Adoro ver o sangue de traficantes

Nestas últimas noites vivi momentos interessantes junto de minha amada Beth. Momentos em que por vezes desejei ser mortal para poder passar um dia inteiro a seu lado, aproveitando cada segundo a seu lado. Claro que não fico me torturando por causa deste mísero detalhe, todavia achei legal falar disto, pois ouvi comentários aqui pelo blog com dúvidas a respeito do que Beth estaria fazendo.

Enfim, deixando o lado humano de lado, este post é para falar de uma história interessante que me ocorreu a umas quatro semanas atrás, onde ajudei meu cunhado na perseguição e posterior prisão de alguns traficantes de drogas.

Esta história teve início em uma noite no qual a Beth ligou para seu irmão, para felicita-lo por seu aniversário. Minha audição aguçada que sempre está ativada, me fez ouvir “sem querer querendo” ele comentar que estava em um caso de tráfico. Situação que obviamente me chamou atenção e no momento em que lhe felicitei inevitavelmente acabei lhe fazendo falar um pouco mais do que podia. Apesar dele ainda estar bravo comigo por causa da última vez que nos vimos…

Descobri que a ação promovida pelos colegas do meu cunhado se passaria em um hotel e lá fui eu tentar dar uma de policial para combater o tal 290 (crime de tráfico). Meu cunhado me conseguiu um uniforme, armas e eu resolvi utilizar um novo poder chamado Maskharah que o Zé estava me ensinando antes de sua morte. Com este poder é possível imitar a face de outras pessoas com todos os seus detalhes e formas, utilizando-se de um pouco de ilusionismo e atuação, claro.

Lembro que o grupo se reuniu próximo das 20h e la estava eu se passando por um recruta da entorpecentes. O plano discutido era simples, dar flagrante, apreender todos os materiais ilegais e elementos envolvidos.

Porém nem tudo é tão simples quanto se pensa e assim começava mais uma aventura em minha não-vida…

1h – “Merda!!! De onde veio todo esse armamento?” Essa foi a última frase que ouvi do capitão antes dele ser baleado entre o pescoço e o colete e cair ao meu lado. Enquanto eu o puxava para o corredor senti de imediato que o grupo pensava em fugir, mas meu cunhado, que era o segundo no comando, tomou as rédeas da situação. Ele nos reagrupou então numa região segura no corredor daquele hotelzinho barato para reprogramar a ação.

1h 10m – Chamamos reforços e o pessoal que estava do lado de fora lançou granadas de efeito moral e fumaça para dentro do apartamento. Não demorou muito para que eu ouvisse movimentação dentro do apartamento e ao avisar meu cunhado ele me chamou num canto e perguntou o que eu podia fazer. Até pensei em me transformar em algo ofensivo, mas não podia fazer aquilo em meio a tantos humanos. Na hora a melhor solução foi se esconder no andar de cima e virar névoa para invadir o apartamento na surdina.

1h 17m – Combinei a ação e pouco tempo depois eu estava dentro do apartamento em forma de névoa, havia muita fumaça o que dificultou um pouco minha visão, todavia consegui ver os 5 elementos trancados em um dos quartos, programando suas próximas ações e recarregando suas potentes armas. Um deles inclusive possuía algumas granadas em uma cinturão. No quarto também haviam duas malas com cocaína e uma mochila com muito dinheiro, ou seja, tantos os vendedores como os compradores estavam ali.

1h 25m – Meu cunhado estava tentando manter uma negociação com os elementos e por duas vezes ele falou em alto e bom tom “O prédio está cercado, se entreguem e vamos acabar logo com essa palhaçada!”. Porém os safados não se manifestavam e apenas um deles disse cochichou: “Cara só vou sair daqui morto”. Ao sentir tão demonstração de desapego diante de sua vida aparentemente inútil, meu lado sombrio começou a me instigar e meu demônio começava a implantar ideias em minha cabeça: “5, até que não é tão difícil”, “Cinco corações pulsando, lembra-se do gosto?”…

Em momentos como esse é sempre difícil manter a concentração e mesmo com a vontade chicoteando minha mente eu consegui resistir bravamente por mais alguns minutos. Não demorou e minha audição aguçada me permitiu ouvir os dois grupos se manifestando para agir. A partir desse momento seriam poucos segundos para eu poder fazer qualquer coisa e acabei optando pelo belo e bom improviso.

1h 34m – Já em forma humana usei minha velocidade para pegar algumas das granadas de fumaça que ainda expeliam o seu conteúdo, aproximei-me com a mesma rapidez do quarto onde eles estavam e as joguei dentro. Em segundos eles começaram a tossir e assustados saíram correndo do quarto.

Puxei as pernas do primeiro e o arremessei contra as paredes do corredor em direção a sala. O segundo vinha logo atrás ficou assustado com o que presenciou e tentou atirar, mas não conseguiu pois fui mais rápido e lhe dei uma coronhada com minha pistola em seu pescoço. Logo atrás vinha o terceiro que me viu batendo no segundo e recuou. Encerrava ali minha sequencia pois levei dois tiros de escopeta que por sorte acertaram meu colete a prova de balas mas que me derrubaram direção a sala.

Nesse instante vejo dois policiais invadindo a sala munidos de escudos e capacetes, logo atrás vinha meu cunhado que falou em claro e bom tom: “Rendam-se vocês não tem mais para onde ir”…”Joguem as armas e saiam com as mãos na cabeça”.

1h 38m – Os três que restavam jogaram as armas no corredor e se renderam. Meu cunhado veio até mim me deu um capacete e sussurrou: “Tua máscara caiu”. Um pouco atordoado com o impacto do tiro eu me recompus e levantei. De imediato vejo o capitão se aproximar, sua ferida já estava protegida com uma gaze improvisada, mas mesmo estando fraco ele teve forças par ame dizer: “Aqui não existe lugar apara heroísmo garoto, pega tua sorte e volta pro colo da tua mãe, tu quase fudeu a operação”…

3h 28m – Já em casa e no chuveiro revejo mentalmente meus passos. Nunca gostei muito do sistema policial e de toda aquela moralidade irrefutável. Será que eu realmente havia me precipitado? Bom, se fosse noutro lugar onde eu pudesse me transformar em minha forma de batalha seria o fim daqueles humanos…

Fui dormir repensando minhas estratégias e em como as coisas mudaram hoje em dia. Concluí mais uma vez que minha intuição havia gerado mais problemas do que resultados positivos e com isso foi impossível não relacionar tudo aos 30 anos que perdi dormindo.

146 Comentários

Oi gente sou novo no blog comecei agora, eu li um pouco dos comentários de vcs e tbm quero um “Seja bem vindo” de vcs obrigado!

Poxa Galego, você só queria ajudar não é mesmo? o capitão ainda te deu um puxão de orelha. Que azar hein. kk

è galego as coisas mudarao muito e nao para melhor 🙁 se vc notar ele nao liga para operaçao ele fico com medo de vc pegar lugar dele

Oi, Galego.
Sou nova no blog. Sei que tem muita gente querendo tua atenção, mas eu tb quero e estou esperando que vc apareça, ouça a minha história e a leve a sério. Quanto à sua aventura com traficantes e policiais: que tal deixar tudo acontecer primeiro e depois ir atrás deles, um por um? Imagino várias estratégias para fazer isso…

È Galego, para aqueles policiais cada operação é única e muitos não voltam mais para suas casas…você ainda se arriscou por ter a vantagem de não morrer. Mas fala se aqueles tiros de escopeta tivessem pegado ia ser um estrago não é?

verdade e bota estrago nisso se atravessaçe o coração ou a cabeça do Galego ele não voltaria…

Pois é, Moon o Galego começa o post falando do prazer que sente em estar na companhia de sua amada Beth, logo após se põe em um risco que ao meu ver(repito ao MEU ver) foi desnecessário uma vez que já havia um equipe inteira mobilizada, me pergunto se ele realmente a ama tanto assim…

Quantas perguntas… Vejamos:

Baronesa, amo muito, mas preciso de adrenalina na minha vida. É um vício ou quem sabe uma paranóia. Cada um com seus defeitos, afinal quem disse que sou perfeito!

Moon, nunca levei tiros na cabeça, mas apesar da dor acho que eu regeneraria se ela não fosse inteiramente ou muito destruída.

Msa, não sei, pode ser. Contudo eu acho que tenho agido de forma errada nessas operações. Talvez eu precisasse mesmo dar uma moderada e me contentar apenas com uns pescocinhos de vagabundos por ai…

Pois é Galego ninguém é perfeito e se ela te aceita assim…mas não negue que ela fica com o coração na mão quando você sai para essas loucuras não é?

Baronesa prefiro achar que ela já esteja acostumada com minhas extravagâncias, mas confesso que tenho medo de perde-la sim… Isso vai parecer papo de viciado, mas eu tento me controlar sempre que posso.

Galego Não Disse Que Você Levou Um Tiro Na Cabeça Disse se Voçê levar um tiro de escopeta pow você não iria voltar…
faça como eu to ajudando um demonio para proteger minha amada e minha familia isso não quer dizer que to dizendo para você ajudar ou trabalhar para um demonio (como eu) para protege-la mais conserve-se ok ?

Cara , vida de policial é arriscada u.u Lembrei do meu pai falando que não corre mais atrás de bandido por que já tem os policiais novos trouxas pra fazer isso xD

parando de falar em fotografias o pai do meu colega era policial mais ele parou e virou bombeiro porque ele descobriu que rolava muita coisa errada no meio da policia. E assim ele pode salvar muito mais vidas o que como policial

Que história Mais tensa…Me irritei com o capitão , parece ser mais um tipo de cara super idiota que nao consegue aceitar o fato de ter sido passado para trás…

Finalmente um post que eu posso falar com conhecimento de causa. Caro amigo Galego, vc quase ferrou a operação, com certeza e para os demais colegas, não acho que o capitão ficou com medo de perder o lugar, acontece que nós policiais,não contamos com seres imortais( a grande maioria nem acredita que exista) para fazer o nosso trabalho e cada operação é montada cuidadosamente.
Cadu não acho que policial que faz seu trabalho seja trouxa, trouxa pra mim é quem não gosata do que faz e mesmo assim continua ali sendo infeliz.
Quando visto meu farda preta, deixo ser uma mulher normal para ser uma policial que não refuta em atirar se for preciso, em quer que seja.

A Fernanda está completamente correta e de certa forma me lembrei de algumas conversas que tivemos enquanto escrevia este post…

Seu pai por acaso chama os mais novos de trouxas? ( sem querer ofender seu pai). Ou Lin-Kun to com uma dúvida se seu pai chama os outros de mais novos ele deve ser o mais velho né? então ele é o Cacique do bando?

Bacana Fernanda saiba que eu admiro muito essa profissão. e quem as realiza com respeito e honestidade 🙂

“então ele é o Cacique do bando?”

Wait! Quando é que os indigenas entraram nessa estória? º-º

Imaginar meu pai como cacique fica muito escroto,meu pai é dos anos 60,é velho, é policial e fala isso por que acha que a geração nova é um pouco preguiçosa xD Mas ele ajuda os policiais mais novos u.u

è comum os da “velha guarda” comparar os policiais do dia de hoje Cadu. mas seu pai agora está aposentado né, legal ele querer ajudar.

é Lin-kun não confunde mais agora imaginei meu pai indigena morri de rir agora…

Ai meu pai não é Indígena mais ele tem uma brincadeira de falar de uma “Vó Índia”
Dai quando eu pergunto pra ele ou pra minha irmã: Quem foi?
Eles respondem: “Foi minha Vó Índia”

Rafízia, esse cara aí é teu aprendiz, parente ou coisa assim?

não, sério Galego. É o meu irmão mesmo. Pow eu fiquei tão trsite de saber que ele tinha escrito akelas palavras bonitos no solidão. Eu devia ter desconfiado que o guerreiro era bom demais para ser verdade. É o meu irmão chatinho mesmo.

Obrigada Baronesa!
Galego, tb lembrei das nossas conversas qndo li o post…e “alterego” é sacanagem! rsrsrs

Parece que estou vendo um filme de ação!!! Cada vez que leio as suas histórias me surpreendo… Que poder é esse: Maskharah? Como assim você pode se transformar em qualquer pessoa???

Adorei Galego… interessante, você ajuda e ainda recebe crítica! Isso eu chamo de puro orgulho, custa nada adimitir que você foi bem na ação?!
beijo

Vá, se eu entendi é uma espécie de transfiguração principalmente do rosto não é Galego?
** uma espécie de Shang Tsung (pra descontrair xP)

Olá,sou novo por aqui,mas acompanho as ‘falcatruas’ do Galego desde 2009.
Resolvi me registrar agora,e devo confessar que o Galego é demais!
Bom… Até o próximo post!

não sei muito sobre o galego mas tudo o que sei adoro, nossa galego você é uma pessoa espectacular, continue postando suas historias, estou adorando esse blogue 🙂

Galego e seus Jutsus hahahaha

Nunca vi/li/ouvi ninguém conseguir exteriorizar uma transfiguração física nessa magnitude, transpor o astral dessa forma leva anos de treinamento, muitos anos mesmo.É,caros colegas, uma viva para a magia! Quando ela não nos ferra, nos ajuda.

Mas é possível então essa transformação? Isso é muito doido. kkkkkkkkk…..

Ow Gabriel, qntos anos vc tem? Uhu, Onde está o Naruto? pq num tem um Naruto nesse site? narutoooooooo te amoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo. rsrsr

Minha idade..digamos que..já possuo a maioridade penal Rafizia.

Va, sim é possível tal feito, pelo menos na teoria sim. Veja, sei que são coisas muito distintas, mas tome como analogia os licantropos( lobisomem), ok ?
Pois bem, se é possível ”tornar” o corpo na forma de lobo, com direito a focinho,garras,pelos, altura considerável, mudar a face soa como brincadeira de criança né?! Que fique claro, não há mudança no corpo genético nessa, como dizer, é.. MAGIA (não achei palavra melhor então vai ser essa), nada passa de uma ilusão aos olhos de quem está ao redor, e para mantê-la é preciso concentração, bom equilíbrio enérgico no momento, entre outras coisinhas.. entendeu ???

Então se alguém chegar e tocar no rosto da pessoa que está concentrada na mudança, ele vai voltar ao normal, já que nao passa de uma ilusão?

Estamos falando de uma ilusão de ótica ou de uma ilusão material, na qual é possivel tocar no indivíduo sem mudar realmente o objeto em questão?

Não, estamos falando de MAGIA. O fator que a mantém é a concentração assim como em qualquer ato mágico, não leve muito ao pé da letra a ”ilusão”.
Cadu, a dita ilusão é no campo físico mesmo. Um grande magista,mestre nesses atos, pode ficar, como no caso em questão, com uma outra face por tempo que bem entender e também pode mudar o corpo todo, sem precisar de tanta concentração.
Vale ressaltar que isso não se mistura com os metamorfos , embora seja um casa semelhante.

Galego,meus sinceros parabéns,porque “fazer” o Maskharah é bem complicado.Mas na minha opinião você foi bom na operação só acho que se arriscou demais,mas é sempre bom uma adrenalina.:)

Eu tenho algo a dizer – eu to comentando bastante hj. Querem saber duma coisa? To nem ai se o sistema bloquear. Eu quero mais é que o celular do galego desperte. Agora, Galego, fred meu filho, que tenho a ver eu se o seu cel desperta toda vez que alguem comenta? É cada papo sem noçao viw.

Uai, ele ainda flo que pode por no silencioso. haha. Esses paoos sem noção me impressionam. O sitema vai me bloquearrrrrr(de novo)

Ha, eu sabia. cadu, toda vez que vc comenta eu clico no link, qndo eu chego lá, vc num diz nada. Vai escolhe o tema pra nos conversar. Pra mim comentar. Ki tal : Eita livrinho atrasado esse do gal. E outra, vo ler logo logo Dracula o homem por tras do mito, te amo vlad, vc é super.

trabalho em Mairinque Rafizia, onde fico a maior parte da semana, mas moro mesmo em São Paulo.

Aqui é mais gostoso Cadu! (a não ser pelo fato do pc em que estou não entrar no chat) =)

Um pouco confuso , sobre oque dizem …
crianças que ja perderam o medo da noite .?!
Talvez não tenha tamanha paciência para encontrar o nome do
clan de vosso mestre …

´´A verdadeira solidão, isto é, aquela que faz sofrer, traz consigo o desejo de matar´´.

Bullshit.
Quando alguém se sente sozinho não tem vontade alguma de matar. Aliás, eu me sinto terrivelmente sozinho agora. Vou lá pro meio da rua ver se alguém me dá um abraço. D8

Pois é.
A rua tava deserta com a exceção de um cachorrinho.
Ele foi a vítima. ‘-‘

Acho que vou tomar banho.

Manolo ou Manola?

eu vou
ai te dar um abraço e conversar com vc!

Pois o meu se aproveita pra lamber minha cara todinha.
E os óculos… ARGGHHH! Deve ter doce no maldito.
Mas eu amo aquela bolota de pêlos e rugas.

Levei um fora ! \o/
rsrsrsrs …
antes só do que mal acompanhado né ? srsrsrs

Isso, isso!
Um esquisitão que passa maior parte da semana vestindo kimono, sempre com a cara metida em livros e que só abre a boca pra soltar piadinhas infames é uma péssima companhia.

kimono <<< ? mosquei ¬¬

Mas ta explicado que a unica companhia a qual possa ter se resuma
a um cão de rua .

fala sério …

xD Mas aí é que tá a graça, cães não julgam pessoas pelo físico e sim pela personalidade. Através do olfato eles conseguem saber tudo sobre você, qualquer coisa mesmo e dependendo da emoção em que você se encontra no momento ele sempre vai arranjar um jeito de te confortar.

é eu também tenho um cão!
Mas estamos falando de afeto humano .

kimono -> Roupa de cabra macho.

Heey! Aquele vira-lata é mais decente que muito humano. ú.ú

Caraca esse papo ta muito sentimental..quando eu estou assim me conforto em uma bela barra de chocolate…funciona viu!!

Tenho verbena prantada no patio da minha casa tomo ela a 2 anos. Vampiro nenhum se atreva a chegar perto de mim.

nossa gentem eu passei por uma situaçao que foi muito tensa pra mim e pra minha familia estavamos todos na nossa casa dormindo quando ouço um barulho fora de casa em um comodo separado da casa que eara uma mercearia ,bom meu primo dorme na mesma , bom mais nao vem ao caso bom, eu escutei pessoas falando ,mais foi o meu primo que tinha chegado da rua enbriagado como sempre . Bom ele surpreendeu um meliante dentro desse comodo revirando suas coisas ele gritou meu outro primo ele foi correndo para fora eles cercaram o meliante e ameaçaram mata-lo mais ai mimha tia entrou nafrente do infeliz , e o meu outro primo disse pega a faca , peaga a faca ! eu nao conseguia nem respirar de tanto medo e minha tia disse vcs nao vao matar ninguem , na frente do homem ja pensou se esse homem estivesse armado seria o fim da minha tia ela protegeu o meliante ao contrario de vc nao e galego qu e deu uma boa liçao nesses caras mais quase que ia fuder com tudo ne ? bom nisso a minha tia disse – foge moço , foge moço , e depois de tudo chamaram a policia fizeram a denuncia e emfim nao deu nada o cara ainda equeceu a bike dele bom meu primo ficou no lucro o ladaro sem ter levado nada e a inda por cima ter deixado uma bike de brinde entao foi essa a minha historia , eu acho que minha tia foi uma heroina maluca ,,,,,

Gosti da postagem da Baronesa, o Sr Galego começa falando o quanto ama a Beth que queria ser mortal para passar o dia todo com ela e no final da história está dando uma da narcóticos querendo pegar traficantes de drogas,que doido….

Sr Galego, eu queria felicitá-lo pela história escrita neste blog.
Foi uma história interessante de se ler. (Pode acreditar)
Eu queria dar-lhe os parabéns por tudo ter corrido bem e por ter saído de saúde desse confronto, pois certamente a sua Beth iria sentir a sua falta.
Eu quero dizer que o compreendo, pois agiu por impulso naquele momento decisivo e por vezes assim ocorrem coisas muito boas, mas por vezes, muito catastróficas.
Fico feliz que não tenha sido esse o final.
A questão aqui não é se ama ou não a sua Beth, pois deixou isso a entender no seu texto, mas sim, se nós (em quanto pessoas), estivéssemos numa dessas situações, faríamos o mesmo ou não?
Bem, fico por aqui com esta pequena questão.

Obrigada por essa recepção calorosa Galego 🙂
Nesse aspecto, sim. Pois depende em parte de como a pessoa vê as coisas e as sente, pois nem todas as pessoas tem a mesma visão dos factos, pois felizmente somos todos diferentes.
Irão sempre aparecer uns “mas e se?”, mas a verdade é que o passado lá foi e ficou (no passado), uma vez que tudo correu bem, eu acho que está de parabéns, pois além de testar o colete á prova de bala, conseguiu fazer uma boa operação, que muitos babavam em ter…
Abraço

Obrigada por essa recepção calorosa Ferdinand 🙂
Nesse aspecto, sim. Pois depende em parte de como a pessoa vê as coisas e as sente, pois nem todas as pessoas tem a mesma visão dos factos, pois felizmente somos todos diferentes.
Irão sempre aparecer uns “mas e se?”, mas a verdade é que o passado lá foi e ficou (no passado), uma vez que tudo correu bem, eu acho que está de parabéns, pois além de testar o colete á prova de bala, conseguiu fazer uma boa operação, que muitos babavam em ter…
Abraço

olá Jonatan e antes de mais, obrigada 🙂
É bom estar aqui.
Pela primeira vez encontrei algo que vale a pena! 😉

Também acho, você vai gostar das pessoas do site são muito legais 😀

Eu peço desculpa a todos, mas já passei assim uma vista de olhos, assim no geral.
Não pude mesmo evitar.
E acho que concordo contigo, eles realmente parecem pessoas muito legais.

Muito directo ao assunto, estou a ver, meu caro amigo Jonatan.
Eu se queres que te diga nem sei bem o que te diga, pois as vezes uma pessoa nem sabe bem o que é.
Mas posso-me integrar bem na parte dos mortais, assim como tu.

Eu as acho de mais!
Ainda só tive oportunidade de ler uma, mas gostei imenso.
Talvez consiga lê-las a todas um dia…
🙂
Eu normalmente quando começo. custa a parar!
Hehehehe

Ainda bem!
Hehehehe
Pois temos que aprender o máximo que podermos até que a morte nos venha reclamar, ou caso contrário, iremos ignorantes, ou muito teimosos só por não querermos aprender.
Tenho que ficar aqui por agora, aqui em Portugal já são quase 23:30.
Gostei de ter falado contigo Jonatan
Abraço 😉

bom eu tenhu que sair, talvez mais tarde eu volte, foi um prazer conhece-la Angie
Hasta la vista.

Eu apenas não percebi ontem uma coisa!
É fácil de responder, eu prometo! 😉
Quem realmente escreveu esta história?
Bjz

Eu também adoro ver o sangue de traficantes, mas entende uma coisa eles são humanos e os humanos cometem erros, não importa se o erro é grande ou pequeno, devemos dar quantas chançes eles precisar. E não saíndo por aí jorrando o sangue de qualquer um.

bom , cada caso um caso !
talvez se poupar a vida de um traficante hoje , talvez amanhã ele mate duas pessoas inocentes .

É verdade, se pouparmos a vida de um, talvez ele mate dois amanhã…