fbpx

Noites atrás

Algumas noites se passaram desde o momento em que fiz uma imersão em minhas andanças passadas. Isso foi de extrema importância para que eu pudesse refletir e até mesmo concentrar-me para produzir alguns escritos. Foram noites desapegadas num quarto de hotel barato, salvo uma dessas, onde a condição vampiresca me obrigou a procurar sangue.

Novidade nenhuma até então, mas por se tratar de um tempo que eu não publicava nada e rolaram uns lances diferentes, resolvi “aparecer” por aqui.

Depois de mais de três meses morando no hotelzinho, eu já conhecia a região. Havia conseguido inclusive dois doadores amistosos. Uma cara que faz entregas de bike pela região e se mostrou afoito por experimentos genéticos clandestinos e uma puta. Eu deveria ser mais polido e chamá-la de garota de programa, meretriz ou qualquer outra coisa, mas é difícil descreve Fátima, uma velha guerreira noturna das ruas.

Fato é que nenhum dos dois estava disponível naquela fatídica noite e precisei ir a caça. Numa pracinha eu vi um casal se pegando no escuro, mas havia muitas câmeras. Num beco tinha alguns craqueiros, porém fui desaconselhado, haja vista que muitos vizinhos tem filmado os pobre coitados para hypar videozinhos no Tic Toc. Ainda tinha uma terceira opção, que seria a velha tática de conquistar alguém e levar pra algum canto.

Preguiça a parte, liguei para o prefeito vampiro da cidade, que me indicou um lugar especial, chamado Boca Louca.

Chegando no estabelecimento procurei o gerente e me identifiquei. Ele me deu uma pulseirinha de cor fluorescente “de balada” para pôr no pulso e indicou uma porta. Tal porta dava num corredor apertado, onde um elevador fora escondido.

Desci meia dúzia de andares e lá rolava um bar com mesas, poltronas acolchoadas e intimistas. Havia também um palco com pole dance, mas ao invés de ter alguém dançando, estavam lá um cara com violão e outro atrás de um macbook. Eles faziam um som diferente, que me lembrou muito os dark folk, no qual ouço costumeiramente quando vou para certos locais da Europa.

Um lanche apropriado

Sentei-me, fiquei ali degustando aquele som sujo, repleto de poesias baratas. Até que uma dama se aproximou e perguntou se eu queria algo. Entendi que sua função seria algo próximo de uma garçonete e lhe pedi o cardápio. Ela Só apontou um QR Code no porta guardanapo e ia se virando, quando segurei sua mão. Senti o calor de sua pele e ela obviamente sentiu o frio da minha.

– Ah se tivesse falado que queria sangue bastava dizer (pausa) senhor! – Respondeu ela num tom pobre de emoções

– Se tiver quente, seria do meu gosto – Apertei um pouco sua mão.

Ela puxou e se soltou com desenvoltura. Deu-me as costas e foi para o balcão. Lá ela abriu uma geladeira, pegou uma bolsa de sangue e trouxe até minha mesa.

– Servimos apenas gelado (pausa) senhor!

– Certo, abra-me uma conta, por obséquio e traga-me uma taça, se não for pedir muito?!

– Claro (pausa) senhor!

Degustei cinco bolsas de tipos sanguíneos variados. Alguns indivíduos tentaram puxar assunto e um deles inclusive tentou me vender drogas, pessoas e objetos de procedência duvidosa. Guardei seu cartão e o endereço de seu portifólio na Deep Web para qualquer eventualidade.

Sem que houvessem outros contatos e já alimentado sai do antro e voltei para o meu cafofo. Na rua, o cheiro de urina, lixo e vômito completavam o ambiente. Transitei entre os bêbados cansados e as putas que jaziam do labor soturno.

Cansei-me.

Já estava na hora de mudar os ares, apesar da variedade e diversidade dos meus vizinhos.

9 comentários

      • Ferdinand, qual dica vc daria a uma pessoa que quer se tornar um vampiro e que sempre teve esse sonho desde muitos anos atrás? venho tentando encontrar maneiras há anos e as vezes parece q estou a andar em círculos, como encontrar um de vocês? existe algum meio pra isso?

        • Olá bem-vindo! Se der uma lida vai ver que não estimulo esse contato. Existem vários motivos, presa VS predador, por exemplo. Quero dormir tranquilo pensando que vocês vem aqui apenas para se distrair.

          • Eu pelo menos venho pra me distrair, pois amo esse tema, e o blog querendo ou não faz parte da minha vidinha rsrs amo isso aqui … O Fer nos deu um verdadeiro presente … E mano, tipo, deixa rolar, vai vivendo sabe ? Vamos apreciar tudo isso o que o Fer escreveu aqui nos deliciar com estas histórias/estórias… Fazemos bem rsrs

      • Caramba Fer rsrs tens se aventurado bastante por aí, é querido, até pra um vampiro tá difícil viu rsrs a gente aqui fica só na saudades … E a Pepe como vai ?

          • Mesmo que sejam experiências comuns, sempre serão experiências, tudo é aprendizado, sabe Ferzinho, nos pequenos detalhes aprendemos coisas que levamos pra vida inteira … E vem cá, só te fazer uma pergunta… Assim, sabe, não seria melhor que tu tivesse uma doadora ou um doador fixo ? Tipo, não seria mais conveniente pra ti ? … Ou não tem nada a ver o que eu disse rsrs ?

Deixe um comentário