Para os viciados por histórias segue abaixo um pequeno resumo da história da Ordem do Dragão, contada por um de seus membros, minha cria Sebastian.

Para se contar a história da Ordem do Dragão ou Sárkány Lovagrend (húngaro), é preciso recorrer a história da própria Hungria, aos primeiros anos do século XV ou especificamente ao ano 1408 durante o reinado de Sigismund.

Nesta época a Europa enfrentava o fim do feudalismo, a decadência do império Romano, a nobreza estava perdendo seu poder para os comerciantes e precisava conceber alguma forma para proteger suas terras e o seu poder. Este poder ainda era divido com a igreja católica e foi dela que surgiu a ideia inicial de fundar uma sociedade secreta para proteger os nobres.

A história reconhece Sigismund von Luxemburg, imperador da Húngria de 1411 a 1438, como fundador da Sárkány Lovagrend. Isso é uma verdade parcial, pois todos os membros sabem que o grande idealizador da ordem foi o seu amante Ladislaus.

Ladislaus era conhecido por suas ligações com várias sociedades secretas. Encontram-se referências suas entre o povo cigano e também com a ordem de São Jorge, sendo esta última a que garantiu a base para a criação da Societas Draconistrarum (latim).

Inicialmente a sociedade era composta apenas por 24 cavaleiros reais, que dentre várias funções simples, era responsável também por proteger os nobres húngaros e agia como uma espécie de policia secreta da época. Com o passar dos anos vários nobres europeus aderiram ao clube e ele cresceu de forma moderada.

A entrada dos vampiros nesta sociedade ocorreu em meados de 1510, e conforme o tempo passou vários membros conhecidos de nossa sociedade adentraram a ordem como o desaparecido Conde Drácula e também o meu padrinho nessa ordem o Franz.

O que a ordem prega? Hoje em dia muitas coisas, mas acima de tudo o seu principal objetivo sempre será a própria proteção de seus membros, sejam eles humanos ou não.