim, fiz o procedimento Galego de sempre, olhei ao redor para perceber, imortais, fucei pelo bar, dei um pulinho pelos banheiros. Isso tudo vai parecer estranho para alguns, mas infelizmente é uma rotina necessária quando se possui muitos inimigos como eu e se está em um local diferente e ainda desconhecido.

Para minha sorte era apenas um lugar diferente então resolvi sacudir um pouco o esqueleto, dancei por alguns minutos. Algumas meninas tentaram flertar comigo, mas não estava com cabeça para tal coisa, nem mesmo para brincar. Já faz algum tempo que venho pensando na Beth e em como nossa situação vai ficar e isso com certeza é o maior dos meus problemas pois realmente amo ela.

Uma hora e pouco la dentro, já passava das 2 da manhã e resolvi ir embora. Passei no caixa, paguei a quantia mórbida de R$100 reais e fui para minha moto. Para quem achava que essa noite não ia dar em nada vejo ao longe um cara montado na minha moto, que conversava com um outro que estava encostado no muro fumando algo.

Existem noites em que até uma briguinha não é bem vida e continuei normalmente até chegar perto da moto, onde parei e fiquei esperando o cidadão se levantar. Acontece que os dois continuaram conversando e nada de se levantarem. Sabe eu juro que tento ser paciente, mas nos últimos anos as pessoas insistem em fazer merda. Será que alguém pode me explicar por que alguns humanos precisam levar uma boa surra de vez em quando?

–       Amigão preciso ir, será que tu se podia levantar dai?

Para encurtar um pouco a história, o cigarro do outro cara foi parar dentro do ouvido do babaca que estava infectando o banco da minha moto. Já que ele parecia ser surdo nada melhor do que usar os ouvidos deles para apagar a bosta do maldito cigarro que estava me incomodando.

Sim estou numa fase ruim…

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil.

Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos.

Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: https://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

24 Resultados

  1. De fato nem o ser mais paciente do universo iria aguentar uma destas…de que servem os ouvidos senão escutam?…ahhh…sim…apagar cigarros…obrigada pela dica…*-*…
    …sua fase ruin pode melhorar…só depende de vc…!!!

    • Galego disse:

      Quem sabe passe! Muitas águas ainda fluirão. Aliás, hoje chove aqui e isso é bom, pois parece que a luz machuca menos a persiana.

  2. Concordo, como sou clarinha, sou muito sensível ao sol, isso não é clichê, não, é fato, adoooro dias de chuva, pena que aqui está ensolarado hoje…
    …É isso aí Galego, muitas águas ainda fluirão …boas e más…só não vale ficar parado vendo-as passar…

  3. kkkk SI FERRARAM bom mais uma lição que os babacas assim aprenderam NUNCA SE FINJA DE SURDO ..E NUNCA PROVOQUE UM VAMPIRO…….rsrsrsrsrsrsrrsrsr

  4. Galego disse:

    Sei que por muitas vezes eu pareço extremista e acabo resolvendo as coisas na pancada, mas pow paciência tem limite. Ainda mais com uns caras que se acham a última bolacha do pacote… Quer ser respeitado? Respeite! Caramba…

  5. BECCABSB disse:

    Eles pediram pra apanhar…
    Quanto a sua falta de paciência , isso faz parte tanto dos mortais como imortais a diferença e que vc pode fazer mais que apagar um cigarro..

  6. Graci disse:

    oi galego!eu queria saber qual a importancia da sexta-feira 13 pra vcs vampiros!sí é que tem alguma!?.

  7. Ms.Rochester disse:

    kkkk mais uma prova de que paciencia sempre tem um limite.Que cara mais folgado!Vai sentar na moto de outro!!!
    Ah, voce podia pensar pelo lado positivo,voce pode sair todas as noites se quiser e nao fazer merda nenhuma.Já eu tenho de ficar em casa e dormir cedo para ir pra merda do colégio. ~~ (Nada contra,mas estudar coisas que interessam e importam é uma coisa, estudar coisas que nao servem pra Mer#@ nenhuma sao outras…)Se bem que eu prefiro estudar a ficar em casa olhando pro teto… xD desculpe, divaguei legal agora. por falar nisso, voce nunca perguntou para a gente como é a chata vida escolar do sec XXI… ^ ^ Já aprendeu tudo o que tinha a aprender sobre os humanos , galego? xD

  8. LellaMorais disse:

    Não é muito seu forte meter porrada nos babacas não é mesmo ?! Até tenta se segurar, mas parece que otários como esses aí… Nunca apredem.. Assino embaixo Príncipe.. ! Como sempre..

    De sua querida.. Lella.

  9. Galego disse:

    Pessoal, estou retomando o site e então perdões se esquecer de responder alguém…

    A sexta feira 13 é um dia qualquer.

    Um lugar predileto? O morro da lagoa da Conceição de Florianópolis.

    Aprender tudo sobre os humanos? Nossa é complicado entender alguém que não consegue nem se entender a si próprio, não achas?

  10. walyson disse:

    vc só fala de vampiros , ta certo que o blog é sobre eles mas tenta comentar sobre os outros.
    magos
    anjos
    demonios
    lobisomens
    etc…

    • Galego disse:

      Olha Walyson o meu foco é realmente o, mundo dos vampiros,mas se tu der uma procurada irá achar muito mais assuntos além deste aqui.

  11. Lauro Campos disse:

    sem qerer ele tbm posta sobre demonios e lobisomens, só não posso falar muito sobre isso, só ele…

  12. Lin-Kun Cadu disse:

    Walyson não quero ser chata mas esse blog/site se chamar Wampir/Vampir e não Sobrenatural.Org ‘_’

  13. walyson disse:

    ta

  14. walyson disse:

    e se tudo que ja foi dito fosse mentira…
    nao so pelos vampiros mas pelo mundo em si.

  15. Marie disse:

    OK, eu achei que um vampiro entediado fosse divertido de se ver, claro que é, se você não for oi cara do cinzeiro inprovisado! Haha

  16. The Fallen disse:

    Oo

  17. The Fallen disse:

    Eu n tenho tal sorte de encontrar lugares assim …
    1,90 oO

  18. The Fallen disse:

    1,90 de altura alto pra poha…

  19. Baronesa disse:

    lol