Tempos atrás contei aqui a história de quando alguns integrantes da “Labraid Lámh Dhearg” vieram atrás de Hadrian. (ver A magia e os vampiros) Onde inicialmente eles quiseram levá-lo a força, e por fim depois de terem quase sucumbido aos poderem do jovem mago/vampiro, decidiram “pegar leve” e fazer tudo amigavelmente.

Ao longo da história tivemos conhecimento de muitas sociedades, grupos ou reuniões secretas com objetivos variados. Muitas delas foram ou são na verdade apenas confrarias de cavalheiros reunidos em prol do bem mútuo, porém algumas delas são realmente em prol de algo além da realidade cotidiana.

Como é o caso da Labraid Lámh Dhearg, cujo um de seus objetivos é a proteção da sociedade diante tantos seres sobrenaturais a solta mundo a fora. Inclusive, há quem diga que eles possuem relações próximas com a igreja católica ou com outros grupos, como aquele fundado por Christian Rosenkreuz, mas isso não vem ao caso agora.

– Pow maninho tu não perde essa mania de usar os pulmões como um reles humano?

Disse-me Franz assim que desembarcamos no porto de Londres e depois de eu mencionar que o cheiro do lugar me era repleto de lembranças.

Para nossa alegria não tardou e ao longe era possível sentir a presença de nosso amigo. Ele trajava um manto vermelho escuro, que cobria todo o seu corpo e o capuz deixava apenas sua barba à mostra.  Para ser bem honesto a chegada de Hadrian me lembrou de algum filme noir. Onde o cara anda em câmera lenta, tendo ao redor de si um ambiente com poucas luzes e terrivelmente sombrio, em função da tradicional neblina da região.

Déjà vu a parte, Hadrian se mostrou feliz em nos ver. Seu semblante transmitia cansaço, mas apesar disso estava bastante animado com nossa chegada. Tanto que estava com um taxi pronto para nos levar há um dos pubs mais badalados da cidade.

Nesta noite colocamos os papos em dia, Hadrian nos contou de sua estadia Londrina e do quanto estava com saudades do Brasil. Eu aproveitei para ouvir todas as suas histórias e Franz garantiu as boas-vindas ao conquistar algumas garotas para o “after” no hotel.

Por falar em hotel, fui acordado com alguns empurrões. Não foi um susto, mas assim que abri os olhos percebi que estava seminu e sentado na poltrona ao lado da cama. Para a minha alegria eu não estava sonhando e quem me trazia de volta ao mundo dos acordados era aquela beldade de bumbum empinado, chamada Claire…