Baseado no meu post: Morte versus amor o Joseph criou um poema.
Eu gostei e encaminho para vocês logo a baixo…

Morte versus amor

O sol radiante ilumina tua face angelical me transportando ao paraíso da vida, um floral com todas as cores, louro em bela poesia harmoniosa e singela graça da vida.

Lembro-me ainda mais dos seus pés sobre o orvalho, clara e beleza soberba, correndo de braços abertos junto ao vento, o que me levava ao gozo inocente de uma criança.

Sim, a melodia encantadora da sua voz, transborda em emoção os sentimentos como a fantasia do amor.

Veja, a vida foi simplesmente um paraíso aos meus olhos virgens da insanidade e desejo.

Era bela a sina que esperava da minha vida aos teus braços, aos seus beijos, ao queimar de dois corações.

No entanto o destino nos concedeu caminhos opostos;
minha imortalidade e sua vida efêmera.

Quando a penumbra cobre a cidade, minha maldição de sangue transparece os sentidos e sou acometido pela morte em cometer o pecado delirante.

Tua vida pela minha ou minha vida pela tua?
O que eu desejava de maior ardor era sua vivacidade de espírito.

Então, decidi doar-lhe o pouco do ínfimo sopro de vida que ainda restara em mim à minha doce amada que não pudera chamar de imortal.

Vivi ao seu lado, vendo-a acabar aos poucos pelo tempo ingênuo e maldoso. Pude confortar-la e fazê-la feliz.

O tempo a levou, agora, apenas pressinto o seu passado em mim;
ao menos isso será imortalizado em um coração que já não bate mais.

Dias vão, as noites não se acabam, apenas trevas sobre trevas;
esse é o fardo que levo, essa é minha sina.