Poema enviado pela Rafizia.

O meu despertar é apenas o meu adormecer
Pois é durante meu sonho paradoxal que consigo te ver
Mesmo assim, ainda há contradições
Que divergem em sentimentos e emoções

É que sou feita da mesma matéria prima da rosa vermelha
Da rosa vermelha que à dor se assemelha
Onde o sangue representa sua alma
E as pétalas despedaçadas, apenas mais um trauma
Mesmo assim, ela está cheia de espinhos
Por crescer à espreita de muitos caminhos
Onde a indecisão a paralisa
Por saber que a escolha que tomar pode ser imprecisa

Uma rosa pode ser manipulada
Sua vontade pode ser violada
Assim acaba por ser silenciada
Por quem confiou, por este foi calada