Texte enviado pela Marie Claire.

Amar… Será?

Quantos já tentaram descrevê-lo, quantos já viveram por ele e quantos por ele já morreram.

Quanta paz ele nos traz e em quanto desespero pode transformá-la.

Quantas batalhas ele provoca dentro de nós, quantas vezes faz a razão e a emoção tornarem-se inimigas mortais.

Quantas sensações nos faz experimentar, a quantos belos lugares é capaz de nos levar.

Como é sutil e cruel, quantas vezes nos leva ao céu e quantas mais nos lança ao inferno.

Quantas vezes nos mostra o brilho sol e quando menos esperamos nos atira em meio a mais tenebrosa tempestade.

É a cura para todo o mal, mas não deixa de ser letal.

E o que dizer da profusão de sentimentos que o acompanha? Desejo, felicidade, ciúmes, ira…

Será então mau esse tal amor? De forma alguma! É uma dádiva!

Tantos questionamentos atormentam minh’alma mas somente por um pequeno detalhe que deixei de mencionar.

Trata-se de mais um sentimento, porém é o impede de me entregar.

Seu nome?

Medo!