Fui traído! E agora? – Final

Diante as revelações feitas por Franz, que foi a fundo na mente de Débora, ficou claro o que ela havia feito…

Era uma noite fria e típica de junho no hemisfério sul. Débora se despediu e desligou rapidamente o Skype. Alegou que estava com muito sono e precisava descansar para acordar cedo no dia seguinte e fazer o que eu havia lhe pedido. Porém, aquilo foi uma mentira para se livrar de mim e ir para uma reunião importante com outro acionista da empresa.

Ela havia se arrumado mais do que o normal, estava altamente sexy de saia curta, blusinha decotada, óculos, salto alto e uma liga preta estilizada por cima de sua pele macia e roseada. Os pensamentos eram nítidos em sua cabeça:

“Preciso impressioná-los a ponto de que confiem em mim, dessa forma vou conseguir tudo o que quero.”

15 minutos de taxi e lá estava ela entrando num restaurando badalado da cidade. Muito frequentado por empresários, figurões e até mesmo artistas da cidade. A hostess lhe indicou com facilidade a mesa onde havia três homens muito bem trajados, no qual ela mesma já havia avistado com sua visão aguçada de ghoul. Respirou fundo, ajeitou a sainha e o decote antes de cumprimentá-los.

A mesa ela percebeu rapidamente que um deles estava cobiçando seu corpo, foram muitos os olhares para seus seu voluptuoso, tanto que os negócios renderam rapidamente.

– Não vejo problemas em conseguir o que me pediu ainda mais se todos concordarem com o custo de seis zeros…

Dois deles se entreolharam e consentiram para o terceiro, que desprendeu mais uma bela secada no decote da loira e falou para os demais.

– Pois bem senhores agora que nos acordamos eu preciso definir alguns detalhes com a senhorita Débora.

Impreterivelmente os dois homens se retiraram, momento no qual Deb percebeu de relance que o homem a sua frente despejou algo em seu copo. Ela sabia que o home a sua frente desejava o seu corpo, mas sedá-la para conseguir isso seria o cúmulo da idiotice? – Disse a si mesma.

– Viu o que eu coloquei em teu copo? Isso serve para romper o que tens com teu “cliente”. Basta um gole e o laço será rompido. – Disse o homem, que agora havia mudado seu olhar para algo sombrio e diferente do tarado de antes.

Débora relembrou dos últimos dias que passou comigo, ponderou por alguns instantes e fingiu que havia bebido. Voltou seu olhar para o homem e lhe disse:

– Pronto! Agora confias em mim?

– Sim, venha. Vamos tratar dos reais negócios pelo qual lhe procurei.

Eles saíram do restaurante, entraram numa limusine onde ela percebeu algo de sobrenatural e andaram pela cidade por mais alguns minutos. No caminho o homem lhe confidenciou sua relação com magia e que queria vingança de mim. Pois, eu havia acabado com sua irmã, a maldita bruxa que matou meu estimado irmão Joseph: http://wp.me/p3vcNH-sQ

Na sequencia daquela noite ela chegou a se lembrar de nosso laço, porém havia sido corrompida por promessas, falácias e aquilo que ela mais queria em sua vida eu havia lhe negado ao escolher Pepe: O maldito do poder.

Naquela mesma noite ela foi para o refugio do tal mago e lhe proporcionou tudo o que uma puta cobraria em ouro para fazer. Ao amanhecer ela confidenciou sua real intenção de desfazer nosso laço e sem perceber foi sentenciada a ser a cadelinha daquele infeliz…

– Nem todos merecem uma segunda chance! Ferdinand ela é toda tua…

Dois passo a frente e arranquei sua cabeça naquele mesmo lugar. Espalhei seu sangue podre por toda a sala e nos presentes. Franz sorriu, Becky se concentrou e Pepe passou a língua nos lábios.

– Peçam para algum Ghoul limpar isso. A próxima cabeça que vai rolar é a daquele filho da puta…

Transformei-me em lobo e passei dois dias e uma noite meditando na floresta da fazenda.

Ferdinand W. di Vittore

Nascido em 1827, foi transformado em vampiro com 25 anos em 1852, enquanto ainda vivia na pequena cidade de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, Santa Catarina – Brasil.

Criou este site em 2008 com o objetivo de divulgar as ideias do seu clã, instituição fraternal em que ele, seu mestre e alguns amigos mais chegados pertencem. Além disso ele também publica aqui e no vampir.com.br histórias do seu cotidiano. Está quase sempre bem humorado e nos últimos anos possui um projeto chamado “Os escolhidos” em parceria com Hector. No qual eles “ajudam” a polícia e a sociedade na resolução de crimes hediondos.

Ferdinand também ocupa suas noites com a escrita e recentemente publicou um livro com suas memórias: https://my.w.tt/UiNb/gz325qd62s

Você pode gostar...

11 Resultados

  1. Ana Julia Petrova disse:

    Finalmente sabemos o que aconteceu para ela, “mudar de lado”. Seria legal uma história contando como você pegou aquele fdp e o matou! Gostaria muito!
    Bloody Kisses

  2. Gabriela disse:

    Não posso ser hipócrita e dizer que gostei do final… é uma pena saber das reais intenções dela, mas fazer o que, a vida é feita de escolhas, alguns escolhem fazer o bem, mas outros nem sempre.

    “A vida é uma viagem com passagem só de ida, a quem diga que não vale e a quem mate para viver”

    • Não costumo discutir sobre o bem ou o mal, afinal este conceito é errôneo e não abrange ao meu ver a realidade em que vivemos. Todavia, é bem por ai mesmo, cada um escolhe oseu caminho e este por muitas vezes não é o mais indicado e gerará consequências além do planejado.

  3. fhal disse:

    Hi mon Vampir, coo vai. Sei da realidade sobrenatural, sei tbem que alguns de vcs trabalham com a policia, ai entao pergunto, porque vc nao a entregou a justiça, ela sendo humana teria quer ser entregue a promotoria. Nao sei como funciona as leis sobrenaturais, mas para um bom promotor isso ao meu ver foi um crime, fique bem claro, nao estou defendendo a Deby, e muito corajoso citar essas mortes aqui, ai sei que existem metodos de sumisso, mas existe justca, apesar do Brasil fechar os olhos para isso. Ok, espionage industrial, vc citou acionistas, entao deveria estar nas maos da justiça. Agora ao fato de ter um mago no meio nao impede da humana ser tratada dessa forma. Sorry, minha opiniao.

  4. fhal disse:

    Ou muito interressante, entao ela mereceu o que recebeu. Ate mais querido.

  5. fhal disse:

    As vezes querido tenho receio de dizer o que realmente penso a respeito de traições, a lealdade para mim esta acima de tudo. Nao acho que vc simplifica os conceitos, é apenas a verdade nua e crua. A vida continua e sei que isso esta doendo muito. Küss. Fhal.