– Direta Lilian! Coloque o braço alto! Vamos você é boa nisso, concentre-se! – Treinos e mais treinos, parecia até que eu iria entrar em algum campeonato de luta subliminar com todo esse treino – Se você falar mais um “ concentre-se” eu juro que vou embora daqui! Porra! – eu tentei mais dez vezes o movimento das espadas duplas e nas dez vezes Jonathan achou que ainda não estava bom o suficiente – Tire a sua mente do mundo lá fora! Esqueça agora o que tem lá! – fácil falar não é, afinal ele ficou tirando uma soneca eterna esses últimos anos – Por que Jonathan? Por que te incomoda tanto que eu pense no que ficou lá fora, na minha realidade? – era isso eu estava de saco cheio da hipocrisia dele, mal havia chego nesse caralho e já estava achando que podia me falar qualquer merda? – Por que isso está te bloqueando, lhe fazendo regredir, ainda não percebeu? A cada passo teu você pensa no movimento e quando está quase atingindo o seu máximo você se distrai com o mundo lá fora! O mundo lá fora e teus amigos não estão nem ai para você minha cara! Onde eles estavam quando você precisou? Onde? Em lugar nenhum Lilian! Acorde por que se você for depender de outro clã você vai morrer jogada em uma vala minha cara! Acorde! – era isso ele queria apanhar!

Sem pensar eu larguei a minha espada e parti na mão pra cima do Jonathan, consegue imaginar dois vampiros lutando? Foi o que aconteceu, nós dois lutando tudo o que sabíamos até ele me derrubar no chão e um único movimento preciso e elegante e como se aquilo fosse normal ele ficou em cima de mim com um joelho apoiando na minha barriga, a força dele era realmente incrível eu não conseguia mover a perna dele com as minhas mãos – Atingi um pontinho fraco pequena? Que bom, pois é o que eu vou usar para fazer você prestar a atenção devida… –  Esperto, ele conseguiu atingir meu ponto fraco e iria usar contra mim – Sábio você caro elfo! Se você mexer onde não deve eu vou te chamar de elfo pra baixo! – Ele ainda me mantinha no chão com a porra de uma perna só! – AH minha querida, pode me chamar do que quiser, com você assim no chão toda submissa a mim eu deixo até você me xingar para ver se assim você evolui e eu consigo o que eu quero! – Com isso ele removeu a perna e me ajudou a levantar – Por que Jonathan? Entre vários aqui que adorariam a sua atenção! – Ele apenas ficou de costas com todo aquele jeito imponente dele – Por que eu vi você antes mesmo de você virar vampira, antes mesmo de você ser o que é hoje –  Como assim?

Apenas fui até ele, fiquei frente a frente com o ser mais poderoso e sábio que havia conhecido e como uma adolescente tonta eu apenas soltei um “porque” bem baixinho – Lembre-se que você é como ninguém, a vida congelou você para o desconhecido e você sente como se estivesse lá fora, sozinha… Haverá amor, haverá dor, haverá esperança, haverá medo e através disso tudo você tem que se curar e independente que você levante ou caia eu estarei aqui por você, porque eu te conheço muito antes de você se conhecer. Não se preocupe com esses seres estúpidos, se eles tentam derrubá-la é porque elas estão com medo e inseguros – Depois dessa eu só consegui ficar quieta e absorvendo tudo o que ele havia falado – Eu tenho medo Jonathan de me tornar um monstro! – eu sempre tive apesar de nunca admitir isso, mas eu sempre tive medo de perder a minha essência e deixar o poder subir a cabeça – E quem disse que o monstro que existe dentro de nós é de todo um mal? –  ele tinha razão, nem tudo que não é conhecido pode nos afetar negativamente – O que eu devo fazer então? – eu estava perdida como em muitos anos não estive, ele percebeu minha perda de coragem ao olhar nos meus olhos e então me abraçou, passou seus longos braços por minha cintura e me ergueu até que eu estivesse na mesma altura que ele – Eu estou aqui para te ajudar pequena, não se preocupe – e com isso eu recebi o que parecia um beijo daqueles que a gente fica até desnorteada – WOW! Que ótimo jeito de começar a me ajudar! Assim eu até penso em te obedecer… – Ele me soltou devagar no chão e então me deu a mão – Acho que o mais justo agora seria ir dormir e descansar um pouco para o que está por vir amanhã – dormir sério? Depois desse momento eu iria ficar rolando na minha cama pra esquecer aquele baita beijo em um vampiro místico antigo.

Quando chegamos no corredor dos quartos logo ao passar por um salão lotado de vampiros boquiabertos com a cena nova que era eu e o Jonathan de mãos dadas com  ele falando como se aquilo fosse normal e eu olhando em volta e esperando alguma vampira sem noção voar no meu pescoço, por mais que elas soubessem que não era sábio tentar pular para cima de mim, isso significaria morte na certa, eu não tenho paciência pra vadia maluca, sorry life!

Mas voltando ao corredor dos quartos, quando eu achei que eu iria ser deixada no meu quarto do jeito que os rapazes faziam antigamente, me senti ser puxada para outra direção e para de frente com o quarto dele, como se fosse a coisa mais natural desse mundo, afinal são tantos anos de parceria #SQN – Jonathan eu não sei que costumes você aprendeu na Terra- Média, mas o rapaz que deixa a moça na porta e não o contrário! – Só pra constar né, vai saber o que ele aprendeu na formação da terra – A minha cara eu não estou te trazendo aqui para você me deixar na porta com um beijo na testa… Entre vamos, temos muito o que conversar – Sei, muita conversa pra por em dia né – Uhum tá, achei que íamos dormir, dia cheio amanhã, lembra? – ele apenas sorriu e me colocou lá dentro como se eu fosse uma bonequinha – Conversar, dormir chame do que quiser pequena – foi ai que eu peguei a maldade de vez, ele piscou pra mim e bom o resto eu deixo pra imaginação de vocês ou conto na próxima parte, quem sabe, ainda temos um caminho a percorrer até o fim dessa minha etapa de não vida! See you soon.