Depois de algum tempo, sem tempo para compartilhar com todos alguns artigos, fotos e poemas que vocês me mandam por e-mail. Surge abaixo um poema enviado pela Paola que resolvi compartilhar com todos, por conter belas palavras e que tem tudo a ver com o espírito das coisas que já existem nesse site…

Paola obrigado pela tradução e pelo compartilhamento conosco!

Escrito na Escuridão (na falta de um título achei esse interessante)

Não esta escrito na escuridão o poder de amar.
As asas, negras, te atraem à solidão eterna, não esta escrito que um vampiro não pode sonhar…
Porém, eu quis em alguma vez no vislumbre de um momento, abrir seus olhos, ter seu corpo entre meus braços e amar.
Onde estas meu noturno e vermelho delírio? Abrace-me! Traga sua presença ante meus olhos.
Não é fácil amar entre gritos, mas eu aprendi a latir e sentir com você.
Sinto sua falta!
E poderia implorar ou sangrar,
Rasgar ou matar entre névoas e sombras,
Isso é o que eu conheço, isso e a amarga solidão.
Mas sei que posso suspirar e se suspiro… Posso amar.
Preciso de suas veias violáceas, aquela gota escorrendo por suas asas.
Preciso da sua boca vermelha e quente.
Vejo-te longe como um doce éter
Com tua sombra implorando por meus braços
E as minhas mãos se desgarram pela cruel e implacável distância.
Preciso de suas mãos a acariciar-me.
Que se pinte de negro o escarlate.
Que desapareça o brilho da lua.
Não esta escrito na escuridão que um vampiro pode sonhar, mas sei que posso suspirar… E se suspiro, posso amar.