fbpx

Novos laços – final

Depois da saraivada de tiros, que inclusive nos deixam mais atordoados na forma de lobo. Olhei para os lados e meu bando havia se dispersado. Procurei pelos infelizes que haviam provocado tal caos e há alguns metros de mim senti a presença de Audny. Franz estava mais para frente junto de Pepe. Não senti Sebastian, tampouco H2. Por que decidi ir atrás de Audny? Só o Diabo sabe…

Mas foi bom, pois vi um pouco do que Georg descreveu em seus diários. Certamente, a palavra carnificina, vem a minha mente quando lembro da cena que presenciei. Ao me aproximar comecei a ver o que parecia a queda de um avião ou a explosão de uma bomba. Vi uma mão com um pedaço do pulso e um relógio. Depois um pé ainda na bota de mato e um pedaço da perna cheios de sangue e rasgos de mordidas.

A cena ainda piorou quando vi o que parecia um corpo menor talvez de um adolescente ou criança e Audny sentada no chão nua. Ela tinha em seu colo um corpo sem cabeça e bebia o sangue direto de onde estava o pescoço. A cena beirava o animalesco, mas piorou quando me aproximei. Pois ela sentiu minha presença, largou o que estava fazendo e veio em minha direção.

Sua face estava deformada, meio morcego, meio humana. Suas feições me lembraram algo demoníaco e cara, aquilo me perturbou. Seu corpo estava mais forte e toda a sua meiguice ou belas formas haviam dado lugar há um lutador de MMA diabólico. Ainda em forma de lobo eu dei umas rosnadas e comecei a dar passos para trás. Eu comecei a desfazer minha forma e pensei em voltar a forma de humano.

Sobretudo, o calor do momento e diante de algo que lembrou minha própria forma bestial, eu não tive escolha se não executar a mesma. Rolamos pelo mato, caímos de um barranco e apanhei muito até completar a transformação. Em seguida a isso continuei apanhando até que finalmente consegui encaixar uma mordida que arrancou um pedaço de carne do seu braço. Ela urrou de dor, mas em questão de segundos ignorou tal situação e continuou a trocação comigo.

Ficamos ali entre golpes de garras, chutes e mordidas por um bom tempo. Quando simplesmente ela começou a parar. Suas feições começaram a voltar ao normal e quando vi, eu estava praticamente com ela em meus braços. Ela me dava apenas soquinhos leves, como um brinquedo que ficou sem bateria. Achei aquilo muito ridículo. A forma bestial é sempre difícil de controlar e a última lembrança que eu tenho nesse estado é de a ter levantado e dado umas sacudidas.

Voltei ao normal e estávamos os dois exaustos. Completamente surrados, cheios de hematomas, rasgos e perfurações. Feridas que em pouco tempo se fecharam, mas trazia consigo fome e a vontade de beber o sangue quente de qualquer coisa viva. Audny me reconheceu e soltou um simples:

– Desculpa, estava com fom….

Ela mal terminou a frase e apagou de ficar mole em meus braços. Franz e Pepe chegaram logo em seguida. Pepe foi a primeira a comentar:

– Caraca chefe, vocês acabaram rapidinho com os caçadores, tudo bem?

Franz me cortou:

– Foi ela e o Georg tava certo!

Existem poucas coisas que impressionam Franz, mas certamente o perrengue causado por Audny o fez rever a ida para a cabana. Decidimos em seguida que eu voltaria com ela e Pepe para a casa da fazenda, enquanto ele e outros dariam fim as hienas. Foi coisa de uns 30 minutos para voltar a passos largos. Coloquei a velha vampira no chuveiro quente e reparei que suas formas eram realmente notáveis enquanto tirava o grosso do sangue e terra de seu belo corpo.

Pepe trouxe uma roupa e a colocamos para dormir em seu quarto, que possui duas camas. Por precaução resolvi mandar minha cria para o meu quarto e fiquei ali vigiando e imaginando como ela iria acordar. Será que lembraria da nossa briga, ou do massacre que ela causou ao pai e filho? Antes de amanhecer apenas H2 e Sebastian voltaram.

Na noite seguinte Audny acordou e se lembrou apenas de flashes. Sebastian me contou que as hienas não ofereceram trabalho e estavam praticamente todas juntas o que facilitou sua captura. Franz foi para a cabana, mas me mandou uma mensagem: “Vou deixar a velha contigo, preciso dar uma relaxada, mas se der merda, avisa maninho!”. Ele realmente estava preocupado.

H2 e Sebastian foram para seus refúgios. Pepe e eu ficamos com Audny mais um tempo na fazenda e em nenhuma noite ela voltou a manifestar toda aquela agressividade. Resolvi que ela poderia passar uns tempos conosco numa grande metrópole brasileira. Quem sabe os encontros com outros velhos e um pouco de política ajude ela?

2024 vai ser um ano intrigante.

Deixe um comentário