Desconhecido

Texto enviado pela Gabriella.

Desconhecido

Naquele dia eu estava exausta do trabalho árduo no plantão da noite no hospital.
Quando saí fui para a cafeteria para esquecer que havia perdido um paciente naquela
noite. Sentei-me e logo percebi que havia um homem com jaqueta de couro preta, pele
branca e olhos claros sentado distante de mim, éramos apenas nós dois daquela
madrugada fria. Ficamos trocando olhares por um longo tempo. Levantei e fui em
direção ao balcão pagar pelo meu café e ao sair e não resisti e dei mais uma olhada para
aquele estranho sentado ali.

Quando estava chegando perto da minha casa, percebi um homem em pé perto
da minha porta, hesitei por um instante, mas continuei caminhando. Parei na sua frente e
o seu olhar penetrou nos meus olhos e passou pelo meu corpo como um arrepio que
misturava medo, ansiedade e excitação. Sua mão fria tocou o meu rosto e eu não resisti
aquele olhar. Nós nos beijamos e eu o convidei para entrar, ele não dizia nada, nenhuma
palavra, mas não era preciso eu sabia exatamente o que ele estava pensando.

Passamos aquela noite juntos, uma noite de amor que eu nunca havia vivido com
ninguém daquela forma. Estava exausta, mal podia me mexer quando ele sussurrou no
meu ouvido com aquela voz rouca e firme. – Não sinta medo. – Eu não entendi a
princípio o que ele queria dizer até eu sentir seus dentes cravados no meu ombro. Eu
podia sentir o meu sangue saindo do meu corpo, todos os sentimentos existentes
passavam por mim, menos medo.

Quando acordei com o sol pegando no meu rosto, logo me lembrei do que havia
acontecido, procurei por ele no quarto, mas não havia ninguém. Aquele homem
desconhecido que me fizera viver uma noite inesquecível. Seria verdade ou apenas
sonho? Logo chequei meu ombro e lá estava das marcas daquela noite.

Na mesa da cozinha havia uma rosa vermelha com um bilhete que dizia: –
Obrigada pela noite! – Não dizia mais nada, não havia nome, nem telefone. Depois de
tudo o que aconteceu eu nunca mais o vi, mas dentro de mim, todos os dias, eu esperava
encontrá-lo novamente.

102 Comentários

Valeu gente, são uns dos meus dias de tédio mortal hehehe
Ainda que tenho esses dias hehehe

Gabi(posso te chamar assim?)ontem eu li no seu blog essa história e as outras tbm, gostei muito…

BOA TARDE À TODOS!
Gabriella suuua talentosa!
Estás de parabéns!
Bjs

Pode chamar de Gaby sim!! Muito obrigada a todos, fico feliz que tenham gostado!

Boa tarde a todos! Parabéns Gabriella, belíssimo conto! Usas de delicadeza ao escreveres e extravasa intensidade nas entrelinhas. Tomei a liberdade de passar por teu blog e achei maravilhoso. Tenho certeza de teu livro será um sucesso! Boa sorte pois tu mereces!

através do olhar dois indivíduos podem conversar mesmo sem dizer uma só Palavra .
________________________________________________________
Lendo conseguir criar uma ambiente em que a srta descreveu .
Areá reservada para o café , seus ombros para frente , você segurando copo de café coma duas mãos com o corpo levemente incriado , e como quase por insisto consegue olhar na mesma direção de algo que estava a ti observar .
A mescla dos sentimentos de saber que não consegui ajudar suposto paciente , junto ao cansado lhe proporcionou o extremo de desgaste .
Por um instante , eu percebi que o motivo que fazia olhar ao olhos daquele que estava ali seria porque a senhorita queria decifrar qual seria a amargura que o mesmo tivera visto naquele dia (visto que no hospital a essa hora , nunca foi bom sinal)

São dias assim em que a distorção da realidade e imaginação acabam criando lembranças em que a razão questiona arduamente o que os olhos haviam visto .

Boa noite damas e cavalheiros.
Palavras delicadas em seu texto, cara dama Gabriella. Texto sensível, ternura e simplicidade talvez sejam as palavras para descrever minha impressão.

Como digo a todos: Sou um doce até que me mordam. hhehehe
agradeço o comentário =D

Meus parabéns Gabriella!!!
adoro contos intensos … espero que venham mais 😉
Ele ficou muito bom.

Me perdoem, pela indelicadeza não cumprimentei a todos.
BOM DIA QUERIDOS!

Isabella pode se dizer que é uma espécie de abandono mesmo hehehe 😉

Vc achou triste? A médica no caso parece ser uma pessoa solitária mesmo, mas é isso que intensifica o encontro dos dois hehehe

meio melancólico né… depressivo, sei lá. Mas é assim mesmo meu estilo hehehe

Belo conto,Gabriella depois longo tempo offine do site estou de volta….

adorei gabriela estas de parabens!o final é apoteotico!texto curto porem rico de substancia muito legal!

Quando li “que havia um homem com jaqueta de couro preta” – pensei: Galego de novo? kkk. Que desconhecido maravilhoso. Rosas vermelhas, o Bilhete(que bonitinho da parte dele). Ele podia ser enigmático, deixar um enigma no bilhete né? Ou poderia nem ter deixado. Que cortesia. De uma coisa eu sei: Essa médica se deu bem hein. Gaby, Parabéns pelo Conto. Acho que o The Fallen falou tudo. Quem sou eu para elogiar tão perfectamente como ele. Portanto meu elogio é tudo o q o The Fallen disse(olha a cópia) e Parabéns.

Vitor? Seja Bem – Vindo. Em que época frequentastes o blog/site? Nunca senti sua presença neste espaço. xD

Rafizia muito obrigada! Eu poderia transformar esse conta numa história de 300 páginas, mas sinceramente nem pensei nisso. Todo mundo, quando pensa nesse desconhecido, se lembra de cara do Galego, eu normalmente não penso em ninguem em especial.:D

Querida Gabriella,
Seu texto me fez viajar e imaginar cada detalhe com acréscimos, é claro. rsrs
Pensei em alguem em especial, não imaginei o Ferdinand e nem os outros wampirs..
Se texto é delicado, simples e com muita intensidade.
Beijos.

Fico feliz que vcs tenham gostado, estou pensando na ideia de aumentá-lo e transformá-lo numa história maior e com mais detalhes. Vou sair pra tabalhar agora, volto as 5h30. Fico agradecida mesmo pelos comentários. Bjuss

É isso ai…*querendo ser chereta*…quem é esse especial….Jani?

Aaah Lola é segredo, mas o que posso te dizer é que ele é bem Sedutor, encantador e lindo por dentro e por fora. rsrs

Rsrs
Talvez Isabella, mas existem muitas coisas que nos impede de termos algo mais duradouro ou até mesmo firme. Estou considerando um caso perdido..

Lola,
Estou procurando ter, pois nada é impossível. Espero que tudo realmente se realize de vez ou simplesmente acabe de vez.

Oiee José, estou bem…se recuperando da “noitada” rsrs…e vc??

Estou levando, José. E o sr.?

Janielly e Lola, citando apenas as duas pois são as únicas respectivamente disponíveis, é bom perceber, pelo menos por alguns instantes, que há pessoas com quem eu possa ter um diálogo sem julgamentos.

Claro, é sempre bom dialogar com pessoas que respeitam a opinião do outro, sem julgamentos.

Isabella, me chame de você.Eu não tenho a idade tão avançada assim.Estou Bem…Obrigado.
Quanto a diálogos sem julgamentos, eu e a Janielly conhecemos bem, não é Janni ? kkkk

kkkkk
É Zé, infelismente tem aqueles que não concordam e simplesmente querem nos obrigar a concordar..rsrs

Saudações damas e cavalheiros! Creio que julgamentos deveriam caber somente a quem fosse perfeito e de caráter indubitável, como desconheço nesse plano a existência de tal ser…Nunca devemos fazer a outrem o que não desejamos a nós mesmos. Em minha humilde opinião, o mais acertado seria aproveitar todas as oportunidades que a vida nos oferece ao conhecermos alguém e aprendermos com esta pessoa. Isso se estende, obviamente, a esse nosso contato virtual.

Rafizia frequento o blog mais nao fico muito ativo…. começo de 2011 que começei a frequenta,Desculpa para as palavras sem acento o Teclado desconfigurou

Une belle journée à tous!
Que o dia seja maravilhoso, fantástico e divino, caras damas e cavalheiros!

Devo parabenizá-la Grabriella. Seu texto é sensível, delicado e intenso. Diria que suas palavras são sutis. Uma crônica ao estilo típico da caçada vampírica, embora o final tenha sido romântico. Muito ótimo! Parabéns!

Boa noite a todos!!!

Muito bom o texto! Gabriella, você prendeu minha atenção da primeira linha até a última… ^^

Srta Gabriella,
Teu conto é muito belo, és muito talentosa pelo que notei.
Irás longe neste rumo!
Até Breve.

Intensidade, é o que define este conto.
Parabéns pelo ótimo conto Sta. Gabriella.

Extremamente envolvente, excitante e mágico. muito bom Gabriella faz uma imaginação fértil como a minha ir além. 😀

Bravo, Gabriella! Escreves muito bem! Envolvente e cativante, estás de parabéns! Céus, até rimou (risos)… Posteriormente gostaria de publicar algum de meus poemas também, se fosse possível… Escrever é uma de minhas paixões.

Boa Noite!