Soube hoje do falecimento de uma seguidora aqui do Blog uma mulher chamada Kélen, e por que não, uma amiga. Ela esteve presente aqui desde que comecei a noticiar minha não-vida e se tornou uma amiga em virtude dos vários e-mails, comentários e pensamentos que trocamos. Não sou jornalista e não sei simplicar os fatos no primeiro parágrafo do texto, mas minha amiga Anthares informou que Kélen partiu no dia 26/07. O motivo ainda não sei, mas é o que menos importa.
Certamente muitos acham que por eu ter de lidar com a morte na minha noite a noite, isso me deixa confortável para falar sobre isso. Pasmem, mas ter de lidar com isso freqüentemente não faz nos acostumarmos. Por mais que muitos saibam que exista uma continuação, Além do que se imagina e vê no dia a dia, a situação é complicada. Ninguém (isso engloba todo mundo) está preparado para perder algo. Quando o assunto são as pessoas isso piora mais ainda os fatos.

O que fazer, dizer ou imaginar em uma situação de perda? Não sei, talvez ninguém tenha uma resposta certa ou receita que nos permita deixar o sofrimento de lado e olhar o lado positivo. Alguns rezam, outros meditam, alguns ateiam fogo, eu me isolo, outros choram e você o que faz?

Não vou transformar este post em uma espécie de algo informativo, quero apenas deixar registrado que alguém importante partiu. Podia não ser importante para você que lê isto fora do contexto da sua vida, podia não ser importante para você que acompanha o blog e não conhecia a Kélen, mas certamente para muitos ela foi importante.

Encerro com algo que ela me disse uma vez: “Bem tbm sou adepta ao espiritismo, embora tenha sido desde pequena católica, o espiritismo no meu caso me explica muitos os porque…, e muitas duvidas não saciadas anteriormente, não nega a existência de Deus, bem ao contrário, apenas o interpreta de outra maneira, sabe não acho que o Galego tenha sua alma perdida, nem um pouco na verdade, o espírito dele esta conservado e intacto com ele, e acho que vai estar assim com ele para sempre…”

E que assim seja,,,