Arriba, arriba!

Depois de se separar de Beth, Evelyn ainda ficou alguns dias em João Pessoa. Ela ainda precisava decidir seu próximo destino.
Resolveu que voltaria a Caracas para esperar seu vôo de volta à Europa por lá, entendia melhor o idioma e como não estava mais com Beth para lhe auxiliar com as minúcias do português, resolveu não arriscar.
Passou alguns dias em Caracas até que conheceu um mexicano que também estava ali de passagem. Os dois passaram muitas refeições conversando no restaurante do charmoso hotel sem nem perguntar nomes. Era costume de Evelyn, nunca perguntava o que não pretendia responder.
Mesmo sem geralmente fazer uma única pergunta ela descobria muitas coisas sobre as pessoas. Principalmente se eram solitárias, esse tipo costuma conversar muito com qualquer estranho que lhe sorria.
O homem era bastante atraente, moreno de olhos escuros. Sua pele não era branca clara, nem chegava a ser negro, mas tinha uma cor bonita, diferente aos olhos dela.
Com alguns anos de prática Evelyn aprendeu um truque usado pelas antigas bruxas da Bretanha. Ela desenvolveu a capacidade de se conectar com algumas pessoas que tenha interesse e que tenham alguma sensibilidade ao dom da visão. Esta capacidade permitia a Evelyn apenas formular perguntas e sem pronuncià-las ouvir a resposta. Isto não chega a ser magia ou leitura de mentes, é apenas um dom que algumas pessoas possuem e ela aprendeu como controlar.
Assim Evelyn pensava em coisas que gostaria de saber sobre o homem, mas que não teria a menor intenção de responder se lhe fossem perguntadas, e ele as respondia, quase que voluntariamente.
Quatro dias e seis refeições se passaram até que ele finalmente a convidou para um passeio, foram ao Jardín Botánico. Passeando entre as raras espécies em exposição, o homem sempre cortez falou:
“A propósito, não me apresentei devidamente” disse, “ Me chamo Juan”
“Muito prazer, me chamo Evelyn”
Durante a caminhada, Juan relevou que voltaria a Cidade do México naquela noite e quiz saber mais sobre o próximo destino da bela mulher. Evelyn não revelou muito, apenas que ficaria mais alguns dias em Caracas. Voltaram ao hotel e pela primeira vez combinaram um jantar fora dali, Juan a levou no mais caro restaurante da cidade. Ele queria impressionar.
Os dois comeram, riram, dançaram e de volta ao hotel Evelyn negou às investidas e Juan se despediu com um cavalherio.
Na manhã seguinte Evelyn resolveu não correr o risco que encontrá-lo saindo e fez as duas priemiras refeições do dia no quarto. Passou o resto do tempo na piscina do hotel.
No início da noite embarcou para o uma cidade menor, um pouco afastada da capital. Ali encontrou uma amiga dos tempos de faculdade. Ela foi conhecer o Yopo. Nos últimos meses na América do Sul Evelyn conheceu muitas ervas, chás e misturas que tinha certeza que lhe ajudariam em um futuro bem próximo.
O Yopo é um pó das sementes de paricá, misturado com cinzas de conchas que é utilizado pelos nativos para fazer previsões e aguça o dom da visão. Algumas lendas dão conta que quando inalado o pó aumenta os poderes dos feiticeiros e bruxos.
A amiga de Evelyn já tinha preparado uma porção para as duas usarem aquela noite.
Para inalar algumas pessoas usam um tubo que é feito de ossos de pássaros, outras um tubo longo onde uma pessoa sopra o pó no nariz da outra, pela extremidade oposta. As duas ficaram com a segunda opção e Evelyn foi a primeira a inalar.
É dito que o Yopo geralmente causa dores de cabeça, vômitos e tonturas, principalmente aos que não são acostumados ao dom da visão.
Sentada olhando fixamente para o fogo que ardia na fogueira improvisada do lado de fora da casa, Evelyn esperou passar mal. Mesmo dotada da visão e de alguns pequenos poderes, sabia que não era uma bruxa poderosa e acreditou que seu corpo não suportaria um transe depois dos últimos dois, com o Santo Daime e principalmente com o Chá de Jurema que a deixou muito fraca.
O mal estar não veio e Evelyn viu outra vez a luz que a guiou no último transe. Tentou afastar a visão e a luz se apagou. Em seguida viu o mensageiro do hotel de Caracas, ele trazia uma bandeja com uma carta e uma rosa. As coisas não eram muito claras, e logo depois a imagem se desfez e uma praia surgiu, agora ela via Juan, ele falava mas não conseguia escutar o que era. As imagens continuaram evoluindo e ela viu os dois jantando, depois dançando e os dias passavam. Evelyn se viu coberta de jóias e presentes caros. Cenas do que poderia ser foram pasando e ela apenas assistia tentando entender o que queriam dizer. As imagens pararam de evoluir quando ela estava em pé, dois caminhos se abriam a sua frente, eram estradas escuras de terra, não se podia ver mais que 20 metros além do ponto onde estava. Ali a visão se desfez como fumaça e Evelyn voltou do transe.
Muito cansada e completamente suada, ela ainda precisou usar as últimas forças para entrar na casa, com a ajuda da amiga, para se deitar. Ela dormiu sem sonhar até a manhã seguinte.
De manhã as duas conversaram, Anne era uma simpática ex-colega que abandou a escola de Arte para se dedicar à causas ambientais em países do terceiro mundo. Evelyn tinha simpatia por ela e mesmo durante a faculdade a considerava a menos fútil de suas colegas. Nunca foram amigas íntimas, mas mantinham contato esporádico desde então.
Já de volta à Caracas, ela viu sua primeira visão se realizar. Minutos após entrar no quarto o mensageiro do hotel bateu à porta, ele estava sorridente com uma bandeija, um envelope e uma rosa.
Depois de agradecer ao rapaz, Evelyn sentou-se cuidadosamente na poltrona e leu:
“Espero por você. Juan”
Junto com o bilhete, uma passagem aérea e uma reserva de hotel.
Três dias depois Evelyn deu entrada no hotel em Cancún.

88 Comentários

Desde que voce começou a trazer as histórias de Evelyn eu tenho gostado bastante.Mas saudades das suas postagens galego!

Pois então meninas, eu tenho 3 textos pela metade, e os publicarei assim que der…
Com relação a história postada pela Evelyn eu fiquei curioso para saber o que vai acontecer em Cancún, vocês não?

O nome Evelyn me faz lembrar da minha prima e geralmente esse nome me trás lembranças nada boas u.u Agora é saber o que se seguirá adiante a história de Evelyn ^.^

Me fez ficar curiosa,mas nem tanto…vai que ela acaba dormindo com Juan e escreve isso em detalhes cabeludos para a gente? Não ia pegar mt bem nao né? uasasuhashuahsu. brincadeira, acho que ela nao vai dar o braço a torcer.

acho que tem toda uma questão de destino nessa história. vamos aguardar ansiosamente.

A Evelyn é uma pessoa que tenho muito apreço, temos conversado muito nos últimos tempos sobre tudo o que tem acontecido e principalmente sobre esta questão da nossa privacidade na web. No entanto mas vamos tentar levar isso de boa, afinal no fundo o que é mais atratívo para todos por aqui realmente é a nossa privacidade…

Exatamente.

tem gente que gosta do blog da bruna surfistinha, fabiola Reipert (e outras M*&%$#)…eu gosto do Wampir. 🙂

e isso é tão verdade que vcs podem ver a audiência dessas “fazendas” “BBBs” #lixotelevisivo

Mas essa histório contada pela evelyn dá vontede de saber mais e mais.curiosidade que ta me matando!!!!

o mais legal e ter essa sensação da possibilidade de ser real…é isso que alguns críticos entram no blog, leêm e não entendem…ê povo sem a capacidade de imaginar….

Por mais que eu não acredite exatamente que o Galego seje realmente um vampiro e mesmo que ele seje não vai ser da minha conta,eu sei que vampiros existem tanto quanto o fato de muitas postagens dele são verídicas (mas não posso falar quais elas) U.U Mas imaginar é sempre bom.

Lin, você não é o único a me falar disso ! Quero dizer, trouxe uns amigos pra cá e quase todos dizem que amam as histórias do Príncipe, mas não crêem muito não ! Maaaaas, não dizem que não acreditam 100% porque vai que…. é real (para eles). E como eu fico nessa história ? Bom, fico caladinha até alguém perguntar… ” E você ? Acredita ? ” eu faço olhar calmamente pelo canto do olho e abaixo a cabeça dizendo ” Acompanho o blog-site desde 2008, amo as histórias do Príncipe, e tem certas coisas que me fazem acreditar… E enquanto a vocês… acreditem se qauiser, eu não estou nem aí.. Apenas não falem mal na minha frente, porque eu vou defender o blog #fato “…
Enfim ! Não gosto de me intrometer muito em assuntos particulares das pessoas, mas aquelas que confiam em mim e me contam coisas muito loucas apenas escuto e guardo para mim, não acho necessário espalhar, mas confesso que gosto de escutar histórias cabeludas (principalmente se tiver envolvimento com seres sobrenaturais ) – não que eu seje bisbilhoteira viu Doombringer ?! Eu apenas acho interessante de saber, quero dizer.. saber coisas que normalmente não aconteceria com os humanos !
#FATO

gosta mesmo lella? então devia contar o que aconteceu comigo em uma madrugada por aí… antes eu era totalmente cética, depois desse fato eu passei a valorizar aquela velha e famosa frase que diz “existem mais coisa entre o céu e a terra, do que imagina a nossa vã filosfia”

Por gentileza e para o bem o bom português: nunca mais escrevam “seje”!

Lella é fofoqueira, gosta de saber as histórias cabeludas dos outros. RAIRIAIRAIRIAR! 8D
[/idiotamodeon]

Baronesa -> E eu não nego. \o/
Cadu -> É vício de linguagem, ou seja, o problema é você não o teclado. XD

Bom dia… Bom, eu dou graças por esse blog nao ser um blog em que o autor fique escrevendo merda e putaria nele, já que ninguem merece ficar lendo essas coisas , nao?

Confissão: Pior que eu tenho muita vontade de detalhar mais as histórias dizendo as onde estãos as coias se estão naquiilo, ou se aquilo está nas mãos… Mas realmente ninguém merece ficar falando das putarias da vida, já basta a tv aberta que tem falado muito disso. Minha proposta sempre foi deixar o texto bom para todos.

o site do lewd é bem “explícito”, pra quem gosta pode -se ficar horas nele.

bem ..eu fucei muito e confesso que li alguns posts, porém acho que é um lado noturno bem real que muitos ignoram.

Eu tbm lí o post, mas tem gente que ainda consegue escrever de maneira mais explicita do que aquilo…por exemplo, eu tenho 2 colegas de sala que vivem enchendo o meu saco para que eu escreva contos eróticos para elas. ~~ E digamos que se eu nao fizer, a coisa fica feia pro meu lado porque ai elas contam pro prof que eu dormi na sala de aula ou algo do tipo…entao eu sou obrigada a escrever esse tipo de coisa. (nao que eu goste, mas também nao disgosto, afinal sao muito fáceis de se escrever).

Chet , vc já foi so site do Lewd? (sistinas). o conteúdo é bem adulto, deve ser da forma de que vc escreve.(ou não)

ois e galego posta + historias e muito legal ver como evelym e decidida e tomas suas decisoes sem pestanejar , eu particularmente me identifico demais com ela ,e isso ai! 😉

Não é bem bobagem o que ela falou, apesar de que teve horas que isso aconteceu. Foi mais por questão de perguntas demais, acabar causando algumas brigas entre os membros, falar demais, etc e etc. Fora que também alguns membros não estavam gostando das atitudes dela até chegar o ponto em que foi bloqueada algumas vezes. É só ver em algumas postagens antigas.

gentem eu tambem visitei esse site e bem a dulto com ideias bem explicitas , mais o galego bem que teria coragem de screver coisas cabeludas ne ? kkkkk mais iso nao vem ao caso eu gosto muito muito do site nao fala nada de putaria embora algumas pessoas gostem disso mais dar uma moderada sempre faz bem ate poque eu acho que existam pessoas de menor idade acessando o site ,ou nao ….

Caramba!!1 eu fico um mes sem vicitar o blog e já fazem a festa do caqui? e ai lin kun?? que papo mais noob é esse ??? kkkkkkkkkk

rsrsrs, pelo que vi sugiram um monte de médiuns, x-mans, vampiros e lycans “TEENS”…..kkkk vou continuar lendo os posts antigos(OMG) e depois comentarei…inté 😉

para que mais trolls se tem o Doom e vc , os trolls masters, sem contar o Gabriel que as vezes manda umas geniais. xD

aff, desculpe não e interei 100% ainda. mas capitão troll ficou como uma luva para ti! rsrs