Visita de um amigo vampiro

Sushi

Por esses dias recebi a visita de um grande amigo, os íntimos lhe chamam de Franz, mas os seus inimigos o conhecem melhor por Marques. Já disse outras vezes por aqui que ele é uma figura importantíssima em minha não-vida e com certeza lhe devo muito do que sei hoje, pois esteve presente em quase todos os momentos importantes que já passei como vampiro.

Franz é o típico vampiro caricato, daqueles que certamente inspirariam muitos escritores. Ele possui um castelo que data o século de XIV, e tantas outras propriedades ao redor do mundo, mas isso não mostra o que ele realmente é: um tremendo cara legal. Obviamente ele me inspira nesse meu lado mais liberal e isso chega a ser engraçado, pois depois de tanto tempo juntos até que nos tornamos um pouco parecidos fisicamente.

Nesses últimos dias fizemos muitas coisas juntos, colocamos o papo em dia e fizemos a Beth engordar alguns quilinhos pois ambos gostamos de cozinhar para passar o tempo. Na verdade nessas jantinhas sempre haviam convidados, sendo em sua grande maioria amigas da Beth que vinham nos prestigiar. Com tantas mulheres por perto foi difícil manter o Franz sossegado, afinal flertar é o seu segundo maior passatempo. Acho que ele até andou se “pegando” com uma ou duas, mas isso é apenas um detalhe.

Ok, vampiros se visitando, cozinhando para alguns convidados como se fossem compadres? Ué gente isso é um fato que sempre tento deixar bem claro por aqui, pois no fundo sempre agiremos como humanos.

Nesses dias que ficamos nos divertindo eu dei uma pausa nas minhas caçadas, não fui atrás de nenhum meliante, nem muitos menos ataquei velhinhas inocentes em pontos de ônibus. De qualquer forma a rotina e a realidade são sempre um banho de água fria nos momentos divertidos que temos, então hoje eu já vou ter de ir atrás de mais uns pescocinhos. Em meio a todas as nossas brincadeiras eu acho que gastei mais energia do que devia.

Sendo assim, esperem mais histórinhas para manhã ou depois. Além disso quero lembrar que ainda estou na cola da assassina do Zé, isso inclusive foi um dos motivos da vinda do Franz.

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil.

Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos.

Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: https://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

11 Resultados

  1. Jub's disse:

    Nossa e as Vezes eoo achava que quando convidava meuus amigo pra minha caa eles eram estranhos!!^^

  2. H. Cadu disse:

    Quando meus amigos tão aqui em casa (principalmente o João),é como se eles fossem da família,sei la.

  3. Lia disse:

    Sempre é bom rever velhos amigos…

  4. Janaína_S. disse:

    É… Talvez um dia os vampiros não precisem mais se esconderem(talveez), e isso se torne uma atividade cada vez mais comum.. pq quem disse que os vampiros não cozinham? rs.

  5. Janaína_S. disse:

    Mas é sempre bom fugir um pouco da rotina.

  6. *Jack (escrevi errado,não é João :P)

  7. Nossa ,você consegue cozinhar? Eu tentei umas duas vezes e não consegui e na segunda ,o fogo quase me feriu nos olhos.

  8. lol ,uma vez fui inventar de ser o Mr. Foda e a cera da vela quase me queimou na mão T_T

  9. Jeff Andreoli disse:

    nossa eu queria ter um amigo vampiro…e claro ne ser um vampiro tbm \o/

  10. Áquila G disse:

    Deve ser legal reunir os amigos para um jantar bem legal…
    atacar velhinas inocentes em ponto de ônibus,essa não entendi.