Duas e alguma coisa da manhã. O vento soprava assoviando pelas frestas da persiana e o pouco que passava movimentava um velho poster na parede: “La città Nera”, Cidade Negra. Estrelado pela belíssima Lizabeth Scott. Uma trama ao estilo noir, que envolve mesas de poker e um psicopata assassino.

O tema “psicopatas assassinos”, está a tempos nos cinemas e nunca sai de moda, não é mesmo? Eu mesmo sou fã assíduo deste tópico e sempre que possível me envolvo na investigação de tais imbróglios. Ainda mais se tal elemento estiver perto, perto demais dos meus domínios.

Pepe, comentou sobre uma morte um tanto quanto estranha de uma pessoa que morava no centro da cidade mais próxima da fazenda. Um caso que intrigou os locais no qual os médicos chamaram de Embolia Gasosa. A doença não é rara, 30% das pessoas que adquirem morrem, mas o que chamou a atenção de minha aprendiz foi a idade da vítima. 16 anos e até então saudável.

Achei bacana o fato dela estar atenta a tais acontecimentos ao nosso redor e não me preocupei de imediato. Troquei rápido de assunto inclusive e ainda tirei um sarro, perguntando se ela estava estudando ou planejando algo fora de suas rotinas gamers.

– Ai Fê, achei curioso só… Tu que é todo meio paranoico com mortes diferentes…

– Não é questão de paranoia, pequena mafagafa… Tenho que ficar atento ao nosso redor. Tu sabes o quão saco é ter que pensar em tudo isso aqui. Mas se tiver alguma novidade sobre o que aconteceu, me fala.

Sai depois dessa conversa. Fui até a casa do mato na expectativa de encontrar Franz para jogar um papo fora e ele não estava lá. Fazia tempo que não o via e ao que tudo indicava devia estar ocupado com suas crias ou com seus negócios.

Noites depois, eu estava na rede, ouvindo Kashmir do Led, quando Pepe me surge com um sorriso de orelha a orelha.

“Oooh, oh, baby, I’ve been flyin…”

– Ow te disse que tinha alguma coisa! Olha esse prontuário aqui…

Fiz uma leitura dinâmica e lá estava escrito “Parada cardiovascular as 17:29”, então perguntei zoando:

– Humm qual o problema, falta uma crase no “às”?

– Não, idiota… Olha nas outras folhas, ali na entrada tem um “Suspeita de Embolia gasosa” e olha a idade da vítima.

– Dezesseis também? – Fiquei pensativo…

Liguei para Eliot (Sebastian) e disse que estava na hora do projeto “Os escolhidos” voltar das férias.

Leia a continuação aqui: https://www.vampir.com.br/os-cabelos-curtos-os-oculos-de-estudioso-e-a-camisa-larga/