São apenas 19:15 e eu acabo de chegar em casa, recém tinha escurecido e eu fui em busca de alimentação. Procurei nos contatos por bolsas de sangue, mas como sempre nada disponível. O pior é que meus contatos são muito bons, aliás, hoje é fácil conseguir praticamente de tudo, não acham? Basta se fazer de louco ou manter um estilo mais excêntrico, tendo dinheiro é o que importa para ninguém desconfiar e ficar na sua.

Nestes dias de seca, podemos arriscar a ficar mais um tempo sem sangue, ou sair à luta. Neste contexto vocês sempre leem minhas histórias de combate ao crime em que aproveito para me alimentar, mas isso são ocasiões impares. Apesar dos poderes e da vida eterna não é sensato sair por ai feito um inconsequente. Até mesmo um renegado das tradições como eu teme as punições superiores e acima de tudo a morte final.

Fazer o que então? Restam algumas opções, sendo a mais usual aquela no qual se recorre aos nossos queridos animais. Ontem mesmo me perguntaram se eu não conseguiria me alimentar apenas com o sangue deles e eu disse:

– Tu já tentaste beber sangue de algum animal com o mesmo tamanho de um humano?

Não é uma questão fácil, por mais que eu tenha o dom de falar com eles, isso não adianta de nada quando o assunto é o sangue próprio. Desta forma e já que ainda não tive paciência para aprender o dom de dominar as vontades animalescas, o negócio é partir para a força bruta, algo que tenho de sobra.

Aqui na região é fácil encontrar pequenas propriedades que contenham bois, vacas, cavalos e até avestruzes. Fato que permite uma alimentação tranquila, salvo alguns aspectos que devem ser bem analisados como horários, tipo de animal e ambiente.

Ates de continuar com o lance dos animais eu queria lembrar que muitos vampiros preferem se alimentarem de prostitutas, mendigos, doentes e até mesmo cadáveres. No entanto como vocês sabem eu tenho um gosto mais apurado…

O jeito mais fácil que encontrei até o momento para se alimentar de animais de grande porte sem maiores inconvenientes é comprando uma espécie de anestesia vendia em farmácia. Basta se aproximar do animal, injetar uma dose pequena e esperar até que ele fique sonolento. Depois disso retiramos com as próprias presas um ou dois litros de sangue e lambemos a ferida para cicatrizar. Depois de algumas horas o animal volta ao normal e sem qualquer sequela.

Ok, por que não fazer isso sempre? Primeiro por que o sangue deles é mais fraco, no geral esses animais grandes são herbívoros e não possuem tudo o que necessitamos e segundo por que entra a velha história da maldição vampírica. Somos predadores de humanos e se ficarmos muito tempo sem nos alimentarmos deles começamos a perder o controle se aproximando cada vez mais de nossos demônios. O que pode ocorrer quando um sanguessuga é consumido pelo seu demônio? Isso já é outra história…