fbpx

Novos laços – pt6

Na 7ª noite como já era previsto e avisado por Franz, ele pegou suas coisas e estava para ir para cabana do mato. Lá ele praticamente se liberta de tudo, passa a maior parte do dia pelado em meio as árvores, morros, rios e cavernas da reserva. Um parque florestal que compramos décadas atrás e tem sido um grande playground para o marquês. Certa vez ele me contou que ali ele se permite ser ele mesmo, deixando de lado ambas as sociedades.

Eu por outro lado, também estava com as coisas prontas, mas para antes do fim da noite pegar um helicóptero e ir para um dos grandes centros urbanos brasileiros. Enquanto isso havia preparado uma pequena caçada em meio as terras da fazenda e da reserva. Então juntei todos na sala e fiz uma última reuniãozinha.

– Seguinte, obrigado pela presença de todos inclusive você Franz (risos). Eu sei que você precisa ir para o seu refúgio, mas achei que iria gostar de ouvir o que preparei. Foi difícil, mas consegui trazer um grupo de hienas e as soltei em meio ao parque. A minha proposta é que a gente em forma de lobo faça uma caçada, antes que elas consigam sair da área da reserva. Inclusive para facilitar proponho ir de helicóptero e saltar perto do local onde elas foram soltas hoje a tarde. O que me dizem?

Pepe me olhou com olhos arregalados, H2 fez cara de que estava pronto, Sebastian iria comentar algo, quando Franz colocou uma mão em seu ombro e soltou:

– São quantas?

Respondi rapidamente:

– 5.

Ele se empolgou de imediato:

– Vamos então, vens Audny?

A vampira estava em seu momento contemplativo, mas balançou a cabeça numa breve confirmação. Diante disso apenas reforcei:

– Vou acionar o piloto e em 10 minutos nos encontramos para o voo. Levem somente o necessário.

Vesti apenas uma bermuda e camiseta, estava quente como sempre naquela região e prendi uma faca na perna direita. Algo que já fiz antes e permanecia na forma de lobo. Sem delongas nos reunimos e embarcamos. No meio do caminho perguntei para Audny:

– Você possui o dom da metamorfose, certo?

– Sim, sim em lobo, mas nos últimos anos estava estudando a famosa névoa, todavia nunca cheguei a conseguir.

– Quem sabe e dou umas aulas quando quiser?

– Seria oportuno sr. Ferdinand.

– Não precisas utilizar a formalidade do senhor. Basta Ferdinand.

O helicóptero desceu pouco acima de árvores médias e todos saltaram. Tão logo nos agrupamos eu olhei ao redor e mostrei as jaulas onde as hienas estavam e iniciei minha transformação. Despi-me. O maxilar começou a doer, os pelos surgiram por todos os cantos. Ossos e músculos se contorceram. A boca se projetou para frente, os membros encolheram e já de quaro no chão, minha transformação estava completa.

Percebi que todos fizeram o mesmo à exceção de Audny que permanecia humana. Ela observou a transformação de cada um e ao final se despiu mais para um canto. Sua transformação levou um pouco mais de tempo, mas ao fim surgia ali uma linda loba de pelos marrons com dourado.

Partimos em meio a mata, as vezes Franz liderava, as vezes eu… Em certos pontos até mesmo Pepe indicava um rastro ou outro. Tudo ia bem e realmente parecíamos integrados a forma lupina, ao ambiente e parecia um real engajamento de matilha. Mesmo Audny parecia renovada depois de tanto tempo hibernando.

Tiros. Um, dois, três… perdi as contas depois das várias alvejadas que nos foram direcionadas.

Deixe um comentário