Estava revendo alguns livros velhos e achei este poema de Rainer, um dos maiores poetas da alemanha. Como a minha idéia neste blog é tentar me aproximar do mundo humano, segue abaixo um trexo que representa um pouco do meu mundo misturado ao de vocês…

Como hei-de segurar a minha alma
para que não toque na tua? Como hei-de
elevá-la acima de ti, até outras coisas?
Ah, como gostaria de levá-la
até um sítio perdido na escuridão
até um lugar estranho e silencioso
que não se agita, quando o teu coração treme.
Pois o que nos toca, a ti e a mim,
isso nos une, como um arco de violino
que de duas cordas solta uma só nota.
A que instrumento estamos atados?
E que violinista nos tem em suas mãos?
Oh, doce canção.

Saudades, saudades…